Os dois melhores modelos do Euro em confronto

É imensa a riqueza do jogo que estamos a assistir. Duas equipas com dois modelos bem definidos em todos os momentos do jogo. Em ataque posicional, em ataque rápido, em contra-ataque, em organização ou transição defensiva.
Alemanha. Mais contida nas acções por dentro. Quase sem passes verticais e sem jogo interior. Tentativa de criação de superioridade no corredor lateral para depois atacar a finalização com 3 homens em cima dos centrais da Itália. 3 centrais para fechar os dois avançados italianos. Ozil e Muller no corredor lateral mas em apoio, deixando largura para Kimmich e Hector. Reacção fortíssima à perda, abafa logo a transição ofensiva. A selecção alemã a conseguir o golo da forma como se propôs a atacar.  Superioridade nos corredores e finalização.
Itália. Os habituais movimentos a contrastar difíceis de anular. Avançados em apoio, Giacherini na profundidade. Pelle em apoio Eder no espaço. Enquadrados no corredor central espera pelos laterais para depois colocar na finalização. Saída de bola com laterais na profundidade e interiores a receber na largura. Tentativa de aproveitar maior competência técnica e maior proximidade dos interiores a receber com espaço para jogar no apoio frontal, e rodar para o outro corredor. Jogo interior e passes verticais sempre presentes. Reacção fortíssima à perda, para recuperar para trás da linha da bola em posições mais conservadoras. Bonucci a colocar na profundidade.

Kroos fora do jogo pela forma como pressionam ou simplesmente fecham o espaço Pelle e Eder. Law respondeu a isso na segunda parte deixando Kroos para trás e adiantando um dos centrais. Mantém a superioridade numérica 3×2 para os avançados italianos, e um dos centrais joga em zonas muito mais adiantadas na segunda fase de construção. Kroos apenas como engodo. Maior risco pela menor competência defensiva de Kroos. Percebeu-se na segunda parte, como contra a Espanha, um menor fulgor da Itália pela exigência física em que o modelo assenta, para médios e laterais sobretudo. Linhas mais baixas, e menor rigor.

As duas melhores equipas que tivemos a jogar o campeonato da Europa, infelizmente apenas uma tem a possibilidade de jogar a final.

Blessing
Sobre Blessing 88 artigos
Treinador de futebol, de momento na formação. Experiência como Treinador Adjunto no escalão de seniores masculino e feminino, tendo esta época culminado com a conquista de todas as provas nacionais em disputa. Desempenha também funções como Scout para 1ºLiga. Criador do Blog Posse de Bola

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*