João Mário no Inter

A notícia carece de confirmação oficial e será sempre muito cedo para se falar dela até lá. Fica no entanto um excelente exemplo de um dos factores que muito influencia a carreira dos jogadores, que são as que escolhas que fazem ou são obrigados a fazer para o seu futuro.

Com nível que João Mário apresenta, é e será sempre um jogador a ter em conta. Mas será que o clube onde se propõe a trabalhar o melhor para elevar ou manter o seu rendimento actual? Será esse o melhor caminho para que continue a ser figura falada no futebol pelo joga e faz jogar?

Não se deve recriminar quem escolhe a vertente financeira, que é sempre demasiado importante numa carreira curta como a do futebol. Os comboios não costumam passar muitas vezes. Mas fica sempre um sentimento de tristeza quando se olha para o que centenas de talentosos escolhem ou são obrigados a escolher como o passo seguinte das suas carreiras. A confirmar-se, temo pelo que poderá ser o futuro de um fantástico jogador.

Ps: Continua a ser impressionante o que os clubes têm gasto com jogadores como André Gomes, Pogba, ou João Mário. Sem o tal desequilíbrio individual que vai ser fundamental para quebrar os muros consistentes que se vão cada vez mais enfrentar. Talvez seja por não existirem Iniestas e Silvas em número suficiente.

Blessing
Sobre Blessing 88 artigos
Treinador de futebol, de momento na formação. Experiência como Treinador Adjunto no escalão de seniores masculino e feminino, tendo esta época culminado com a conquista de todas as provas nacionais em disputa. Desempenha também funções como Scout para 1ºLiga. Criador do Blog Posse de Bola

25 comentários em João Mário no Inter

  1. O De Boer é assim tão mau?

    Não irá a Juventus apostar em qualidade agora que tem bolsos cheio? E o Milan com a venda aos chineses quer recuperar os velhos tempos? E a Fiorentina de Sousa ou o Nápoles de Sarri?

    Abraço

  2. E é o sítio ideal para um jogador que está pronto para render já um campeonato em recuperação? Um clube em recuperação? Se fosse um miúdo para crescer com muito erro, entendia. No caso dele, não. A sair do Sporting, na minha opinião, só para jogar num clube de Champions, ou numa liga super mediática onde defronte constantemente os melhores (Inglesa). Quantos mais anos vai estar afastado, por exemplo, da Champions? Até pode nem ser o caso mas as previsões não são as que deixam melhores garantias, certo? E eu até posso estar redondamente enganado e ele até dar um salto na carreira por essa transferência. Veja-se, por exemplo, James. Porto-Monáco-Madrid.

    Cumps RG

    • Blessing,

      Compreendo ponto de vista, no entanto parece-me que o campeonato italiano e o Inter estão na fase final da transição…acredito que na próxima época, senão já mesmo nesta o gap para os outros campeonatos irá ficar mínimo, caso contrário o investimento brutal que veio da China e de Singapura não fará sentido, ou fará se for numa de lavagem de dinheiro pura e dura.

      O que me faz duvidar da opção é De Boer que não sei se estará preparado, embora o seu Ajax tivesse algumas coisas interessantes.

      Veremos, e esperemos que o João mantenha a evolução.

      Abraço

  3. Blessing, excelente. Subscrevo totalmente as 3 ideias.

    – Não é possivelmente o melhor destino dado que o Inter para além de nem sempre lutar por títulos ou sequer participar na LC é um clube instável mais habituado a fazer experiências do que outra coisa qualquer.
    – João Mário não será um jogador pelo qual valha a pena pegar tanto, pelo motivo que apontas: “sem o tal desequilíbrio individual que vai ser fundamental para quebrar os muros consistentes que se vão cada vez mais enfrentar”.
    – É um de mais exemplos da demência que se apoderou de alguns clubes na facilidade como estoiram dinheiro em bons jogadores que não são mais do que isso mesmo, bons jogadores.

    Sobre a primeira ideia, em 2013 sobre João Moutinho e James:

    (…) Na perspectiva dos próprios, confesso alguma perplexidade. Não censuro, como exemplo, atletas que em fim de carreira pretendam assinar os contratos financeiramente mais interessantes. Tivemos nos últimos 6 meses o caso típico de Liedson. As motivações variam consoante os estágios de uma carreira, em futebol, normalmente curta, sendo natural que com poucas épocas de actividade pela frente um jogador opte pela solução monetariamente vantajosa. Já para jogadores no pleno das suas capacidades, em idades como as de João Moutinho e James, profissionais que deveriam dar primazia não a um clube, nem a um contrato, mas à sua carreira desportiva, tenho dificuldade em entender as opções que tomaram. Se é evidente que o campeonato Francês não perde relativamente ao Português, não é menos verdade que o AS Mónaco não está no mesmo plano clubístico do FC Porto. No âmbito de valorização desportiva os jogadores saíram a perder. James tem tempo para sair do Mónaco rumo a um emblema / equipa melhores. João Moutinho, não tanto, não sendo igualmente líquido que o emblema Francês nos próximos anos se disponha a transferir jogadores pelos quais pagou tamanha verba.

    http://autenticosporting.blogspot.fi/2013/05/faca-chuva-ou-faca-sol-uma-maquina-boa.html

    Se é óbvio que o campeonato Italiano é mais forte do que a Liga Francesa, o contexto que verá o João Mário competir numa equipa que dificilmente discutirá títulos é “assustador” para um bom jogador que teria espaço noutras equipas Europeias de topo que lutam por campeonatos e pela Liga dos Campeões. Por outro lado, pode ser que no Inter seja mais fácil pegar de estaca. Esperemos que sim.

  4. E já agora só mais uma ideia pequena, desculpa lá os comentários longos Blessing: na perspectiva do Sporting, o que resta? Campeonato começa amanhã, João Mário é / era / seria um de 3 jogadores mais ou menos especiais que o Sporting tem, juntamente com Patrício, William e (porque não?) Bryan Ruiz. Especiais em Portugal, pelo menos. Patrício é GR ficando a sobrar 2 jogadores caso o J. Mário saia, William e Ruiz.

    Não são só os jogadores que tomam más decisões. Neste caso o Jorge Jesus andou uns bons passos para trás, embora a culpa não seja totalmente sua porque no dia em que assinou pelo Sporting tínhamos lá jogadores como o Eric Dier e o André Carrillo. Hoje temos possivelmente um plantel ao nível de 2010/11. Sim, a um só dia de começar o campeonato isto também é completa demência.

    • Lamento MM mas Eric Dier saiu em 2014/2015….Claro que se pode ir na conversa do Benfica e achar que JJ já era treinador do Sporting enquanto tinha contrato com o Benfica.

      E o que são especiais? Gelson não o é? Podence não o é?

      • RG,

        Jogadores que fazem parte das principais opções para a equipa, jogadores frequentemente utilizados ou sobre os quais se perspectiva utilização regular. Podence não está nessa categoria embora possa vir ou devesse estar, dada a sua qualidade e a falta de boas soluções no plantel.

        Tem razão em Eric Dier, não estava cá quando J. Jesus assinou mas nem por isso a mensagem muda. Carrillo estava e Eric Dier até poderia ter saído no início de 2013/14 já que por algum motivo não jogava com Leonardo Jardim. Quando J. Jesus veio para o Sporting presumo (eu) que julgasse (ele) que iria ter um 11 muito melhor à sua disposição – é só isso.

    • Sim. Começam a escassear jogadores especiais, e por cada um que sair o Sporting precisará de ir ao mercado encontrar um jogador que tenha tamanha influência. Vai ser sempre difícil.

      • MM

        Jogadores que fazem parte das principais opções para a equipa, jogadores frequentemente utilizados ou sobre os quais se perspectiva utilização regular.

        Nesse caso daqui a uns meses estaremos a falar de Coates,Podence, Semedo,Gelson, B.Cesar,porque não duvido que dentro desse padrão ( frequentemente utilizados ) serão os nomes que podemos dar.

        E tal como diz o Blessing:

        “Sim. Começam a escassear jogadores especiais, e por cada um que sair o Sporting precisará de ir ao mercado encontrar um jogador que tenha tamanha influência. Vai ser sempre difícil.”

        Essa é uma das consequências de ter JJ ao leme da equipa, a valorização de jogadores que serão sempre pretendidos e, terão também na cabeça a sua valorização desportiva e sobretudo financeira.

        No entanto havendo qualidade e é, na minha opinião, uma das qualidade de JJ, lapidar diamantes!

        Abraço aos 2

  5. Tudo depende do respaldo que o De Boer ira ter no Inter, que vai depender de resultados e do balneario de primas-donnas estar disposto a aprender a jogar um tipo de futebol muito diferente do do Mancini. Ou seja, o João Mario foi potencialmente meter-se num belo sarilho. A concorrência da Juve, da Roma e do Napoles é forte, e do Inter espera-se que lute pelo titulo.

    Ja foi ha muitos anos, mas ao ultimo holandês com H grande que passou por la (Bergkamp), foi-lhe prometido que o Inter ia jogar à Ajax, e acabou por esbarrar numa cultura de futebol defensivo e treino meramente fisico que em dois anos quase o destruiu como jogador. O Inter pode ter evoluido muito, mas a mentalidade do adepto e jornalista italiano é a mesma: tendo em conta o dinheiro que ele vai custar, do Joao Mario vai-se esperar que drible e decida jogos sozinho (à Iniesta, como mencionado no artigo) que é precisamente o tipo de jogador que ele não é.

    Seria interessante saber se o agente actual dele é o mesmo que negociou a ultima renovação de contracto, e porque é que aceitou uma clausula de rescisão tão grande, que no fim lhe limita grandemente as hipoteses de mudar de clube. Mas isso são outras historias, imagino.

    Peço desculpa pela falta de acentos: teclado estrangeiro.

  6. Não sei até que ponto é que não podemos falar em marginalização, olhando para a possibilidade que colocas de não haver Iniestas e Silvas em número suficiente. Tenho para mim que esse estilo de jogador é o mais ostracizado de todos, quer pelos treinadores, quer pelos observadores, comunicação social, adeptos etc.
    Esse tipo de jogador precisa sempre de ter a sorte de ter um treinador que realmente perceba a mais valia que pode ser, como o Iniesta teve com o Guardiola por exemplo. Não vejo o mesmo acontecer nas outras posições. Sobretudo se pensar no médio defensivo voluntarioso e robusto, no central grande e com garra, no avançado que marca muitos golos de cabeça ou no extremo veloz.

  7. E enquanto Joao Mario sai por 50 milhões, Bernardo Silva, um dos tais que tem capacidade para rasgar muros, vai ficando um pouco esquecido no Monaco, onde já nem titular absoluto é. Bernardo tinha que sair quanto antes para Espanha. O campeonato frances é o pior possivel. Cada equipa tem um punhado de monstros fisicos que se há coisa em que são fortes, é nos duelos individuais. Bernardo vai perdendo confiança no 1×1 em França. Espanha era o ideal para ele, nem que fosse primeiro num clube como o Valencia. Mexe-te Mendes…

  8. Nunca achei o João Mário um grande jogador. Acho-o bom jogador, como há outros a jogar em Portugal mas está longe de ser o melhor. Na minha opinião.
    Acho o seu preço muito exagerado, só possível pela situação do seu empresário dentro da conjuntura em que se encontra o Inter que está numa encruzilhada. As encruzilhadas dão muitas vezes origem a muitos enganos, a confusões e algumas desorientações. Acho que é o que se está a passar.
    O futebol italiano é um futebol intenso e físico e isso não favorece o JM, futebol de que eu não gosto muito particularmente. Também acho que o futebol inglês ou francês, especialmente este, seria o mais aconselhável, mas não há nenhum clube que desse mais do que 20M que é o que eu penso ser o preço certo. Os ingleses têm dinheiro, usam-no mal, mas por vezes mostram alguma clarividência.
    As suas exibições no Europeu e na Europa mostraram o que vale. Não foi grande coisa. Engraçado que o Mancini há pouco tempo disse mais ou menos isto, que era bom jogador mas que para Itália precisava de muito tempo de adaptação. Não que o deseje, mas prevejo mais um flop.

  9. Incrível como acham normal 35 milhões + objetivos até 80 pelo Renato Sanches e depois ficam chocados por darem 50 milhões pelo JM, 35 pelo AG ou 110 pelo Pogba que são muito mais certezas que p Sanches e como tal com muito menos risco. O futebol anda completamente maluco. Qualquer jogador normal vale milhões. Já não me chocam estes valores, muito sinceramente. O Benfica ainda agora pagou 24 milhões por um avançado banal e já antes tinha pago 16 pelo Pizzi. E fala-se em vender o Rafa por 20 milhões. Hoje em dia no futebol os milhões são como os amendoins. É cada vez menos refletem sequer a qualidade do jogador.

    • Na minha opinião, de acordo com o que eu observo, a aposta no Renato é um risco menor do que noutros jogadores, dada a evidente qualidade que o jogador mostra. O facto de ter apenas 18 anos e apresentar uma tal qualidade não apenas nos aspectos tácitos e técnicos como, acima de tudo, no aspecto da personalidade, um factor muito importante mas que é ignorado pela maior parte dos “entendidos da bola”, oferece um risco menor ao investimento.
      Do mesmo modo que os “scouters” viram um valor futuro em David Luis, Di Maria, Matic, etc., que foram mais do que confirmados.
      Pessoalmente, se tivesse responsabilidades de “scouter” ou tivesse decisão de investimento, daria mais depressa 35M pelo Renato do que 110M pelo Pogba. Não acho Pogba muito melhor do que o Renato apesar de haver 5 ou 6 anos de diferença. Mas isso é apenas a minha opinião.
      Jimenez, que custou 22M, hoje já não é um avançado banal. Tem uma enorme margem de progressão e uma personalidade que garante que irá continuar a crescer. Para um avançado com apenas 25 anos isso é o mais importante.
      O JM se hoje vale 40M o Rafa vale a mesma coisa, porque eu não acho o JM superior. Mas é apenas a minha opinião.

  10. O Kovacic também saiu do campeonato croata para o Inter e acabou por dar o salto para Madrid.
    Se o João Mário mostrar o que sabe e, obviamente, evoluir, irá sempre ser reconhecido.

  11. Compreendo a 100%. Alias a 200%, na vertente da exposição.
    O conhecimento geral da liga portuguesa é quase nulo. Passam muito poucos jogos, ninguém acompanha, nem sabem quem ganha.

    A italiana continua a ser melhor montra, mesmo fora da champions.

    De ver a grelha de transmissão da BT sports ou dos canais da alemanha para confirmar.

  12. A malta chega ao post e até tem vontade de comentar.

    Abre a caixa e lê que o Renato não é tão diferente do Pogba e que o Rafa está ao mesmo nível do João Mário e perde logo a vontade toda.

    Gosto muito do João, é um jogador fino, com muita classe, extraordinariamente capaz de segurar jogo e de o entender. Jogar na ala fez com que crescesse na maior lacuna que acaba por ter, que é o 1×1. Continua a ter essa limitação, mas entendeu como contorná-la na maior parte das situações.

    Agora, claro que sim, o dinheiro fala muito alto. Para o clube e para o jogador. Custa-me muito ver um jogador deste calibre a poder perder-se na instabilidade do Inter mas, claro está, são opções de carreira. Oxalá lhe corra bem, a confirmar-se, mas acredito que o Inter não saberá o que está a pagar. Se querem alguém que ponha a equipa a funcionar, é ele. Se querem alguém que resolva os problemas da equipa individualmente, vão ficar muito desapontados.

    Vamos ver, estou curioso. Mas ficaria muito feliz se, a sair, o fizesse para outra equipa e em particular para outro campeonato.

  13. O que o Inter precisa é de arrumar a casa. O clube tem jogadores de qualidade como é o caso de Jovetic, Eder Banega entre outros. Mas depois também tem jogadores que já deviam ter saído do clube a muito…
    Mas acredito que com quatro ou cinco boas contratações o Inter volte aos bons velhos tempos, e o JM foi a primeira dessas contratações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*