Benfica, 15 benéficos dias de pausa

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Para o Benfica, a pausa natalícia bem poderá ser o momento mais importante da temporada, assim Quique Flores o deseje.

Quase meia época volvida, chega o momento crucial para o Benfica de Quique. No fundo, há duas possibilidades em aberto, e é em ambas que o treinador do Benfica deve pensar ao longo desta quadra.

1 – Continuar a procurar a evolução, num sistema táctico, de tão difícil interpretação, se se pretende ser realmente bem sucedido com ele;

2 – Alterar para um sistema de jogo mais seguro, salvaguardando as dinâmicas possíveis, e voltar para um período de aprendizagem, corrigindo algumas das suas ideias iniciais.

Tomo Quique Flores por alguém muito inteligente, e é indesmentível que procura moldar a equipa à sua imagem. Notam-se processos e movimentos, que se sabe serem fruto do seu trabalho. Quique tem ideias e procura não deixar a sua equipa entregue ao imprevisível. Vários foram os jogos (Sporting, Napoli, Guimarães, Académica) em que a boa interpretação das suas ideias deram frutos, notando-se claramente o tal “dedo” do treinador.

Contudo, ainda mais têm sido as partidas, em que o Benfica não consegue ser uma equipa conexa. Continua a ser uma equipa demasiado exposta aos contra-ataques adversários. Vários são os jogos de toada Ataque – Resposta, Ataque – Resposta, com o Benfica como interveniente. O Nacional, no Estádio da Luz, foi bem capaz de construir mais ataques, do que aqueles que o FC Porto e o Sporting consentem em 4 ou 5 jogos. E todos sabemos que os campeões são sempre, as equipas que melhor defendem…

Parece óbvio que para permanecer no 1º lugar, a equipa terá de evoluír para patamares de rendimento e de segurança, bastante mais elevados. Será isso possível nos próximos meses, mantendo o actual sistema táctico?

A Quique, compete decidir se tal é possível, sabendo que uma mudança para um 442 losango, tornaria o Benfica incrivelmente mais seguro em termos defensivos e mais capaz de ter uma boa gestão da posse de bola, relativamente ao que tem sido até à data.

Os bons treinadores têm ideias e procuram colocá-las em prática. Os grandes treinadores, percebem quando as suas ideias podem não ser as mais adequadas para determinado contexto, e não se coíbem de as mudar, mesmo que para tal coloquem o orgulho de lado.

Da reflexão de Quique, dependerá o futuro do Benfica.

P.S. – Se optar pelo pensamento comum aos adeptos (crendo que estaria com mais pontos, se tivesse tido melhores arbitragens, e que como tal, nada deverá ser alterado), os benfiquistas, bem podem esquecer (também) o campeonato…
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2362 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

5 comentários em Benfica, 15 benéficos dias de pausa

  1. Pb,

    Na minha leitura o problema do Benfica poderia resolver-se dentro do mesmo sistema. Bastaria que a equipa não mantivesse sempre a linha de 4 em todos os momentos defensivos e grande parte dos problemas seriam resolvidos. Isso não aconteceu ainda porque o Quique não entende que a a equipa deva criar mais linhas defensivas em certos momentos e não por questões de interpretação do modelo por parte dos jogadores.

    De toda a maneira, por aquilo que vi, não me parece, nem que o Quique vá abdicar do 442 clássico como sistema preferencial, nem que a migração para o losango seja só por si solução. O problema do espaço entre linhas seria mais facilmente resolvido, claro, mas em termos ofensivos a equipa revelou-se muito pouco dinâmica quando utilizou esse sistema (nomeadamente contra o Estrela). Há ainda o problema de Reyes que é um jogador fundamental e que não parece ter encaixe adequado no 442 losango.

  2. Olá Benfiquistas

    Venho em nome do fórum SL Benfica PlanetaPortugal desejar a todos um Feliz Natal com muita amizade e muito amor no Coração.
    Que o ano de 2009, traga-nos muitas vitórias mas acima de tudo, a cada um de vós, muita Saúde, Paz e Prosperidade.
    São os nossos votos com toda a Amizade.

    SL Benfica PlanetaPortugal

    PS – Aproveito para vos convidar a visitar um novo Portal que estreámos ontem Notícias PlanetaPortugal (http://noticias.planetaportugal.com) que conta também com uma secção de Desporto
    que inclui toda a comunicação social Portuguesa. Penso que vão gostar para quem gosta de estar sempre informado pois reunimos num só sítio toda a imprensa Nacional actualizada em Tempo Real

  3. Antes de mais permitam-me elogiar o conteúdo deste blog, gostei de algumas temáticas e pretendo seguir, assim como deixar o link no meu blog.

    Quanto ao texto sobre o actual Benfica, também penso ser uma fase decisiva da época para a equipa de Quique mas sinceramente, e sem estar a referir esquemas ou sistemas, penso que sairá bem desta fase, até porque o FC Porto irá baixar o ritmo e os encarnados vão aproveitar, mas a ver vamos.

    Mais uma vez parabens,
    Dário Pinto, Geração Futebol
    http://www.geracaofutebol.blogspot.com

  4. Quanto ao tema penso mesmo que o mês de Janeiro será decisivo para apurar o campeão nacional. Parece-me que Quique não abdicará do clássico 4x4x2. Suazo também já é mais facilmente anulado, pois os adversários já perceberam que se defenderem mais atrás, retirando espaços para o hondurenho explorar. Se Aimar mantiver o seu rendimento, não auguro um grande futuro para o SLB. Mas só o tempo o dirá.

    Aproveitei e linkei o teu blog no meu. Podes fazer o mesmo.

    Cumprimentos,
    Ricardo Faria,

  5. Excelente análisis.
    La recuperación física de Aimar -perdonad mi momotema- es esencial para el Benfica. Su rendimiento, cuando ha podido jugar, sin ser excepcional, ha sido más que suficiente (no en vano lidera la clasificación de MVP de serbenfiquista que se hace por puntuación media); el problema es lo poco que ha jugado. Es fundamental con cualquiera de los sistemas: en el 442 clásico (donde encaja peor), porque conoce bien las ideas de Quique; y en el losango, sencillamente porque es muy difícil encontrar a alguien con más garantías para jugar de 10: ahí explota su clase y su inteligencia.
    Personalmente, no me gusta el 442 clásico y rígido. Porque es más previsible. A mí me gusta la gente que juega entre líneas. Si Quique vence sus rigideces y no comete errores tan graves en las pretendidas “rotaciones” -que no pueden ser poner un equipo B, se hará un gran entrenador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*