A luta a 3. Mais e Menos.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
SL Benfica

1º, 26 pontos

MAIS

1 – Qualidade individual de vários jogadores (Suazo, Reyes e Aimar à cabeça);
2 – Argumentos nas bolas paradas (Livres laterais de Reyes. Possíveis finalizações de Sidnei, Luisão, Katsouranis, David Luíz, Yebda e Cardozo);
3 – Profundidade no ataque (conferida por Suazo).

MENOS

1 – Desorganização colectiva, no momento defensivo do jogo;
2 – Ausência de um GR de nível;
3 – Pouca utilização de Aimar.


Observações
: Da condição física de Aimar, Reyes e Suazo, e da capacidade de Quique para tornar o Benfica uma equipa organizada, dependerá o sucesso do Benfica 08/09.

FC Porto
3º, 24 pontos

MAIS

1 – Equipa da Liga que consegue defender e pressionar “mais alto”;
2 – Excelente interpretação do jogo, por uma grande maioria de jogadores;
3 – Lucho e Lisandro.

MENOS

1 – Substituto de Bosingwa, com características demasiado diferentes do português. As saídas de pressão, explorando a velocidade do lateral, deixaram de fazer sentido;
2 – Incapacidade de Rodriguez em conferir largura ao ataque do FC Porto;
3 – Demasiadas más tomadas de decisão de Hulk, que acaba por anular imensos ataques rápidos à sua equipa.

Observações:
Do garantir da inclusão no colectivo, das capacidades individuais de Hulk e Rodriguez, dependerá o sucesso do FC Porto de Jesualdo Ferreira.

Sporting CP

4º, 23 pontos

MAIS

1 – Capacidade para gerir a posse de bola;
2 – Organização colectiva (defensiva e ofensivamente);
3 – Rápida transição Defesa-Ataque.

MENOS

1 – Pouca qualidade individual de alguns jogadores, quando comparados com os adversários directos;
2 – Ausência de jogadores capazes de fazer a diferença no plano individual;
3 – Dependência mútua entre Liedson e restante equipa (se o Sporting depende dos golos de Liedson para ganhar, Liedson depende ainda mais do que produzem os colegas, para poder ser útil).

Obervações: Da integração de Vukcevic, do rendimento futuro de Yannick e da condição física de Moutinho e Izmailov, dependerá o sucesso de Paulo Bento.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

4 comentários em A luta a 3. Mais e Menos.

  1. Julgo ter ficado a faltar um mais no porto: argumentos também em lances de bola parada. basta relembrar os inumeros golos de cabeça.

    quanto ao ponto 3 no menos do porto, n estou mt de acordo. muitas vezes o hulk é sinonimo dessa mesma rapidez.

    falta o principal menos do benfica: apesar de ser uma equipa q sabe sofrer e esperar(recordo jogo com o nápoles)..é uma equipa q talvez sofra demais, desnecessariamente.

    esqueceste-te tb do enorme menos do sporting: das duas uma, ou se trata de falta de boa liderança(paulo bento), ou o treinador do sporting é apenas o porteiro da feira de vaidades em q se tornou a turma d alvalade.

    cumps

    http://www.sao90minutos.blogspot.com

  2. Bom texto. Discordo, porém, de uma coisa em cada clube.

    Discordo que o Benfica não tenha um guarda-redes de nível. Quim, apesar dos erros que teve, merece a confiança. Um dos defeitos da equipa e que não apontaste tem a ver com a incapacidade de jogar curto e da pouca verticalização do jogo. Normalmente, quando a bola está nos médios ou é levada para as linhas, procurando a largura dos corredores, ou é colocada em profundidade, para Suazo. Há pouquíssima exploração dos apoios verticais e são raros os passes rasteiros a solicitar um dos dois da frente que venha buscar a bola entre linhas. Daí também o fraco rendimento de Aimar.

    Quanto ao Porto, concordo com tudo, mas há ainda outro problema que considero importante: o facto de abdicar de uma referência no eixo do ataque com a qual seria possível tabelar, em detrimento da mobilidade conferida por três jogadores pouco fixos.

    No Sporting, discordo que a qualidade individual seja inferior à do Porto, por exemplo. Em termos de plantel, creio que têm mais e melhores soluções que o Porto, mas Paulo Bento não as tem gerido bem, sobretudo Veloso, Djaló, Vukcevic e Pereirinha. Quanto aos jogadores capazes de fazer a diferença em termos individuais, percebo o teu ponto, mas não sei se estou de acordo. Vukcevic, jogando, é esse tipo de jogador. Mas, por exemplo, Romagnoli é um jogador absolutamente crucial na manobra do Sporting. De facto, não se destaca individualmente, isto é, não resolve sozinho, mas o seu futebol ajuda em muito a que os colegas resolvam. Individualmente, é dos jogadores mais preponderantes na equipa.

    Cumprimentos

  3. Caro PB,

    Quero iniciar este comentário com um abraço… meu seguidor?
    Nem sabe no que se mete.
    Sou sportinguista, mas antes de o ser sou desportista, prefiro a derrota que a vitória com trafulhice.
    Sou um apaixonado pelo desporto e pelo futebol em particular… gosto de jogadores e de repentismos, gosto menos de trinadores e de tácticas.
    Gosto de Quique Flores, de Paulo Bento de Domingos… gosto menos (muito menos, de Jesualdos, Mourinhos e Queirozes que nunca souberam ao que sabia vestirem [como jogadores] a camisola da selecção nacional).
    Posto isto vamos à análise.
    Benfica:
    Um excelente treinador.
    Equipa tipo (na minha opinião)
    Moreira
    Maxi, Sidnei, Miguel Vítor, J. Ribeiro
    David Luiz
    Carlos Martins, Aimar, Reyes
    Nuno Gomes e Suazo
    O Benfica é o maior clube português (não o melhor, claro, eh, eh, eh) tem de jogar com cerca de metade da equipa com jogadores capazes de representar a selecção nacional (uma das ustificações para a escolha).
    Moreira é o melhor guarda-redes (gr) num sistema em que o gr esteja, permanentemente, em jogo… joga bem com os pés, é destemido a sair às bolas e tem muita empatia com os adeptos.
    Maxi – indiscutível
    Sidnei – indiscutível, sobe bem nas bolas paradas (cantos e livres) e defende melhor, vê poucos cartões [Luisão não sabe jogar sem cometer faltas, acabaria expulso em 75% dos jogos se existisse rigor por parte dos árbitros, cf. com acção de Luisão nos cantos defensivos])
    Miguel Vítor – o melhor central do Benfica, uma espécie de Humberto Coelho do séc. XXI, resolve e sai sempre com a bola jogável.
    Jorge Ribeiro – Satisfaz a defender, ataca muito bem. No futebol o objectivo é o golo. No deve e haver Jorge sai a ganhar.
    David Luiz – um dos jogadores mais rápidos, elevado sentido técnico-táctico, daria velocidade às transições num sistema de 443 com algumas nuances tácticas.
    Carlos Martins – defende e ataca bem, bom pontapé de meia distância (deverá ultrapassar as lesões psicológicas)
    Aimar – Não defende mas ataca muito bem… é mágico (deverá ultrapassar as lesões físicas).
    Reyes – o melhor jogador do Benfica, 2008/2009… perfeito (excepto o pontapé da marca de grande penalidade com o Leixões)
    Nuno Gomes – o melhor avançado português a jogar como segundo avançado.
    Suazo – Uma mistura de Eusébio com Liedson… a seguir a Reyes o melhor jogador que representa o Benfica nesta época futebolística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*