José Mourinho. O tal. I


Porque José Mourinho, compreende o futebol como ninguém. Porque desmistificou um sem número de falsas ideias sobre o jogo. Porque o vê como um jogo colectivo, onde todos são responsaveis por todas as tarefas, seja em que momento do jogo for (ofensivo / defensivo). Porque sabe, ao contrário de, ainda, muitos treinadores portugueses, que o jogo não são 11 duelos de 1×1. Porque nas suas equipas os avançados não servem só para marcar golos, nem os extremos só para fazer cruzamentos. Porque nas suas equipas, a relevância das tarefas ofensivas e defensivas, são igualmente importantes para qualquer jogador, independentemente da posição que ocupa em campo. Porque, para além de ser extremamente dotado de conhecimentos, ainda tem a capacidade de os sistematizar e fazer compreender aos seus jogadores, Mourinho foi sempre, o TAL, para o Lateral Esquerdo.

Em homenagem à inspiração que concede a todos que como ele, procuram compreender todos os factores de rendimento, individuais e essencialmente colectivos, o Lateral Esquerdo, publica semana a semana, duas das suas frases mais marcantes, que ajudam a perceber algumas das suas ideias e visões sobre o futebol.

“O seu jogo tem duas faces. Uma bela e uma outra de que eu não gosto. Ainda tem muito para aprender. Muito. Após o golo dele, precisei de onze jogadores para defender e só contei com dez. Ele não é suficientemente bom para mim.”

Declarações recolhidas por Mark Fleming, Daily Express, 2 de Maio de 2005, sobre Joe Cole, que se limitou a marcar o golo da vitória sobre o Liverpool.

“Não gostaria dele. É um bom jogador, mas em Inglaterra não se pode jogar a meio campo com dois jogadores com um metro e setenta de altura. Com Makelele, não seria uma boa combinação.”

BB5 Sport 5, 5 de Julho de 2004, sobre Edgar Davids.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2359 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

3 comentários em José Mourinho. O tal. I

  1. Sim, Mourinho é o tal. Algumas das afirmações que fazes podem parecer trivias, mas são a essência do significado de jogar verdadeiramente de forma colectiva. Muito bem.

    P.S. Acho que Mourinho não tem igual, mas Guardiola promete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*