Podcast 15: Taça de Portugal com surpresas e tomba-gigantes, o caso Nélson Semedo

Descarregar

Abrimos o podcast de hoje a falar das surpresas da Taça de Portugal, com a eliminação do FC Porto pelo Desportivo de Chaves, passando depois pelos casos dos tomba-gigantes e pela evolução do futebol em Portugal a partir do terceiro escalão. Depois olhamos para o caso Nélson Semedo, falando do seu processo formativo e de onde poderá ele chegar quando sair, em breve, de Portugal.

Um podcast com Bruno Pereira, Pedro Bouças e Luís Cristóvão.

Contacta-nos através do twitter em @lateralesquerdo.

Pode ser ouvido no iTunes ou no Ivoox. Não te esqueças de deixar também a tua opinião em cada uma destas páginas!

PS – Como sabem, muito em breve vamos ter conteúdos exclusivos no Patreon. Não deixem de ter acesso a tudo o que fazemos, façam-se já patronos do Lateral Esquerdo. Um muito obrigado a todos os que já o fizeram.

Sobre Luís Cristóvão 31 artigos
Analista desportivo na televisão (Eurosport) e rádio (Desporto na Hora). Moderador do Lateral Esquerdo Podcast. Autor em luiscristovao.com, no twitter com @luis_cristovao.

1 comentário em Podcast 15: Taça de Portugal com surpresas e tomba-gigantes, o caso Nélson Semedo

  1. Queria comentar alguns pontos soltos do podcast:

    Prolongamento: sou a favor do regresso do golo de ouro, se pode ser injusto e é verdade que pode, os pénaltis também o são, sendo que o golo de ouro poderia tirar os underdogs da retranca e fazer com que se assistisse a um prolongamento mais aberto/interessante.

    Jogos da Taça:

    Porto: o Pedro acha que o Porto esteve melhor na 1º hora de jogo, eu acho precisamente o contrário, que esteve melhor na última hora de jogo (junção da última meia-hora da 2º parte mais a meia do prolongamento), domínio total do Chaves (aspecto defensivo do Porto) e a nível ofensivo também a criar muito perigo, faltou ainda assim critério no último terço a decidir, quer em cruzamentos, quer no último passe e faltou acerto ao Nuno nas substituições (já tinha referido isso no blog).

    Sporting: Foi dito que o Praiense esteve muito bem em organização defensiva na 1º parte, o que também discordo. O Sporting entrava como queria na área (laterais/alas), valeu o GR do Praiense e o Sporting ter diminuído o ritmo de jogo após o empate, caso contrário poderia ter saído já com 3, 4 golos marcados para o intervalo.

    Nelson Semedo: Concordo em absoluto com o que o Pedro disse, a conversa de “o x é dos melhores da Europa na sua posição” é boa é para adeptos, eles que vão para grandes campeonatos e o provem. O RS, de quem sou apreciador e acho que vai vingar fortemente lá fora (mais ano menos ano), é prova disso… As coisas em grandes campeonatos não são como cá e em muitos casos, tem que haver um período de crescimento e adaptação (isto, quando tempo para isso tudo é dado).

    Para finalizar, esperava uma palavrinha para com o CR e a sua exibição naquele que é talvez o melhor (de qualidade falo) dérbi da actualidade. Mas as vossas preferências estão mais do que à vista por isso também não me surpreende.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*