Importa não perder o comboio

Numa altura inicial da época, onde os processos estão muito longe do nível que podem atingir dentro de um par de meses, importa vencer. Porque é mais fácil trabalhar em cima de vitórias, e convencer o grupo de que melhorando aquele é o caminho certo para que as vitórias possam ser uma constante. Também por uma questão de foco dos jogadores, e da gestão das expectativas do grupo, é fundamental que a meta esteja sempre ao alcance deles. Mesmo não jogando bem, nesta fase, a vitória é uma ferramenta importante.

Chelsea. Dificuldades em todos os momentos do jogo. Em defender a largura e a profundidade. Em criar zonas de pressão quando perde a bola acabando por recuperar a posse, ou obrigar o adversário a cometer erros. A defender com poucos, percebe-se a menor qualidade do seu quarteto defensivo comparando com o de outros candidatos ao título. Em organização ofensiva as rotinas não entram, e os erros sucedem-se. Talvez pelo pouco hábito que Conte tem em trabalhar com um sistema que não tenha dois homens na frente, a operacionalização esteja bastante atrasada. Em transição ofensiva, erros de decisão na criação das linhas de passe dificultam a finalização.

Liverpool. A defender com poucos as dificuldades do jogo anterior mantêm-se. Em organização ofensiva e transição defensiva. A forma como a equipa se organiza na criação é fundamental para defender em caso de perda. Percebe-se que muitos dos jogadores não conseguem adoptar um posicionamento adequado, e mais conservador, depois de terem participado num movimento de ruptura. A demora a recuperar leva a que a equipa fique exposta no momento de transição ofensiva, não conseguindo ter jogadores em número suficiente para causar constrangimento a quem recupera a bola. Os laterais que não baixam quando os médios que estavam na cobertura aceleram, e os médios que ficam demasiado tempo perto da baliza quando não recebem a bola. Falta equilíbrio na forma como os jogadores escolhem ir ou ficar. Os momentos ofensivo e defensivo devem estar sempre ligados e os posicionamentos que se escolhem, as dinâmicas que se produzem, para atacar e defender devem ser pensados por forma a beneficiar o momento seguinte: recuperação ou perda.

Blessing
Sobre Blessing 88 artigos
Treinador de futebol, de momento na formação. Experiência como Treinador Adjunto no escalão de seniores masculino e feminino, tendo esta época culminado com a conquista de todas as provas nacionais em disputa. Desempenha também funções como Scout para 1ºLiga. Criador do Blog Posse de Bola

3 comentários em Importa não perder o comboio

  1. A linha defensiva do liverpool é miserável. Não compreendo como se compra o Klavan, e se continua a jogar com o Lovren. Muito trabalho tem o Klopp.

  2. Os jogos em que o Liverpool tem que assumir com bola, parece que as suas únicas ideias sao remates fora de área, basicamente é uma equipa para ataque rápido e transições. Posicionamente na cosntrução é muito mau, falta de presença em certas áreas etc etc.

  3. curioso para ver o conte vai fazer,após de com os 2 bichos na frente ter ganho os 2 jogos!esperar pelo momento certo para mudar ou comecar logo com os 2…eu acho que diego solto é maquina,batushuai mais fixo,e diego a comer espacos como ele gosta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*