Jesus, o scout de Benfica, Porto e Sporting

Já antes havia também expressado a sua convicção de que apenas Rui Costa percebe de futebol em toda a estrutura encarnada. Opinião reforçada em cima de declarações em que garantia que apenas ele e Rui Costa queriam Jonas, Fesja e outros que tais por exemplo. Ou do que vai afirmando em off, onde garante a falta de habilidade gritante para seleccionar jogadores de toda uma estrutura à excepção do seu homem forte.

Com apenas uma frase, Jesus coloca em cheque toda a estrutura do clube leonino (afinal dá a entender que não há habilidade para contratar primeiro que os rivais), e a competência da estrutura dos outros grandes, com especial enfoque no SL Benfica que é uma realidade que tão bem conhece.

Independentemente do ter ou não ter razão, que é algo que para “aqui” tem pouquíssima relevância, Jorge Jesus continua sem perceber que é esta falta de gestão das palavras que profere que o tornam um alvo fácil, que o descredibilizam e acabam até a condicionar-lhe o sucesso, tal como aconteceu quando erradamente não deixou Rui Vitória prosseguir o seu caminho.

O processo de treino, o modelo de jogo, e até a forma como fala sempre dizendo o que realmente pensa, abrindo sempre o jogo em relação a tudo, seja o jogo o treino ou neste caso o scouting, são traços que tornam Jesus na figura mais mediática da Liga portuguesa. Com o ego que tem, não parece que ainda vá a tempo de controlar as suas opiniões, e perceber que por vezes, deve guardar o que pensa para si.

São pequenas parcelas que não contribuindo para a forma como a sua equipa se apresenta em campo ao fim de semana, acabam por fazer a diferença na forma como mantém “acesas” rivalidades que só o prejudicam.

Já não vai a tempo de mudar. O que é como treinador é o que lhe carece como cidadão. E cada vez mais é errado dissociar um do outro. Jesus chega a ser um desperdício de talento. Por culpa própria, pois claro.

Marco Van Basten
Sobre Marco Van Basten 85 artigos
Licenciado em Desporto, treinador Uefa Pro pela FA. Desde cedo partiu para terras de sua majestade. Experiência como professor e treinador numa Academia no Reino Unido.

34 comentários em Jesus, o scout de Benfica, Porto e Sporting

  1. Curiosamente, o que passa dos seus tempos de Benfica é que as contratações com dedo dele (todo o monte de jogadores do brasileirão) deixavam muito a desejar, sendo que as que tinham o dedo de Rui Costa nem por isso (e muitas das quais ele desperdiçou). Mas, como referi no post do Bernardo Silva, como pode um senhor que desperdiçou MONTANHAS de talento no Benfica vir puxar louros ou assumir-se como “scout” ? Aberração de afirmação, quando nem o talento que está no Sporting ele parece capaz de perceber .

  2. O Jesus sem o Rui Costa nunca tinha ganho nada! Quanto a um ou outro tagarela de facebook até pode ter razao, mas fica-lhe muito mal!!!!!!!!!!!!!!!!!! Vamos ver o que vai ganhar fora do Benfica……. BOLA

  3. Completamente de acordo.

    Ainda assim, eu por acaso gosto muito do estilo de comunicação do Jorge Jesus. Não encaixaria se ele não fosse o treinador que é, mas sendo-o, o embrulho final é belíssimo (na minha opinião). Ele até pode ser um bocadinho vaidoso (não acho que o seja, mas concedo), mas é sobretudo honesto e em muitas ocasiões elogia adversários quando vê motivos para isso. Recordo em tempos uma conversa com o Miguel Nunes (ex-autor do vosso blogue, hoje treinador duma equipa da 1ª divisão do Uruguai) lembrando episódios hilariantes do Jorge Jesus a arrasar os treinadores do Real Madrid ou do Bayern, quando estava ele (Jorge Jesus) nos “Os Belenenses”. Magnífico. Ele é sobretudo honesto e tem noção que é melhor do que os outros. Enquanto o for, tem direito (acho eu) a exprimi-lo … não significando claro está que acertará sempre.

    Lembram-se do Abel Xavier e da forma como comunicava quando treinou salvo erro o Olhanense? Bastante ridículo. Ou por exemplo a postura de J. Mourinho no FCP em 2002/03? Belíssimo, porque o FCP demolia os adversários no relvado. Ter essa postura hoje exporia Mourinho ao ridículo …

    Mas Van Basten, subscrevo ainda com mais afinco o que dizes caso esta postura afecte de alguma forma a equipa do Sporting, negativamente. Não fazendo a mais pequena ideia se afecta ou não, refiro-me meramente a Jorge Jesus na perspectiva do que vejo como adepto do Sporting, perspectiva sempre adulterada pela admiração extrema sentida por ele.

  4. Van Basten,

    Outra coisa: muito do que comentei não estando como disse relacionado com o conteúdo do que afirmas (concordo e subscrevo com esse conteúdo), vai também além do próprio Jorge Jesus. Tem a ver com uma visão mais ou menos terna daquilo que devem ser as guerras de palavras em futebol. Tal como na Premiership, quem fala são os treinadores e os jogadores. Ponto final. Podem dizer o que quiserem e bem lhes apetecer desde que sejam treinadores e jogadores a fazê-lo. É um direito que os assiste porque são esses que os verdadeiros adeptos querem ouvir. Só em Portugal e mais uns quantos países latinos é que toda a gente mais as suas mães fala de futebol ao passo que por algum motivo estranho os jogadores e treinadores estão impedidos de fazê-lo.

  5. Gosto muito desta declaração. Porque expõe, indirectamente, a estrutura de scouting e contratação do SCP como incompetentes, ou até os mais incompetentes. Por duas razões:
    1 – afirma que o SCP perde todos os jogadores para os rivais;
    2 – as contratações que Jesus leva para o SCP já foram quase todas faladas para o SLB no passado. Exemplo: Coates, Bryan Ruiz, Bruno César, Teo, Joel Campbell. Ou seja, nos sítios para onde vai ou é ele que determina e não confia em ninguém ou confiava bastante no scouting do SLB para ir buscar jogadores já anteriormente referenciados.

    Acho que foi daquelas afirmações que rebenta mais na cara que faça mossa aos outros.

  6. Parece-me que todos aqui entenderam as palavras de JJ completamente ao contrário e não perceberam a ironia e para quem, efetivamente, isto se dirigia.
    O que JJ se referia era à série de nomes que a imprensa passa a vida a avançar como “estão a caminho do Sporting” e que, no fim, acabam por ser “roubados” pelos rivais. Vocês, que são pessoas que estão dentro do meio, devem saber muitíssimo bem o quanto muitas destas notícias sobre eventuais transferências funcionam como autêntica especulação à Wall Street por parte de agentes e gente que gravita à volta dos mesmos. E há sempre a questão do “carvão”, que não é fantasia nenhuma de JJ. É real, existe e é um dos pontos essenciais deste autêntico nó chamado futebol português.

  7. Não acho que o Jesus seja um “talento” do futebol. Acho sim, que ele tem é o tempo a seu lado. São mais de 35 anos na modalidade, isso é uma vantagem muito grande sobre a maioria dos restantes treinadores com quem compete, que têm no máximo metade da sua experiência.

    «O processo de treino, o modelo de jogo, e até a forma como fala sempre dizendo o que realmente pensa, abrindo sempre o jogo em relação a tudo, seja o jogo o treino ou neste caso o scouting, são traços que tornam Jesus na figura mais mediática da Liga portuguesa.» Eu não acho que ele abre o que sabe. Por um lado, porque o seu discurso não permite uma explicação clara, por outro porque parece-me ser uma daquelas pessoas que pensa que o “segredo é a alma do negócio”. Depois, ele parece-me que sabe das coisas de forma empírica. Não sabe cientificar as coisas e tentar entender o porquê das coisas. Por isso mesmo, é que o modelo de jogo dele apresenta ano após ano os mesmos defeitos. Por isso mesmo, é que ele tipifica os jogadores que contrata para o modelo, sem nunca entender o talento e o que fazer com ele.

    Reparem nos lugares comuns do seu discurso e das suas ideias, para além da forma atabalhoada como se expressa aqui:

    • Ele nesta mesma palestra afirma que não partilha. “Foram muitas pestanas queimadas”, disse. O JJ é muito inteligente e numa medida grande um absoluto génio pq chega onde chegou quase sozinho, presumindo que o seu trabalho no Felgueiras ou no Estrela terão pouco a ver com o que faz hoje. Ele doutorou-se sozinho e está hoje em condições de educar os melhores do mundo. Um génio.

      • E já agora sobre o vídeo o senhor que fala em primeiro lugar tem completa razão: José Maria Pedroto, José Mourinho e Jorge Jesus, faltando na lista nomes como Cândido de Oliveira e Carlos Queirós.

        Os 5 mais importantes na história do futebol PT, em treinadores.

        • Pelo contrário, JJ não é muito inteligente. Se fosse tão inteligente como diz, não falava do modo como fala nem denunciava as obsessões e frustrações que o consomem de maneira tão óbvia. O homem envelheceu 10 anos desde o ano passado.

  8. Desde o início será o maior problema do jj. A comunicação até muitas vez s para o balneário, para os seus atletas e de se por a jeito…! Este tipo de comentários e dar um atestado de incompetência a “estrutura” do sporting. Mas também é por isso que o faz de tão especial…e isto vende……dava tudo para ver jj num real, ou num ano como este no arsenal, ou chelsea, ou até mesmo num tottenham,

  9. É giro Van Basten, agora vai buscar e cola aqui o teu post sobre a excelência do Jesus na forma como ele, como o próprio afirma, “é a estrutura”.

    E depois vamos lembrar-nos, por exemplo, do Djavan. Que o senhor insistiu porque insistiu que faria dele isto e aquilo e passado uma semana nem o deixava treinar porque dizia que lhe complicava o treino todo.

    Ou do Naldo em oposição ao P. Oliveira ou do S. Vitória em oposição ao Lindelof. Ou do Emerson em oposição ao que o clube lhe deu, que era um senhor chamado Capdevila. Ou a confusão que ele fez entre o B. César e o Nolito, outro jogador do scout do Benfica que agora está apenas no M. City. E acho o B. César um bom jogador, mas o Nolito é melhor. Eu sei que o Jesus disse que não o queria deixar sair, o que é certo é que também era a terceira opção do senhor.

    Alguma vez o Jesus jogaria com o Grimaldo? É praticamente impossível. E o que dizer do B. Silva? Que segundo o próprio, o Jesus lhe disse claramente que seria a quarta opção. E a história do Djuricic? Que no primeiro treino foi chamado à parte e foi-lhe dito o seguinte: tu foste uma contratação do clube, eu não jogo com número 10.

    Depois deu-lhe várias oportunidades, é verdade, e o rapaz nunca correspondeu, mas será que é uma boa forma de estar?

    E agora no Sporting, vemos a tralha que ele anda a procurar, e são todos cromos repetidos. Jogadores que todos conhecem ou jogadores que são estrelas no PFC ou no FM. E a maioria, se não todos, tinham sido falados para o Benfica – sinal das guerras internas, com o Jesus a puxar por determinados perfis de atletas e o clube a querer ir por outro caminho.

    Há gente que não aprende. O Jesus, se se dedicasse apenas ao que sabe, seria provavelmente o segundo melhor treinador do mundo, a seguir ao Guardiola. Assim, arrisca-se a nem ser o melhor de Lisboa.

    • “O Jesus, se se dedicasse apenas ao que sabe, seria provavelmente o segundo melhor treinador do mundo, a seguir ao Guardiola. Assim, arrisca-se a nem ser o melhor de Lisboa.”

      Mas isto é responsabilidade das estruturas onde se insere. O JJ não tem de ser excelente em tudo nem é um manager nem director-técnico. É um treinador e como diz, um dos melhores do mundo.

    • Grande comentário, Pelé! Subscrevo, na íntegra.
      Se o autor do post deu como exemplos os casos do Fejsa e do Jonas, também podia ter dado como exemplos as contratações do Luiz Felipe, do Bruno Cortez. Com certeza que não os referiu por esquecimento mas eu, como benfiquista, lembro-me destes nomes mas se quiser mais exemplos, por favor, disponha. De certeza que conseguirei lembrar-me de mais uns quantos.
      As actuais contratações do Sporting parecem ser as shortlists do Benfica de há 2 ou 3 anos atrás.
      Na minha modesta opinião, se JJ (também) quer fazer carreira na área do scouting, convém ir actualizando as bases de dados, estar atento aos novos valores que despontam. Assim, com estes jogadores que se perfilam como reforços do seu actual clube (e os já contratados, neste e no ano anterior), dá a ideia que são uns quantos nomes que se lembra de cabeça ainda dos tempos onde trabalhava no clube com a classe dirigente mais impreparada (futebolísticamente falando) que conheceu.
      Se JJ quer ser a grande referência de scouting de Benfica e Porto não pode dar a ideia de ter estagnado nessa área.
      Por fim, termino dizendo que o grande defeito de JJ não é comunicacional. JJ é um grande treinador de futebol, sabe do jogo como poucos, mas o seu grande e maior defeito reside no facto de não aceitar que possam haver mais pessoas (treinadores, etc.) que saibam de futebol e que estejam ao seu (dele) nível em termos de conhecimento e preparação.

    • “Há gente que não aprende. O Jesus, se se dedicasse apenas ao que sabe, seria provavelmente o segundo melhor treinador do mundo, a seguir ao Guardiola. Assim, arrisca-se a nem ser o melhor de Lisboa.”

      Nunca concordei tanto contigo…

        • Pois é, “o melhor de Lisboa” que após Mourinho levou a sua equipa a poder sagrar-se bi-campeã Europeia. Mourinho bi-campeão Europeu entre 2002 e 2004, Jorge Jesus que repetiria a proeza no Benfica. Nada mau para o melhor de Lisboa …

          • Bi-campeã europeia onde, MM? Pelas finais da liga Europa? Isso é ser campeão europeu? Quem me dera a mim termos ganho as duas finais, mas chamar a isso campeão europeu, numa liga europa que é claramente uma prova secundária onde só jogam clubes de segunda, é esticar um bocadinho a corda. E estou a falar do meu clube, mas não mudo a opinião por isso.

            O Jesus é isso, já era assim no Benfica. Num ano tem um Emerson que faz uma época toda a titular, no início da época seguinte, dispensa-o. Como este exemplo há quase uma dezena mais. Só de me lembrar a quantidade de trambolhos que trouxe para o Benfica, pela mão dele, que nunca calçaram sequer, enfim. Já não basta os que a direcção traz com os esquemas do costume, ainda temos de levar com os esquemas do treinador, para sacar comissões. Jesus também é isso, e viu-se com as constantes subidas de salário e já fez o mesmo no Sporting. O Inácio foi corrido do Leixões por isso, andar a contratar jogadores para sacar comissões ao clube. Quantos jogadores já comprou o “génio” no Sporting que já foram ou vão ser dispensados? Quantos estrangeiros já meteu no “clube da formação”? DEZENAS! Naldos, Teos, e trinta outros mais, uns até iam ser os próximos Ricardo Carvalho ou Deco e agora nem calçam, ou já foram corridos. No Benfica era igual.

            É um grande treinador? Sim. Ajudou a mudar o paradigma Benfiquista? Sim. É sobrevalorizado? Também. Consegue meter uma direcção inteira refém dos seus caprichos? Sem dúvida.

            Imaginem o Marco Silva com a liberdade para contratar como tem o Jesus e depois levar 3 na pá duns albaneses quaisquer. Ou ficar fora da Champions. Acho que era queimado na fogueira. Com o Jesus, “são opções”.

            Todo o sucesso que o Jesus teve no Benfica, e ainda bem, tem duas faces. E a face má é o endeusamento que recebe agora de toda a gente, o que numa pessoa com a personalidade dele só o prejudica, pois estica a corda e mete-se em assuntos em que é extremamente incompetente. Uma personalidade destas tem de ter rédeas, pois é tão narcisista que não consegue analisar os próprios defeitos. Esse é o seu calcanhar de Aquiles e por isso é que nunca vai treinar um clube de topo.

            Falam aqui no post que estas atitudes não prejudicam a exibição da sua equipa ao fim de semana. Concordo plenamente, mas não é por aí. O facto é que as suas atitudes beneficiam os adversários, dão-lhes mais força, isso sim. E não há melhor exemplo do que a espalhadela que ele e o Carvalho deram ao longo da época passada.

  10. Outra coisa, mas apenas porque o Blessing trouxe isso à baila na sua posta.

    http://www.salasdeimprensa.pt/2016/01/incendiario-jornalista-manipula-palavras-de-rui-vitoria-e-provoca-a-reacao-de-jorge-jesus-video/

    A partir de tamanha evidência, primeiro que tudo, confirma-se a tal história do “carvão”. Acima de tudo, a questão que se devia colocar não é porque JJ não deixou Rui Vitória seguir o seu caminho. Seria mais por que razão Gonçalo Ventura ainda mantém carteira de jornalista. Eu até sei a resposta a isso. Mas, como diria precisamente Rui Vitória, não vou por aí – depois de ter completamente ter ido, claro.

    • Não importa que tenha sido o Gonçalo Ventura a aldrabar. A resposta de Jesus era escusada e basicamente confirmou todas as insinuações de que ele era mau colega. Culpar os jornalistas por serem asquerosos e incendiários é como culpar a água por ser húmida. É o que eles fazem.

      • Errado, errado e mais do factualmente errado.
        Importa TUDO que o Gonçalo Ventura aldrabe. NADA no código deontológico jornalístico dá carta branca a um profissional do ramo para o fazer. Aliás, é o total paradoxo do que deve ser o trabalho jornalístico. E eu já andei pelo meio jornalístico, pelo que este é um campo em que (quase) ninguém aqui me poderá dar lições sobre o que quer que seja.
        E é por já ter andado nesse meio que digo: essa coisa de um jornalista completamente imparcial é, obviamente, treta. Mas há limites para tudo. Gonçalo Ventura ultrapassou todos os limites neste caso. Mais do que suficiente para que, como tenha dito acima, lhe retirassem, com toda a justiça, a carteira profissional e nunca mais pudesse exercer a profissão.
        De resto, há algo que até iliba, em parte, JJ: no início da resposta, ele ainda levanta dúvidas sobre as declarações, pois ele afirma ter visto a conferência de imprensa em questão e diz não ter tido a impressão de terem sido essas as palavras. Depois, lá acabou por confiar no mau profissional em questão. Erradamente, como se pôde ver. A resposta de JJ pode não ser muito boa, mas o que Gonçalo Ventura fez é muitíssimo pior. E reitero: ele ainda continua a exercer a sua profissão, como se nada tivesse acontecido.

        • Independentemente do que o jornalista fez, sendo Jesus tão picuinhas com a comunicação achas que não sabia de antemão o que Rui Vítoria?
          Sabia e disse o que queria dizer.

      • 100% de acordo com o facepalm. Não há nada, absolutamente nada que um jornalista pudesse dizer ou aldrabar que justificasse aquilo que JJ disse. Inadmissível!!!!
        A responsabilidade ético profissional do jornalista é uma discussão que não tem nada a ver com a resposta ou com as palavras de JJ. São coisas diferentes, as palavras, o carácter das personalidades que as proferem, as intenções e a psicologia subjacente que os leva a proferi-las.
        Mais uma coisa, pelo que sei o jornalista é sportinguista. Explica alguma coisa?

        • Explica: que tem de ganhar a vida, como todos nós?
          Quanto ao resto, nem merece que eu me chateie, tamanha a desonestidade e enviesamento intelectual demonstrado!

        • Dizer que a ética do jornalista não interessa para o caso é um argumento que não tem lógica rigorosamente nenhuma. As palavras do JJ são inadmissíveis e injustificáveis, não se diz uma coisa daquelas, não fica bem, não é correcto, não se faz. Desrespeitou o colega de profissão e devia ter tido outra postura. Já para o jornalista abre-se uma excepção… Que se foda, como diz o outro.

          Isto não é para o lado que dá mais jeito. Ou se tem uma postura correcta, ou não se tem uma postura correcta. Não existe tal coisa como só ter uma postura correcta de vez em quando – Se não tem sempre, então não tem.

          E a diferença entre o baixo nível do jornalista e o baixo nível de quem lhe respondeu está num pormaior que muda tudo: É que JJ foi só rude e pouco educado para o seu colega, mas não violou nenhum princípio deontológico. Já o jornalista violou uma regra inviolável da sua profissão, desrespeitou os dois treinadores, desrespeitou todos os seus colegas, e desrespeitou todos os seus leitores\ouvintes\espectadores.

  11. faz me confussao alguem tao inteligente do ponto de vista tecnico tactico deixar tanto a desejar como lider…podia estar na historia do futebol mundial,assim fica na historia de portugal,o que já não é pouco.

  12. Não são surpreendentes as declarações.

    O que me surpreende é o facto de alguém ficar surpreendido.

    No belenenses ele virou-se para o Schuster do real Madrid e disse-lhe: “com a tua equipa era virar aos 5 e acabar aos 10“.

    Faz parte do pacote, da mesma forma que percebemos que parte da cagança do Ronaldo é que o faz ser o animal papa prémios que é hoje, é também este despropósito do Jota que o faz ser este treinador de topo.

    Continuo a preferir derreter 6 milhões neste maluco e ver futebol a sério do que gastar isso num pseudo craque que não dá em nada.

  13. Também acho que o argumento dele foi mais direccionado aos jornais que “colocam” jogadores e depois os “desviam”, do que aos clubes em si. Até porque ele já falou nisso especificamente noutras conferências.

    No entanto, e olhando apenas para os factos que são públicos, parece-me claro que a estrutura do Sporting não tem a mesma capacidade para contratar que têm Benfica e Porto. E não é só uma questão de não conseguir pagar os mesmos valores, mas fundamentalmente capacidade de negociação. O Danilo por exemplo, JJ assumiu claramente que tentou ir buscá-lo e perdeu-o, como outros na época passada. Este ano à partida deveria haver melhorias nesse aspecto, mas não é o que tem acontecido. É óbvia a necessidade do SCP de reforçar o plantel, mas não se vêm reforços significativos. O que me parece, novamente partindo de factos conhecidos, é que a luta do SCP contra os agentes e os fundos – não discutindo a sua justiça ou injustiça – prejudica a capacidade do clube de conseguir operar com eficiência. Também no ano passado tentaram contratar o Wolfswinkel, e segundo se sabe à última da hora o jogador foi aconselhado a não o fazer. Depois foi emprestado ao Bétis, que claramente é uma melhor decisão de carreira.

    Sem julgar de que lado está a razão, a relação de JJ com as estruturas mudou mas manteve-se atribulada. Se no SLB recebia jogadores que não escolhia, no SCP não recebe os jogadores que escolhe.

    Muita qualidade nos encarnados este ano. Não sei se do outro lado da estrada a excelência colectiva vai chegar para esbater o desnível individual. SCP será sempre muito forte contra os grandes, SLB com muita capacidade individual para furar blocos compactos, que é o que se vai fazer a maior parte do campeonato.

  14. Caro Marco Van Basten

    JJ mandou uma “boca”, uma fanfarronada, apenas isso.

    Todos conhecemos JJ pela sua bazófia, ou seja, gaba-se exageradamente de feitos ou qualidades que, muitas vezes, não lhe pertencem. Além disso, todos conhecemos o histórico de flops de JJ no scouting.

    Não há mais nada a analisar nestas declarações, nem vale a pena extrapolar para a área técnica, nem sequer para a área comunicacional.

  15. Ele é o melhor treinador para as conferencias/entrevistas , o homem diz toda a verdade, o que faz falta são jornalistas que lhe saibam fazer as perguntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*