“MarsBet”
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2706 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

12 comentários em A vitória da Estratégia

  1. Muito interessante a resposta do marítimo.

    Zonas de pressão bem definidas e até altas, principalmente na 1a parte, sempre bem a virar a equipa para o lado da bola.

    Gostei. Este moço treinava o Santa clara certo?

  2. Por acaso, a meu ver a grande virtude do marítimo desta noite foi a forma como pressionou pizzi e fejsa na primeira bola. Evidência disso foram os imenso passes longos que o pizzi fez (algo pouco habitual). Pela forma como vi o jogo, o Benfica não percebeu que o ideal era puxar pizzi tendencialmente para a direita para libertar lindelof, quer era o gajo que estava a sobrar, e este criar com cervi e guedes.
    Rafa, mesmo apagado e pouco intenso, a mostrar muita qualidade (primeiro toque incrível). As primeiras duas vezes que toca na bola (antes do remate desviado) são aparentemente simples, mas de muita qualidade e intelegencia: primeiro de costas para a baliza, toca de primeira para jogador que vem embalado, no segundo fixa e liberta no semedo a direita no timing perfeito.
    Uma nota para o jimenez que mostra de jogo para jogo que só serve para destabilizar. Não faz ideia do que é jogar em equipa, em apoio. Hoje tem 20 minutos em campo, e não tem uma contribuição positiva para o jogo..Comporta se apenas por instintos (veja se a forma como pressiona, quase sempre sem critério, só com sede de bola).

  3. Algumas notas soltas:

    – O golo é do Guedes visto que a bola não ia para a baliza no remate do Nelson e até me parece intencional, há uma repetição por de trás da baliza mais lenta em que parece claramente intencional o toque do Gonçalo e confirmando-se, é um grande golo.

    – Um Benfica a fazer lembrar em muitos momentos de jogo o Porto nos processos de organização ofensiva. De transição ofensiva não vale a pena falar, quase não existiu, o que na 2º parte até é normal visto que o Marítimo mal saiu do seu meio-campo mas na 1º houve chances para isso e ou foi demasiado lento (o Benfica) ou foi parado em falta e bem pelo Marítimo.

    – Tirar Cervi para meter Carrillo? WHATTTTTTTTTTTTTTTTTTTTT? lance da defesa genial do Gottardi foi criado pelo Cervi, lance (muito parecido) do Jimenez foi criado pelo Cervi… no vazio de ideias que foi este Benfica o Cervi foi dos poucos imprevisíveis e a criar real perigo, portanto não se percebe a sua substituição por um jogador que é uma incógnita sempre que vai a jogo.

    PS: acho que até o lance do Rafa foi criado pelo Cervi, portanto a não ser que tenha saído tocado é mesmo incompreensível. pelo menos para mim.

  4. Vitória da estratégia e da sorte.
    Uma equipa a acabar no anti-jogo, a sofrer uma bola na trave e duas benesses de jogadores do Benfica a rematar.
    Empatar era bom para o Maritimo, ganhar assemelhou-se ao euromilhões-se houve equipa a querer ganhar foi o Benfica, no entanto é logico que o que conta é a bola lá dentro, por iso parabens ao Maritimo.
    Uma achega -Benfica com 41ataques, 71% posse de bola!!!!! e 17 remates. Sendo isto um dado objectivo, e comparando com os 3 remates do Maritimo está tudo dito.

    • Fez 3 remates o Marítimo? Que contas são essas? Para marcar 2 há partida fez 2, certo? Mais o lance em que Fejsa perde a bola (aquando de ainda estar 1-0) deixando um jogador do Marítimo isolado que remata e Éderson defende bem, depois vem para fora da área a bola e novo remate para enorme intervenção de Éderson, só aqui já conto 4 remates, tu ainda tás nos 3? Mais um canto ainda com 1-0 em que um jogador do Marítimo é estorvado por Luisão mas consegue na mesma cabecear com grande perigo, mais uns livres e cantos na 2º parte que resultaram também em remates e lances de perigo… mas tu ainda tás nos 3 remates se calhar.

      Tira os lances do pequenino genial Cervi e diz-me o que o Benfica criou hoje.

  5. Discordo completamente desta análise. Vitória da estratégia teria sido um jogo sem tantas defesas do guarda-redes (que o Ederson também teve), mas principalmente sem tantas oportunidades falhadas pelos avançados do Benfica. O Marítimo não conseguiu segurar o ímpeto atacante do Benfica, como se vê pela quantidade espantosa de oportunidades falhadas… quem perdeu o jogo foram os jogadores do Benfica que criaram, mas não concretizaram.

    Esteve melhor do que na Luz? Sem dúvida, mas discordo que seja uma vitoria da estratégia…

    Depois, a questão do anti-jogo do Marítimo, que tornou impossível jogar-se à bola nos últimos 15 minutos. Não sei o que é que as regras do jogo permitem aos árbitros fazer para combater isto, mas é uma vergonha o que se passa com as equipas pequenas (e eu nunca achei que o Marítimo fosse assim tão “pequeno”) que se apanham a ganhar e nos últimos minutos fazem tudo por tudo, de forma ilegal, para matarem o jogo. Eu percebo que haja um jogo de posse, que a bola rode cá atrás, mas esteja em jogo. Isto que se viu hoje e que se vê em muitos estádios, principalmente quando equipas pequenas se põem a ganhar às “grandes”, em nada engrandece o futebol português….

    • Ricardo, não pretendi dizer que foi justo ou que foi bom jogado. Apenas que ele mudou e causou mais dificuldades ao Benfica porque decidiu mudar.

      • Eu percebo o que dizes, mas mesmo assim discordo do título. Sim, provocou mais dificuldades, mas o Benfica criou na mesma o suficiente para ganhar o jogo, tendo perdido apenas porque hoje falharam mais do que o habitual. Logo, acho que não faz muito sentido dizer que foi a vitória da estratégia, apenas isso… faria sentido se, de facto, o Benfica tivesse tido poucas oportunidades, poucos lances de finalização. Mas penso que não foi o caso.

  6. Eu acho que não colocaste aí na figura a verdadeira estratégia: anti-jogo.

    Como jogar um jogo em que é há uma falta em cada dois minutos de jogo? Como jogar um jogo, onde o adversário está sempre a utilizar de todas as estratégias de anti-jogo para poder parar o relógio?

    5-4-1 é muito giro, mas não foi isso que ganhou inteiramente o jogo.

    E, falar em bloqueios ao guarda-redes? Esse sim, foi um pormaior bem visto pelo Daniel Ramos. Pena que na próxima jornada, os árbitros vão voltar a marcar este tipo de faltas e depois é ver o que se via…

    • Ja o Benfica quando foi queimar tempo a Munique e Alvalade, ou quando atirava bolas para a longe para não se marcarem rápido as faltas em Coimbra, Vila do Conde ou no Bessa, já nâo era antijogo.

      Era estratégia do mister Rui Vitória.
      Coerência precisa-se.
      O Sporting perdeu em Madrid e em casa porque o JJ não teve a “coragem” (chamemos lhe isso ou outra coisa) de colocar um clube grande como o Sporting com o guarda redes a passar mais tempo no chão, que outra coisa.

  7. Rúben concordo com tudo menos com a parte do Sporting. Não ganharam esse jogo porque o jesus foi expulso do banco (claro que e redutor afirmar isto porque os jogadores do real são os melhores do.mundo e no fim eles e que jogam), mas se o jesus não tem sido expulso ele não ia ter problemas em fazer isso, como já fez muitas vezes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*