Que forma de defender é essa Jesus?

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Nos últimos sete jogos da Liga Sagres, apenas o Olhanense conseguiu marcar golos ao SL Benfica. Notável. Naval, Sporting, Académica, FC Porto, Rio Ave e Maritimo não foram capazes de o fazer.

Competência individual? Sim. Seguramente. Luisão é por ora um jogador bastante mais seguro, Maxi Pereira continua com uma cultura posicional fantástica. Peixoto, ainda que débil na abordagem às situações de 1×1, interliga-se com grande qualidade com os restantes colegas, e David Luiz cresceu enormidades na ocupação do espaço.

Porém, são os indicadores colectivos que fazem a diferença.

O quarteto defensivo ocupa o espaço com base em referências zonais. São a bola e o posicionamento dos próprios colegas que determinam o posicionamento. Já assim o era na temporada passada. Difere essencialmente na forma como o sector defensivo se coordena com o meio campo. A base para todo o posicionamento é o criar de uma linha formada por 4 jogadores, alinhada de forma horizantal e paralela à linha de fundo. A tal linha, pretende contar sempre com quatro jogadores. E é essa a principal diferença para o método defensivo de Quique Flores. Na temporada passada, sempre que um defesa era obrigado a sair para a contenção (sair ao portador da bola), a linha passava a três jogadores, e demasiadas vezes se tornava insuficiente para cobrir toda a largura do campo de jogo. Com Jesus, o trinco articula com a linha defensiva. Se o defesa sai da linha, o trinco baixa, garantindo o necessário equilíbrio. Entre a bola e a baliza de Quim, há sempre alguém na contenção, e a tal linha de quatro jogadores, que pela sua proximidade entre si, garantem que a bola não passa no espaço entre ambos, impedindo assim os avançados adversários de serem servidos na profundidade.

Torna-se, igualmente importante, salientar a fantástica pressão efectuada logo na saída de bola do adversário, que permite à equipa jogar bastantes metros mais à frente, em relação ao que era habitual. Dificilmente, nos jogos do SL Benfica, encontramos um adversário com tempo para pensar e executar com assertividade.

P.S. – Na última Liga Sagres, o Sp. Braga sofreu menos onze golos que o Benfica. Na Liga Europa, e ainda que tenha realizado mais oito jogos europeus, a antiga equipa de Jesus, também sofreu menos golos que a de Quique. Cinco a menos. Sintomático, não?

P.S. II – Para quem no início da época, teve a oportunidade de seguir um treino do SL Benfica, cujo objectivo era precisamente a aprendizagem das referências zonais, e a percepção sobre os comportamentos tácticos a adoptar a cada nova situação (como reagir quando um colega é batido? Como reagir quando a bola entra na zona de outro defensor?), a performance defensiva da equipa de Jesus não surpreende minimamente.

P.S. III – Por maior injustiça que possa estar a ser cometida ao afirmá-lo, é impossível não associar, a mesma excelência táctica defensiva do Sp Braga, à passagem de Jesus pela Cidade dos Arcebispos, e à consequente aprendizagem de que todos os jogadores do Braga beneficiaram. Estaremos cá para nos retratar, assim que Domingos o repita com outra equipa. Com o FC Porto, por exemplo.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

15 comentários em Que forma de defender é essa Jesus?

  1. Por essa ordem de ideias tambem nao tera merito no Porto ja que esse e precisamente o ponto forte das equipas de Jesualdo Ferreira… Organizacao defensiva. Mas enfim, ja sabemos que e Deus no ceu,
    Jesus na Terra…

  2. David Luiz cresceu enormidades porque já não parece uma barata tonta a jogar a lateral-esquerdo… E assim a equipa ganha um excelente central e um defesa-esquerdo médiozinho, tal como era Jorge Ribeiro… Continuo a não perceber o ocaso de schaffer mas pronto…

  3. Caríssimos,
    É pela a clarividência que vos escrevo.
    Pois se Jesus a longo prazo ainda faz sucesso noutros colossos, resta-me (opinião pessoal) concluir que está a ter algum fracasso na presente temporada.
    Ora vejamos, se com um investimento bastante superior ao do Sporting de Braga, o Benfica de Jesus tem mais golos sofridos do que o anterior visado, é de retirar as seguintes ilações que nem sempre são favoráveis, levando-me a concluir este meu raciocínio com alguma legitimidade.
    Esse reduzido fracasso será por algumas peças da defesa do Benfica não serem assim tão eficazes como 6 milhões de pessoas querem crer, ou mesmo o valor transaccional nos quer impingir!!? Mas ao analisar os últimos jogos do Benfica são notórias algumas fragilidades no sector mais recuado. Pondo a tese que o Benfica a defender não é assim tão capaz como querem crer. O “Ai Jesus” é uma constante nos últimos jogos, mais concretamente na defesa (como foi no ultimo jogo, mesmo acabando a golear o Marítimo).
    Na sorte é preciso ter-se humildade para a reconhecer, pois não é nenhuma vergonha, mas sim um factor que pode contrariar algumas teses baseadas em evidências numéricas, e que por ventura pode dar lugar a ilações desajustadas.
    Concluindo assim que o Braga tem uma defesa bem consolidada, mesmo sem algumas peças (ex. João Pereira) que faziam parte do plantel comandada por Jorge J. Respondendo ao “PS III” (!!?) que Domingos Paciência até tem também alguns neurónios comprovado pelo seu trabalho que mostrou no(s) clube(s) que passou.

    Nota I: Comparar a defesa/equipa que Quique montou na transacta temporada, não serve de bitola para os dias que correm, nem para os tempos vindouros (não podemos esquecer que o Benfica na temporada anterior teve quase a ocupar o 4º lugar).

    Nota II: Ninguém mete em causa o bom futebol praticado pelo clube das águias.

    Nota III: Ao ser-se critico de futebol, as análises devem ser claras, assertivas, isentas ou susceptíveis de qualquer tendência clubista, focar o essencial e não o acessório.

    Nota IV: Esta clarividência implorada pela minha pessoa, é só para que a informação que nos é transmitida pela web não seja cheia de inequívocos, e que pode tornar-se maliciosa para aquelas pessoas que não têm o chamado filtro. Digo isto porque citando este excerto do blog, nomeadamente o que segue (…) “é o criar de uma linha formada por 4 jogadores, alinhada de forma horizontal e paralela à linha de fundo”. É de chamar atenção que geometricamente é inconcebível os jogadores andarem no campo sem ser numa trajectória horizontal. Embora na mitologia grega, Ícaro tinha asas nos pés e podia deslocar-se na vertical! Por isso peço solenemente que tenham em consideração a “Nota III”.

  4. Penso que o Benfica, estando de acordo com o que relatas, só precisa de evoluir os guarda redes como membros integrantes da equipa. Estnado o Quim (ou Julio Cesar menos vezes) um pouco mais subido e interventivo nas bolas das costas da defesa, haverá ainda menos lances de perigo nas suas zonas. Por outro lado o Benfica tem 4 ou 5 golos sofridos de bola parada, por não ter um guarda redes que limpe a sua zona de intervenção, tanto a "soco" como agarrar as bolas mais fáceis.

    Acho que é a única coisa que o Benfica precisas neste momentos é de um guarda redes.

    http://www.geracaoaventura.com

  5. parecendo que não também facilita poder fazer faltas não assinaladas dentro da área. uma com o sporting, duas com a académica, uma com o porto, uma com o rio ave e outra com o marítimo. estarias certamente a fazer um post totalmente diferente!

  6. Acompanho este blog à já algum tempo, e até tenho concordado com tudo o que aqui se escreve.Mostram uma grande cultura futebolistíca, contudo e em alguns momentos exacerbada. Gostava de saber onde é que o Maxi Pereira possui uma cultura posicional fantástica? Para além de ser burro que nem uma porta, para além de decidir mal, para além de passar mal (reparem que ele só apresenta 2 opções no passe : Ou directo – chuto para a frente e fé no Cardozo e no Saviola – ou o passe SEMPRE à queima para a linha para o Ramires receber – que para além de demorar muito tempo a executa-lo, faz sempre quando os adversários já estão restabelecidos e conseguem cobrir o Ramires), para além de não ter velocidade nenhuma, e para além de ter um péssimo cruzamento, ainda consegue ser péssimo a auto-discplinar-se tacticamente. A única coisa que safa no jogador, e que são as qualidades que fazem com que não se note tanto os defeitos, é a sua resistência física, a garra que possui e a agressividade com que discute cada lance. É um jogador vulgaríssimo, e consigo encontrar 10 jogadores na liga Portuguesa e na sua posição melhores do que ele.

    Continuem com o bom trabalho,

    Cumprimentos.

  7. Excelente análise.

    E penso que não podemos dissociar essa forma de defender da qualidade do trinco, que sabe sempre onde e quando fazer a "compensação".

    Quem seguiu esse treino no inicio da época não tirou notas? Não haverá maneira de descrever o dito exercício??
    É que parece um exerciccio bastante interessante e gostava de saber como funcionava.

    Óbviamente que este braga tem "dedo" de Jesus.
    Só não vê quem não quer.

  8. Bela análise, PB, mas já agora, queria que vocês analisassem a maneira de defender as bolas paradas do Benfica, nomeadamente os livres laterais a mais de 20 metros da baliza, onde o Benfica, na minha opinião, apresenta dificuldades.

  9. Estas espécies de artigos não são passíveis de comentários, caríssimo PB!!? :S É que eu até acompanho o blog (com opinião favorável) já algum tempo e denoto com grande insatisfação minha que o mesmo está numa fase descendente. É que eu não falo essencialmente do conteúdo mas sim da forma. E só queria ajudar, mas se o caminho é a perda de identidade e percepção, que assim seja!… (só espero que ao menos quem redige estes artigos não seja professor! Coitados dos alunos!)

    Cumprimentos e força, pois acho que conseguem!

  10. sr H1N1, antes de mais, mt obrigado por considerar que o blog está na fase descendente, mas essencialmente na forma. É que na realidade, está na fase descendente tanto no conteúdo, como na forma.

    Não interessa a razão.

    Quanto as preocupações, ainda que agradecido, peço que não as tenha. Este blog não passa de um projecto amador, feito por amadores, sem pretensões. Não é feito para agradar a ng, pelo que se nós proprios nos estamos a cagar para isto, tb n faz sentido ng se preocupar mt c este espaço. Ainda que, mais uma vez, agradeça a dita preocupaçao!

    E fique tb descansado, pq quem redige estes artigos, n ensina ng a escrever. Como poderia, qd é aqui assumido q o jeito para o fazer é pouco ou inexistente???

    Obrigado por nos visitar, mm nesta fase (ainda q me seja absolutamente indiferente se isto tem 70 ou 700 visitas diárias…)

  11. Grande PB,

    H1 N1 é um pseudónimo ou um disfarce de Henrique N. e o que escrevi foi uma partida numa noite de insónia.
    Desculpa, mas achava que deveria num dia destes assinalar em jeito de brincadeirinha, o quão de bom tem sido estes inúmeros artigos, e o que tem permitido aos comuns dos mortais (como eu) conhecer de uma forma precisa os princípios/noções essenciais no futebol. Acho que mesmo a “cagar “para este espaço é notável como consegues ser o melhor quer na forma quer no conteúdo.
    Por isso, simplesmente PARABÉNS e que continue por muitos anos…

    Abraço.

    Nota: Dspa a agressividade da brincadeira mas se não o fizesse não tinha tanta piada! LOL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*