Sporting: Testar em Dortmund soluções para a Liga

O Sporting somou mais uma derrota na Liga dos Campeões, mas do jogo disputado ontem em Dortmund salta à vista uma série de soluções que Jorge Jesus poderá estar a testar para aplicar na Liga portuguesa.

Resumindo os problemas que fomos detetando nas últimas semanas dos verde e brancos, sublinhava-se a questão dos laterais, com muitas fragilidades defensivas, o desequilíbrio na zona intermédia devido à ausência de um jogador com o dinamismo de Adrien e a falta de consistência no primeiro momento de pressão após a perda da bola.

O Sporting apresentou-se em 3-4-3 e tentou, a partir deste novo desenho, responder a esses problemas.

Os três centrais permitem uma maior liberdade para a subida dos laterais, que acabam por ter um papel sobretudo ofensivo durante o jogo. Ora Paulo Oliveira, ora Ruben Semendo, à direita e à esquerda, foram aparecendo mais próximo das faixas, oferecendo segurança a Schelotto e Marvin.

subida-dos-laterais

No corredor central, para além de Bruno César ter um posicionamento adiantado em relação a William Carvalho, Ruben Semedo surgiu muitas vezes a pisar o território do “médio-defensivo”. Desta forma, William acabava por ter as costas defendidas, sem que isso colocasse em causa a profundidade, já que Coates ia sobrando para a cobertura.

semedo-med-def

O primeiro momento de pressão voltou a ser um ponto forte na equipa leonina, com os dois extremos – Gelson e Bryan Ruiz, a surgirem em zonas interiores e os laterais a surgirem também muito ativos nesta fase.

pressa%cc%83o-campo-adv

Jorge Jesus não terá ficado satisfeito com a menor capacidade da equipa para penetrar no corredor central, ao não ter um segundo avançado, mas olhando para este jogo como um teste, existem vários sinais positivos que podem fazer-nos esperar ver, de novo, dedo do treinador na equipa do Sporting.

Sobre Luís Cristóvão 34 artigos
Analista desportivo na televisão (Eurosport) e rádio (Desporto na Hora). Moderador do Lateral Esquerdo Podcast. Autor em luiscristovao.com, no twitter com @luis_cristovao.

6 comentários em Sporting: Testar em Dortmund soluções para a Liga

  1. Na minha visão leiga, confesso que gostei de ver o Sporting jogar neste novo esquema. E não me choca nada a sua utilização no campeonato conta as equipas do autocarro. Ficariamos mais resguardados das bolas bombeadas nas costas dos laterais; laterais esses que teriam mais confiança para atacar (vide este jogo e comparar com o anterior – e o post Erros técnicos em barda na Madeira); existe – novamente – uma pressão alta e que se faça sentir; jogo pelas laterais.
    A minha dúvida, como referido, prende-se com o ataque pelo meio do terreno. Tendo o Bas Dost (ou o PL que lá estiver) sozinho e ter que recuar para segurar e/ou combinar fique afastado da baliza. E pelo meio voltaremos a ter as entradas dos extremos? Quem aparecerá mais na zona de finalização se o PL recuar?

    Será que com o Aroucar podemos ter as respostas a estas questões? A ver vamos! 🙂

  2. O problema que JJ tem que resolver é o facto dos médios do SCP não terem uma boa relação com o golo. Quase nenhum deles. Ontem viu-se mais uma vez, em Dortmund que se não for o ponta-de-lança a marcar, vai ser muito dificil a equipa ganhar jogos. Se têm que criar 8 oportunidades para um dos médios poder marcar uma, estamos lixados.

  3. Caro Luís Cristóvão

    Penso que é exactamente o contrário, é um “one night stand”, não dá para ser transposto para a Liga Portuguesa. A sapiência dos técnicos portugueses derrubaria facilmente este 3-4-3 utilizado em Dortmund.

    JJ arriscou, o Sporting jogou muito melhor que em casa, Weigl foi controlado mas ainda assim não chegou.

    Uma última nota para a substituição de Bruno César por Adrien, seria preferível ter tirado WC mas trata-se apenas do habitual “cagaço” do JJ.

  4. Não me lembro de ter sido assim tão falada a fragilidade defensiva dos laterais do sporting. Muito mais falada a questão da dificuldade técnica. e no plano ofensivo…E acho que o posicionamento ontem foi muito mais um 5-3-2 do que um 3-4-3. Foi mais uma questão de “cagaço”, talvez para evitar uma hecatombe, num momento em que a equipa já está tão frágil, do que o testar de soluções para o campeonato. (Acrescentar paulo oliveira ao eixo defensivo raramente pode ser uma solução ofensiva)

    Ainda assim, de facto, o sporting ontem jogou claramente melhor do que se tem visto.

    • Vai-se perdendo a imaginação para dourar a “pilula Jesus” por estes lados. O Sporting mete 3 centrais mais 2 laterais que não passam de meio campo e vai-se a ver é um corajoso 3-4-3…que resulta num golo encaixado e numa bola ao barrote antes dos 10′ de jogo. A concentração de pernas sportinguistas num curto espaço de terreno resultou em melhor reação á perda e maior variedade de linhas de passe…ainda que sem grande consequència no ultimo terço. É um bom esquema para defrontar equipas do calibre do Dortumund coisa que dificilmente voltará a acontecer este ano. Porque o Real joga a outra coisa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*