SL Benfica de Quique Flores resumido num lance

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Pare a imagem no 5º segundo. Observe o posicionamento dos jogadores encarnados.

Desde a primeira jornada que assim é. Sempre que o SL Benfica perde a posse da bola, a equipa está totalmente desiquilibrada no campo, e sempre próxima de sofrer golo. A pouca qualidade individual que vamos tendo na Liga Sagres é a razão pelo qual o Benfica “só” sofreu 32 golos em 30 jogos.

Um exercício, potencialmente interessante, seria imaginar uma equipa tão desiquilibrada, a jogar numa liga como a espanhola. Raro seria o jogo em que não sofresse 4, 5 golos.

Inadmissível como na última jornada de um campeonato, a transição ataque-defesa da equipa de Quique, ainda se assemelhe à de um qualquer grupo de amigos que se reúne ao fim de semana para jogar à bola.

Flores parte com seis meses de atraso.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

2 comentários em SL Benfica de Quique Flores resumido num lance

  1. Sem dúvida, os problemas colectivos são esses e estão identificados há bastante tempo.

    De qualquer forma, neste lance específico acho que há dois jogadores que erram na abordagem a um lance que, admito, já trazia dificuldade para os 4 elementos defensivos. Ainda assim, deparamo-nos com uma superioridade numérica do Benfica de 4 para 3. A movimentação defensiva de Maxi Pereira e Luisão é que não foram correctas e não deram sequência a essa mesma superioridade numérica:

    Maxi, repetindo os vários erros que deu nos primeiros 3 meses da época, não acompanha decentemente o atacante que surge do seu lado. Primeiro é ultrapassado e depois, quando a jogada lhe permite uma reaproximação ao jogador do Belenenses, pára e pede um fora-de-jogo. Com essa titude volta a perder o atacante azul e permite que este receba e passe a bola. Erros destes cometeu-os vários ao longo desta época. Especialmente no início da mesma. É por isto (e outras coisas) que não me fascina o Maxi Pereira e acho claramente um exagero o elogio que lhe tem sido dado. Às vezes dá ideia que por ser um jogador aguerrido as pessoas já acham que está ali um grande jogador de futebol. Não está. Nem nunca estará. Comete erros que muita gente não vê. Só o vêem a correr muito e a centrar bem. Mas tem lacunas evidentes.

    Luisão, com Sidnei na cobertura ao jogador que segue pela esquerda do ataque e Ribeiro com da direita, devia ter ocupado a zona central do terreno aonde muito previsivelmente chegaria a bola 8como chegou). Devia ter-se colocado 2 ou 3 metros à frente, evitando a possibilidade de remate a Silas. Não o fez, ficou recuado e depois ainda tentou compensar mas a bola passou-lhe por baixo das pernas.

    Estes são erros individuais neste lance mas claro que o grandé problema está na forma como a equipa permite 3, 4, 5 situações destas ao longo do jogo. E aí é um problema colectivo e de organização nas transições. É um erro de Quique.

  2. Ricardo, o erro desta jogada é puramente colectivo e permanente do benfica nesta temporada. Não vislumbro sinceramente nenhum erro individual de nenhum dos jogadores.

    O maxi quando a equipa perde a bola está em clara desvantagem para com o homem do beleneses e não teve tempo para se posicionar correctamente antes de o passe entrar.

    Quanto ao Luisão teve o posicionamento correcto. O Benfica tem um comportamento zonal e nesse âmbito o Luisão posicionou-se no local onde se devia posicionar. o problema é que a forma como o Benfica joga com as linhas tão distantes e não contemplando a ocupação do espaço à frente dos centrais cria evidentemente este tipo de situções cuja responsabilidade é inteiramente do seu mau mecanismo de jogo e nunca de erros individuais, que neste caso não me parece realmente que existam.

    cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*