Quatro treinos, três pontos.

O título não pretende sugerir que Paulo Bento é tão qualificado que quatro treinos foram suficientes para vencer o mais conceituado opositor do grupo H. Apenas validar a crença de as características de um bom treinador de clubes, não são necessariamente as mesmas das de um treinador de selecções.
Sem tempo para treinar (a excepção é o estágio pré grandes competições), a competência táctica deixa de ser o ponto mais decisivo para chegar ao sucesso. A um seleccionador cabe escolher bem. Boas e independentes escolhas é o factor primordial para chegar ao sucesso. Os traços enquanto líder e a capacidade para mobilizar todos os jogadores em torno de um objectivo comum, são também características a não descurar.
Paulo Bento, por tudo o que se conhece do seu profissionalismo e da sua personalidade, tem tudo para ser o homem certo. No imediato, é inegável que a selecção voltou a conquistar o respeito de todos nós.
P.S.- Em relação às opções técnicas, explique quem souber. Porque é que poucos meses volvidos Portugal apresenta (e bem) um onze com três jogadores que não estiveram sequer no Mundial. E porque é que voltámos a ter um centrocampista à frente dos defesas centrais (parece finalmente não haver obrigatoriedade de Bruno Alves jogar de início). Das duas uma. Queiróz não era um treinador independente, capaz de pensar e decidir por si. Ou é um incompetente. Qual dos traços é mais abominável, decida você.
P.S. II – João Moutinho joga muito. Tudo o que precisa é de uma equipa ao seu nível.
P.S. III – Discutir se Ronaldo é o melhor jogador português é uma discussão nada absurda. Então se comparada com a dúvida sobre quem é o melhor do mundo, faz até imenso sentido.

P.S. IV – “Os jogadores estão contentes”.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

15 comentários em Quatro treinos, três pontos.

  1. Concordo em absoluto com o texto. Gostaria apenas de comentar o terceiro PS, que acho adequado:

    Que Ronaldo é, do ponto de vista atlético e técnico (conjuntamente), o melhor jogador português não tenho dúvida nenhuma; já quanto ao aspecto de entendimento do jogo, atrevo-me a dizer que nem sequer está nos 5 primeiros. A incapacidade, além do óbvio egoísmo, de escolher e decidir bem é gritante. Diria que decide mal em 50 por cento dos casos. Como é muito forte, do ponto de vista físico, e muito capaz, tecnicamente, faz quase esquecer para alguns as suas exibições quase sempre medíocres na Selecção. Porquê? Porque depois no resumo aparece o Ronaldo a rematar 5 vezes com perigo à baliza, a cruzar para um golo e a fazer ele próprio outro golo. Mas chega? perguntarão alguns. Eu digo que não. Este Ronaldo, se algum dia entender o conceito colectivo que deve ter quando joga por Portugal, será uma mais-valia muito maior do que neste momento é.

    Como é que se lhe ensinam certos princípios? O Paulo Bento pode começar por um exercício simples: mostra-lhe o vídeo do jogo de hoje e diz-lhe para repetir à exaustão a inteligência e entendimento sublimes que tiveram Coentrão, Moutinho e Meireles.

    Pode não ir a tempo de aprender tudo mas ainda não está totalmente atrasado de perceber alguma coisa.

  2. Subscrevo tudo, sem tirar uma vírgula.
    Excepção ao Ronaldo, e já sabes porquê 🙂

    Com Paulo Bento vamos longe. Só não percebo duas coisas: ainda se insiste em Liedson. Quaresma está à frente de Varela na lista.

    Eduardo
    Rui Patrício
    Beto
    Bosingwa
    Silvio
    Fabio Coentrao
    Carriço
    Carvalho
    Bruno Alves
    Pepe
    Mendes
    Veloso
    Meireles
    Tiago
    Amorim
    Moutinho
    Martins
    Nani
    Quaresma
    Danny
    Ronaldo
    Postiga
    Almeida

    E ainda temos Joao Pereira, Rolando, Micael e Varela, para uma necessidade.

  3. Ricardo, acho um piadão ao Ronaldo ficar chateado com o Postiga qd este numa situação de 1×0 opta rematar à baliza. Que pensarão os colegas todos que fazem sprints atras de sprints na transição ofensiva, para depois nc receberem a bola pq o menino passa o jogo todo a chutar de todo o lado à baliza.

  4. Já agora, se me permitem a ousadia. Se Ronaldo decide bem na maioria das quase infindáveis situações de perigo iminente (sp em contra-ataque), teria sido uma goleada histórica. Perdi a conta aos lances que ele estragou (ou com remates à baliza q foram valendo cantos, ou qd retardou o passe para o Fábio. Qd o passe saiu, já o Fábio estava fdj)

  5. PB,

    Esse lance é de uma ironia total, de facto. O homem passou o jogo a rematar à baliza quando tinha uma, duas e, por vezes, três soluções melhores e depois fica todo chateadinho quando o Postiga remata à baliza. É de rir.

    De qualquer forma, não condenando o Postiga pela decisão – visto que estava em boa situação de remate -, uma simulação e um passe para a esquerda, onde estava Ronaldo, teria sido, do meu ponto de vista, a forma mais correcta de chegar ao golo.

    Que o Ronaldo o critique é que é cómico.

  6. Moutinho é um jogador enorme. Não é um jogador completo, faltam-lhe coisas importantes a um médio (remate, por exemplo), mas em tudo o resto é muito superior à média.

    Ronaldo nem deve sequer ser dos 10 melhores jogadores portugueses a decidir jogadas. Completamente ridículo. Em termos atléticos e técnicos é o melhor, mas a decidir é um pateta.

    Quem convocou Deco e deixou Martins e Moutinho de fora merecia um prémio. 50 chibatadas no lombo.

  7. Não concordo de todo que Ronaldo decidi-se sempre assim tão mal… decidiu mal quando numa situação de quatro para dois rematou à baliza mesmo estando numa situação frontal, e decidiu lento quando não fez o passe para o Coentrão no tempo adequado. Contudo vi um Ronaldo a jogar várias vezes ao primeiro toque, a optar bem, como por exemplo no passe ao Postiga, a fazer uma assistência e a fazer um golo. Acho que nunca poderemos pedir que Ronaldo seja um prodígio em decisões correctas, nem um "lhe vamos ensinar todos os princípios" que outros jogadores tem, se fosse assim que Paulo Bento ponha o vídeo para muitos Portugueses.
    Não poderemos continuar a pedir a Ronaldo a perfeição, acho que temos de nos moldar as "limitações" que ele tem. E dentro dessas "limitações" acho que ele fez um bom jogo, talvez o melhor à largos tempos na selecções.

    De resto bom jogo da selecção num contexto difícil, com os melhores jogadores neste momento, sem invenções, com bons momentos e uma circulação de bola a primeiro toque que é sempre agradável ver.

  8. Boas!

    Post importante principalmente pelo inicio – Treinar clubes e treinar selecções é muito diferente.

    Numa selecção, mais do que ser um génio da metodologia do treino, é decisivo ter uma liderança forte, e conseguir passar a mensagem de uma forma clara.

    Ter principios de jogo bem definidos para que o pouco tempo que se tem para treinar, seja suficiente para que os jogadores entendam a maneira como se quer jogar. Ajuda muito, se for algo familiar, o que pareceu ser a opção.

    1:4:3:3 com 1 Médio Defensivo, e jogar com bloco médio alto, preferindo um ataque posicional sem esquecer as transições rápidas é utilizado pela maioria das selecções jovens, e por muitas equipas durante a formação, pelo que é uma maneira de jogar familiar para a maioria dos jogadores.

    Ser justo nas convocatórias, e ter uma liderança forte, é o que se pede a um selecionador.

    Paulo Bento aparentemente… tem o que é preciso, vamos ver o resultados.

    Para já… estava com "fé" e deu-me razões para voltar a estar atento a selecção.

    Thx PB por mais um bom post.

  9. Ricardo, na minha opinião, o Ronaldo é o melhor jogador português. Mas,se calhar Nani, Quaresma e Fábio Coentrão estão mais próximo dele, do que ele está do Messi. Basicamente, é isso.

  10. PB e Bodhi,

    Na mouche. Ser um bom seleccionador NUMA NACAO COMO PORTUGAL e essencialmente uma questao de bom-senso e capacidade motivacional. Portugal tem um potencial futebolistico entre o top-10 das Seleccoes de futebol da Europa. Estamos MILHAS acima da Noruega, Dinamarca, Islandia e Chipre. Portanto, "so" e preciso alguem com tino e capacidade de escolher os melhores, montar uma tactica com pes e cabeca e elevar os niveis de motivacao para vencermos 90% dos jogos da qualificacao.

    Estando qualificados e tendo aquele periodo de 3-4 semanas que todas as Seleccoes teem antes do torneio final, a coisa fia muito mais fino. As capacidades (ou ausencia delas) tacticas ficam a nu. Ha bem uma razao para as prestacoes dispares da Franca, Inglaterra e Alemanha no Mundial 2010. Mas como ainda nao chegamos la…

  11. Belo texto, concordo com tudo, até na parte dos «p.s.» explicados nos comentários sobre o Ronaldo. Agora, sobre o Paulo Bento (P.B.??? um texto de «auto-elogio???) vocês não sabem a melhor no que toca a naturalizações… Tudo explicado, como de costume, no meu blog!

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com

  12. Estou sempre a bater no mesmo ceguinho: Os jogadores é que fazem a equipa. Foram os jogadores que mandaram o Queiróz embora, são estes mesmos (o mesmo grupo) que acolhe o Paulo Bento. Houve ali uma mudança essencial: o Bruno Alves no banco e o Pepe cá no lugar dele. O Meio campo… meu deus, a bola já não parecia ter vontade própria!

    Os ciclos começam e terminam… iniciamos o ciclo do Paulo Bento, que se espera vitorioso mas lembrem-se, tambem o plantel do Sporting o pos fora!

    Na selecção o principal é ter a visão de qual o melhor grupo de jogadores, quais os que melhor se adaptam a um modelo de jogo que está há muito definido para nós, e principalmente, ser camarada, consensual e aceite pelo clâ reinante.

    Grande abraço,
    Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*