Licha e Lucho para sempre!

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Parece ser moda dizer-se que Lucho não está bem e que é cada vez menos influente, e que Lisandro já esteve bem melhor.

Quão ingrato é o futebol, para quem melhor o executa. Diz-se de Lucho que antes “descobria” espaços para Lisandro, e que não é capaz de o fazer mais. Nada mais falso. O portador da bola pode, de facto, inventar espaços que não existem, mas só quando efectua um drible. E a Lucho, nunca o vimos sequer tentar faze-lo.

Como génio que é, Lucho entende o jogo como todos o deveriam fazer. É a bola que deve circular. Correrias, são essencialmente sem bola, em desmarcações, em aclaramento de espaços, ou no cumprimento de missões defensivas.

Porque tem Lucho menos assistências? Porque marca Licha menos golos? Porque estão a jogar pior. Dizem. Será o futebol assim tão linear?

O FC Porto 07 / 08 era dotado de jogadores incrivelmente mais fortes em termos de percepção ao jogo, do que o da época actual. Mesmo Quaresma, que por vezes, parecia não cumprir em termos defensivos (nunca percebi, se por falta de conhecimento, ou de disponibilidade para tais tarefas), era capaz de perceber os momentos em que deveria oferecer largura ou profundidade à equipa.

Como pode Lucho servir Licha, quando tem Hulk e Rodriguez, quais miudos de 12 anos, sempre a gravitarem junto da bola, promovendo a “confusão” no corredor central? O FC Porto deixou de ter jogadores capazes de fixar os laterais contrários junto à linha (sim, porque em Portugal, ainda se defende ao homem. Por mais primitivo que isso seja), garantindo dessa forma espaço no corredor central para Lucho assumir o jogo.

O que mudou, não foi a categoria de Licha e Lucho. O FC Porto perdeu gente capaz de gerar espaços, que eram aproveitados com categoria superior por estes intérpretes.
Como podem coabitar Licha e Lucho, jogadores de talento e capacidade táctica fantástica, com Hulk e Rodriguez, que continuam a ser incapazes de compreender o jogo, incapazes de gerar espaços para os colegas e acima de tudo, persistem nas correrias loucas com a bola, em vez de a fazer circular.

Jesualdo tem a tarefa mais árdua de todas. É que Hulk e Rodriguez, de tão boas caracteristicas físicas e técnicas que têm, chega até, a ser um desperdicio, não possuirem capacidade cognitiva. Ensinar, de forma a que Hulk e Rodriguez, percebam conceitos simples como profundidade, largura e mobilidade é a grande aventura de Jesualdo para 2009.

P.S. – Volte ao golo documentado no video. Pare no segundo 13. Repare no posicionamento dos laterais do Vitória. Completamente fora da jogada, sem hipoteses de intervir. Poderemos voltar a ver este tipo de golos no FC Porto 08 / 09? Dificilmente. É que Hulk e Rodriguez concentram-se à volta da bola, e arrastam os defesas para as zonas centrais do campo. Quaresma e Tarik, sem tocarem na bola, contribuiram para “segurarem” os seus marcadores directos no corredor lateral, e têm também uma boa parte de responsabilidade no golo obtido.

P.S. II – Licha e Lucho, são o que o FC Porto e até a Liga Sagres tem de melhor. E é muito ingrato criticá-los, quando as verdadeiras razões para a menor eficácia (golos / assistências) é a falta de cultura táctica de alguns dos seus colegas!

P.S. III – Para finalizar, voltando ao golo. Bola a circular é coisa que este FC Porto também já não faz. Pelo menos a partir do momento em que esta chega a quem não deve.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

5 comentários em Licha e Lucho para sempre!

  1. Concordo com quase tudo, PB. Dizer que Quaresma não vinha tanto atrás porque não tinha que vir. Eram ordens do 433 do Jesualdo. Ficava aberto, preparado para a transição rápida, que passava invariavelmente por ele. Quando tinha de defender, Quaresma defendia, aplicava-se. É falso que não tenha disponibilidade ou cultura táctica para tal. Quaresma pode não ser um prodígio em termos intelectuais, mas tacticamente a sua actuação era muito importante no Porto de Jesualdo, pois permitia iniciar as transições rápidas. Creio que Rodriguez não é tão mau quanto isso e tem sido muito mais precipitado pois parece querer mostrar serviço a todo o custo. O Quaresma passava muito tempo desaparecido e não se importava com isso. Quando o Rodriguez perceber que, sem bola, também pode ser muito útil, terá um papel tão importante como tinha o Quaresma. Já o Hulk não lhe auguro grande futuro. É aquele jogador capaz de resolver num lance individual, sobretudo se beneficiar de passividade dos defesas contrários, mas que prejudicará sempre a manobra ofensiva do Porto.

  2. Concordo com o texto e também com aquilo que o Nuno referiu sobre as tarefas defensivas do Quaresma. É, no entanto, claro que quer Lisandro, quer sobretudo Lucho têm tido um rendimento inferior e que o seu momento individual não é o mesmo, mas acrescento acho que ambos são vitimas dos ajustamentos tácticos que Jesualdo tem vindo a fazer para integrar Hulk e Rodriguez. Hulk joga livre na frente com Lisandro mas ambos aparecem muito na zona central. Isto é um problema para Lucho que nos últimos anos se destacou pela inteligencia com que se movia nesses espaços. Ao ficar como interior direito, tendo mais responsabilidades defensivas (porque Lisandro não defende ao longo do flanco) e tendo 2 jogadores a ocupar a zona central é natural que Lucho perca grande parte da sua influencia. A sua liberdade ditou a diferença enorme de rendimento e influencia nos últimos 2 anos de Porto.

    É para mim um erro de Jesualdo alterar o modelo para priveligiar Hulk e Rodriguez e abdicar daquilo que o Porto fazia melhor no ano passado, tirar o máximo rendimento da dupla Lucho-Lisandro.

  3. A culpa do Lucho e do Lisandro não sobressaírem é claramente do facto deste ser o fcp mais fraco dos últimos anos. É um conjunto de individualidades que não tem objectivo comum e que peca pela falta de inteligência. Até pode ser por culpa de outros que o Lucho não se nota tanto, mas também é por culpa própria. Costuma-se dizer que um jogador quando é bom, realmente bom, cria espaços onde nunca ninguém via nenhum. Este ano, o Lucho não faz nada disso… também a cabeça dele está claramente preocupada com outros assuntos.

    Como já algumas vezes disse, este Rodriguez (ainda bem que saiu do SLB) ainda vai ser, senão é já, a bactéria do Porto. Que estabilidade é que há num plantel onde um jogador chega e passa a ganhar muito mais que o(s) jogador(es) mais influente(s) da época passada? Eu não gostava se fosse comigo, então no mundo da bola tão competitivo…imagino…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*