A nova cara do Porto: Otávio.

O golo de Herrera é fantástico, mas foi a exibição de Otávio que ficou na memória. No vídeo percebe-se a dificuldade do lance tendo em conta a forma como recebe, e a pressão imediata dos jogadores do Rio Ave. De forma simples deixou André André numa situação muito vantajosa com a bola controlada.

otavio

Percebe-se o enorme potencial de Otávio depois do jogo em Vila do Conde. Com pormenores por limar, é claro. Mas com demasiada qualidade para ser ignorada. Qualidade técnica para executar o que imagina, e sobretudo muita imaginação. Invade espaços interiores com frequência, e procura colegas para combinar. A forma como de apoio frontal em apoio frontal encontra Herrera para o golo um exemplo. Tem a agilidade, a técnica, e a coragem para manter a bola dentro do bloco adversário, bem como a velocidade na decisão e na execução. Tem desequilíbrio individual, e é rápido. Não se movimenta apenas para receber a bola no pé, também solicita no espaço. Tem uma preocupação constante em criar condições para ele ou os colegas receberem melhor, e não se poupa na altura de reunir forças para o trabalho defensivo. É arte a forma suave como o seu pé toca na bola cada vez que tenta um passe de ruptura. Precisa de perceber melhor quando é vantajoso ou não tentar o último passe, mas a classe é evidente na forma como vê tudo enquanto conduz.

Do outro lado Filipe. Ser corajoso muitas vezes é proteger-se de si mesmo. Ser conservador. E se hoje o erro mais grave em posse não lhe valeu um mal maior, o mesmo não se poderá dizer do que pode suceder do futuro. Deverá ser um pouco menos impetuoso para evitar prejudicar a equipa.

Defensivamente também se percebe que ainda não está confortável com uma forma de defender colectiva, mas é bastante normal que tal aconteça por ser a primeira vez que recebe este tipo de estímulo. Ainda assim, rei na primeira bola.

filipe

Neste jogo viu-se uma exigência defensiva pouco assinalável para André André, que jogou como médio mais ofensivo. E isso leva-me a pensar que talvez o Porto beneficiasse por jogar com um jogador de características distintas ali. Não se exige que esteja sempre atrás da linha da bola, nem tão pouco que seja feroz na pressão. Por isso, um melhor companheiro para Otávio, Corona, e André Silva, poderia significar uma grande melhoria na qualidade do jogo ofensivo. Pensando na pouca competência de André André para jogar naquele espaço, e nas imensas dificuldades que sentiu neste jogo, precisa-se de alguém que acrescente com bola.

Ps: Muito interessante a forma como Nuno numa situação de desequilíbrio logo a abrir a segunda parte pediu a Otávio para fazer falta.

Blessing
Sobre Blessing 88 artigos
Treinador de futebol, de momento na formação. Experiência como Treinador Adjunto no escalão de seniores masculino e feminino, tendo esta época culminado com a conquista de todas as provas nacionais em disputa. Desempenha também funções como Scout para 1ºLiga. Criador do Blog Posse de Bola

8 comentários em A nova cara do Porto: Otávio.

  1. Blessing, e quem poderia ser esse jogador a fazer o lugar de Andre Andre? Alguem de dentro (Joao Teixeira) ou alguem que chegasse (Rafa, Oliver)?

  2. Otávio ou João dentro e brahimi(que aprenda de uma vez a usar o que tem de melhor,colectivamente) fora (desconheço se vai ficar)

  3. “Percebe-se o enorme potencial de Otávio depois do jogo em Vila do Conde.”

    Caro Blessing

    Depois desse rol de qualidades e características que mencionaste nesse parágrafo, é preciso ainda relevar que não brinca nas selecções, ou seja, está sempre disponível para a sua entidade patronal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*