180 minutos. 12 golos sofridos.

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Da época 2008 / 2009, recordar-se-à a melhor prestação europeia do Sporting na mais importante competição europeia de clubes, mas também a página mais negra do futebol nacional. Não há memória de uma equipa portuguesa perder uma eliminatória por tamanha diferença. E nem se pode falar em injustiça, tal a quantidade infindável de situações de golo criadas pelos alemães.

Quando uma humilhação desta estirpe acontece, não há quem possa sair ileso. De todos os jogadores, uns mais que outros, ao treinador.

Da eliminatória perante o Bayern e do passado mais recente, sobram as exibições demasiado confrangedoras de Polga. Demasiado lento, condiciona negativamente toda a estratégia colectiva da equipa. Some-se a esse facto, o permanente chorrilho de erros (uns técnicos, outros tácticos) cometidos ao longo de quase todos os últimos jogos, e percebe-se que poderá ser altura para o brasileiro perder a titularidade. Contudo, para quem? É que Tonel e Caneira não parecem ser capazes de fazer melhor do que a mediocridade que Polga vem exibindo.

Do desastre de Munique, e apesar de parca qualidade individual de muitos dos jogadores leoninos, também Paulo Bento não sai imune às críticas.

As (não) opções por Liedson, Izmailov e Vukcevic foram pecados evidentes. Que, ainda assim, deixam muito por explicar.

Percebeu-se que Izmailov é absolutamente indiscutível no Sporting 08 / 09. Para além da qualidade ofensiva que entrega ao jogo, contribui, no plano defensivo, pela sua enorme capacidade táctica e espirito de entreajuda, para o disfarçar de várias lacunas individuais dos seus colegas. Pedro Silva, Abel e Veloso, são demasiado fracos e quando a equipa não defende com todos os jogadores bem próximos, as suas lacunas tornam-se demasiado evidentes.

Simon em detrimento de Izmailov foi um erro crasso. Em Munique, entrar em campo com um interior pouco dado a tarefas defensivas, foi um previsível tiro nos pés. Porque não, Vukcevic como avançado?

Também Liedson, pela disponibilidade com que se entrega ao jogo, pela capacidade que tem em incomodar os defesas adversários, pela quantidade de vezes que condiciona a saida para o ataque do adversário, não deveria ter ficado em Lisboa.

P.S. – Quando nas individualidades não abunda a qualidade (particularmente no sector defensivo) e quando o colectivo não as consegue proteger, está-se sempre mais próximo da derrota.

P.S. II – Na primeira parte, defender bem recuado, permitiu ao Bayern chegar com facilidade a zonas onde pudesse explorar os cruzamentos para a área, bem como os remates exteriores (pontos onde são uma equipa poderosa). Na segunda parte, procurando defender mais subido no relvado, o Sporting foi traído pela ausência de velocidade de todo o seu quarteto defensivo.

P.S.III – O golo da vida de Moutinho, não atenua a má imagem.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*