Portugal 1-0 Arménia

Fernando Santos, treino. Desde a chegada do novo seleccionador que tenho dado especial atenção as declarações dos jogadores, sobretudo antes do jogo. E das mesmas retiro uma grande mudança na selecção no que à gestão do tempo de trabalho diz respeito. Sempre dissemos que não há tempo para treinar grande coisa na selecção, e que por isso é fundamental ter os melhores em campo. Mas não ter tempo para treinar grande coisa é diferente de não treinar nada como se fazia com o antigo seleccionador, que só treinava o seu modelo de jogo antes das grandes competições. As declarações de Nani (entre os jogos com a França e a Dinamarca) e agora de Moutinho, mostram que o seleccionar quer implementar uma ideia de jogo, ainda que não tenha muito tempo para gerir esse processo. Treinar alguma coisa é bem melhor do que não treinar nada e lançar os jogadores soltos em campo.

Coragem. Fernando Santos gosta de um bom futebol de ataque. E vai de certeza, ainda que não garanta melhores resultados, divertir quem como eu gosta de bom futebol. Mas alguma vez alguém pensou em escalonar no mesmo onze inicial Raphael Guerreiro, Bosingwa, Tiago, Moutinho, Nani, Danny, Ronaldo e Postiga? Então e o jogo aéreo, fica todo para Carvalho e Pepe?! Como disse o seleccionador, e bem, nestes jogos pede-se que a selecção jogue na maior parte do tempo em 3x3x4. Porque vai ser dominante, porque tem mais qualidade que o adversário, e como tal, devem jogar aqueles que mais qualidade têm no momento em que a selecção vai jogar na maior parte do tempo. A escolha deste onze não foi um acaso, e poder-se-à esperar o mesmo atrevimento contra adversários do mesmo perfil.

Gostei. Raphael Guerreiro. É craque. Qualidade técnica, tomada de decisão, velocidade. Procura de desequilíbrios em apoio, procura do corredor central ainda que o lance não acabe com um granda cruzamento. A minha única dúvida prendia-se com a sua personalidade, no que toca a responder com qualidade à responsabilidade de um jogo desta natureza. Não desiludiu. Este não engana.

Não gostei. Éder. Mas será possível que nem depois de quatro toques a bola fique redonda?! Mostra debilidades em todos os jogos que faz pela selecção. Ali, no meio dos melhores, a jogar contra os melhores, percebe-se que não está ao nível que se exige.

Nota. Hoje percebe-se melhor que os atritos dos jogadores com Paulo Bento, e dele com os jogadores retiraram muita qualidade a selecção. Carvalho, Danny e Bosingwa acrescentam muito, são titulares de caras. E com Tiago, ainda que não se tratasse de um problema, deveria ter-se feito o mesmo que com Figo no passado.

PS: O facto do mais criativo em campo ser um arménio não deveria preocupar os portugueses? Principalmente os portugueses que formam…

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2364 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*