Depois de Carvalho, Daniel Carriço

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Texto recuperado de Novembro de 2008

Bem sei, que ao afirmá-lo depois de 4a feira, muitos esboçarão um desaprovador sorriso. Estaremos por aqui, daqui a uns anos, para o confirmar.

Antes de visualizar o video, esqueça o erro de Polga (que deveria ter feito a cobertura defensiva (colocando-se entre Daniel e a sua própria baliza), em vez de ficar a cortar uma qualquer linha de passe) e troque mentalmente Tonel por Daniel Carriço.

Exacto. É canto para o Barcelona, e todos os adeptos do Sporting estão um pouco mais felizes (todos, excepto o infeliz espectador que, por azar, estava no lugar da bancada, em que o balázio de Tonel foi parar).

Que importa isso? Exclamam. Com Tonel, estaria 0 a 0. Quase que se pode afirmar, tratar-se de um facto. Daniel Carriço é jovem. Com a idade ele corrige, pensam. Nada mais errado. Não é da idade, é da personalidade.

Carriço é jovem, sim. Mas, não está destinado a ser apenas mais um defesa central de uma qualquer Liga Sagres. Tem talento às carradas, boas características físicas e uma personalidade forte. É um jovem fino no trato, bem educado e extremamente inteligente. Em suma, o sonho de qualquer treinador.

Sim, aquela bola fugiu. Mas, não vai fugir muitas vezes. Daqui por uns bons anos, de Daniel guardaremos a imagem daquele central, que desarma, e inicia ele próprio o processo ofensivo da sua equipa. Aquele jogador que nos orgulhamos de dizer que tem classe até a andar. Quem com ele trabalhou ao longo de dias / meses / anos a fio, não tem dúvidas. Futuro central da selecção, o sucessor de Ricardo Carvalho. Porque tem lá tudo e porque merece!

P.S. – Confesse, é preciso ser-se mesmo diferente, para tentar sair com a bola controlada, dum lance disputado com Messi, não é? Das duas, uma. Daniel é louco, ou então, sabe que consegue fazê-lo, apesar de ter tido um deslize. Eu, sei que é a segunda, e sei também que não o veremos muitas vezes a cometê-los.

P.S. II – Voltando à época actual. Não merecerá, Daniel, colegas de sector ao seu nível? Polga cada vez está pior, e começa a duvidar-se, seriamente, de que alguma vez volte a ter nível para ser uma opção credível. Dos defesas laterais, estamos conversados…

P.S. III – Entende-se as declarações de Pedro Barbosa, alusivas a César Peixoto. Contudo, a serem verdade, espelham uma política de contratações bastante deficiente. Por tão irrisória (??) verba, resolvia-se, problema tão latente.

P.S. IV – A foto de Daniel Carriço, envergando a braçadeira de Capitão, não foi escolha aleatória. Ainda que, dificilmente, tal venha a suceder. A Europa espera por ele.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

3 comentários em Depois de Carvalho, Daniel Carriço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*