Rafa finalmente num “grande”

Há muitos anos que não crescia fora de um grande um jogador com tamanha qualidade. Possivelmente desde que vimos o génio João Vieira Pinto a sair já sénior do Boavista.

Os principais críticos de Rafa referem demasiadas vezes que o português somente faz a diferença a um nível elevado quando há espaço. Que é um jogador sobretudo de transições, porque alia à estonteante velocidade uma capacidade para conduzir a bola com esta presa na bota pouco usual.

Discordo totalmente de que Rafa seja apenas um jogador de qualidade inegável com espaço. Com espaço ganha notoriedade, porque define como poucos a uma velocidade supersónica. Desequilibra em drible e finaliza com categoria. Todavia, também em organização é um jogador soberbo. Tem uma capacidade para enquadrar a um toque logo na recepção, e a uma velocidade tal que encontra pouquíssimo paralelo com qualquer outro jogador em Portugal (chegou agora também, Markovic). Mesmo em espaço curtos, controla sempre o envolvimento ao seu redor. Procura sempre o sucesso comum, descobrindo melhores espaços para dar seguimento às jogadas. Não só recebe sempre bem, como decide bem. Procura sempre os espaços interiores, garantindo que na situação de jogo seguinte à bola lhe sair das botas, a sua equipa esteja mais próxima do golo. Identifica momento para ir para cima e para desequilibrar em combinações. É completo do ponto de vista ofensivo, e também percebe o jogo defensivamente. Onde também não se coíbe de mostrar agressividade na reacção à perda.

Ainda que no SL Benfica abunde a qualidade na posição de extremo, o português é no momento o melhor de todos. Assim que se integrar na movimentação colectiva estará pronto para desequilibrar ainda mais na nossa Liga.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2359 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

15 comentários em Rafa finalmente num “grande”

  1. Uma pergunta: tendo se falado neste defeso de um possível regresso do Bernardo… Com qual dos dois ficaria o Benfica melhor servido na vossa opinião ?

  2. Temos opiniões diferentes! Discutimos isso ha uns tempos. P mim o Rafa é neste momento superior ao Bernardo. Mm q este tenha potencial p ir mais longe. Mas no momento acho que Rafa dá mais rendimento. Mas o Blessing p ex discorda!

    • Achas boa ideia ele jogar no lugar do Jonas (quando este não estiver disponível) ou até mesmo junto com o Jonas, em vez do Mitro? É que é “pena” tirar minutos ao Cervi e ao Zivkovic e, se o o Salvio for titular, tirar o lugar ao Pizzi…

    • Estive na conversa com um amigo meu treinador (por acaso até o conhecesses, também está ligado ao futebol feminino) e falámos sobre isso.

      Tenho a tua opinião, rafa está melhor, por incrível que pareça, jogar contra equipas constantemente estacionadas na área fez subir o nível do jogo dele, ao contrário do Bernardo, em que a equipa estacionada é a equipa dele.

      Bernardo precisa, talvez, dos mesmos desafios de rafa, jogar mais tempo em organização e menos em transição, depois poderemos fazer uma comparação mais próxima.

      Apesar do preço estratosférico, é uma grande aquisição.

      A comparação com Markovic… Vamos ver, o sérvio tem passado muito tempo no estaleiro…

  3. bernardo para mim dá muito mais ao jogo que o rafa.se pensares em termos individuais sim o rafa vai quase sempre fazer mais golos e assistencias(mais vertical),agora em decisões para o colectivo,nao vejo ninguem como o bernardo em portugal,joao Mário é o que mais se aproxima.

    • Nem por isso, pelo menos nesta fase.

      Não vejo Rafa a jogar tanto para a notoriedade quanto isso.

      Aliás, vejo mais o iuri a fazer isso.
      No entanto, já sabemos que os reforços são como os melões…
      Rafa tem os números que tem em consequência do trabalho colectivo que produz….

      • Gonçalo verticalidade é diferente de notoriedade,são palavras diferentes.para perceberes um pouco o que estou a dizer o rakitic é mais vertical que o iniesta,se olhares para os números são superiores os do croata,agora se conseguires ver para além dos números comparares o que o iniesta da da equipa e que o ratikic dá é absurdo.do que vi do rafa,e confesso que nao vi mto,acho que o bernardo muito superior,acho que o tecto do rafa é o slb e o tecto do bernardo é o que ele quiser…gostava mto de o ver no barca ou com alguem com ideias ofensivas que o potencia se,pep,tuchel por exemplo.abraco

  4. Quão criminoso foi a venda do Bernardo? É uma delícia ve-lo jogar e fiquei verdadeiramente triste quando foi vendido, como benfiquista. Mas o que dizer sobre o talento que compõe a selecção nos próximos anos? Rafa, Bernardo, João Mário, William, André Gomes, Cancelo, Raphael Guerreiro? e que jogadores vos parecem prontos a dar o salto para a selecção A? Qual a vossa opinião sobre Bruno Fernades e Tomás Podstawski?

  5. Vi um pouco da segunda parte de ontem e fiquei maravilhado com o Bernardo, não há uma bola que saia daqueles pés sem intenção.

    O Rafa por sua vez tem uma recepção absurda. Estes dois e o André Silva bem que podem vir a ser o ataque português do pós-ronaldo.

    • Conseguiu ver isso tudo num jogo contra gibraltar??!?
      Atenção que não coloco o valor dos jogadores em questão, mas parece-me um pouco exagerado.

  6. A primeira vez que vi Bernardo ao vivo 90 min, fiquei desiludido.
    Ao contrário de João Mário (na next Gen contra o Inter) ou de Raul Meireles (nos Iniciados do Boavista, onde jogava a libero) ou até de Renato Sanches, aqui no São Luis contra o Farense.

    De Bernardo vai-se sabendo apreciar, como um bom vinho.
    Tem uma qualidade soberba, e raramente decide mal um lance, nem que para isso tenha que simplesmete jogar para trás e não para a frente.

    Entre Rafa e Bernardo, a minha escolha era óbvia: os dois. E já agora que viesse Markovic no pacote.

    Abraço

  7. Ao ver o último comentário do Baresi, sobre a desinibição do Bernardo em voltar a bola para trás, lembrei-me de um vídeo postado no sítio antigo de uma jogada da equipa do Barcelona. Será afinal essa desibinição o comportamento atómico (isto é, ao mais baixo nível de organização) que define o futebol do Barcelona tal como foi recriado por Guardiola?

    Que a contratação do Ferreira da Silva nos faça lembrar no futuro a do Da Silva Ferreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*