Curtas do derby

  • Sporting globalmente superior. Melhor em organização ofensiva e defensiva. Bloqueou completamente a construção adversária, ao ponto de tornar Ederson o jogador mais em foco ofensivamente do SL Benfica. Na sua construção, preparou uma saída a três usando Rui Patrício, mantendo William mais adiantado, criando dúvidas, obrigando a baixar pressing do Benfica, contornando-o;
  • Rafa. Um verdadeiro prodígio. A natureza do jogo não lhe deu bola. Das poucas vezes que a teve criou os melhores lances do Benfica no jogo. Uma capacidade de desequilíbrio incrível, pela forma como contorna adversários a grande velocidade, sempre na direcção da baliza adversária. Estabilizando na equipa será sempre um candidato muito grande a melhor jogador da Liga;
  • Gélson. Mais bola, e sempre a criar dificuldades. Aumenta o critério a cada partida que joga. Mesmo que não desequilibre sempre, e fá-lo inúmeras vezes, não soma perdas. Está a crescer a olhos vistos. Na Luz foi o grande protagonista do Sporting;
  • Dost e Raul. O holandês num dos seus melhores jogos. Foi participando fora da área, e impressionou pelo número de vezes que na área chegou à finalização. Raul, pouco critério e muita correria fora da área. Porém, tal como Dost movendo-se na grande área, tem mil movimentos e qualidades a finalizar. Perfis muito diferentes, mas ambos muito fortes a atacar as zonas de finalização;
  • Nélson Semedo, a somar o pior jogo da época. Nunca se impôs defensivamente. Sempre com dúvidas e dificuldades. Com bola nunca quis sequer ter o protagonismo de jogos de menor nomeada. Quando o quis não teve o grau de acerto habitual;
  • Guedes traz na transição o que se percebeu no lance do primeiro golo. Mas, nos jogos grandes, usá-lo no corredor central retira critério e naturalmente bola ao SL Benfica. Jogar com muitos “corredores” faz o Benfica ser uma equipa de “solavancos” ofensivamente. Sem um jogo pensado, mas antes um jogo que espera o erro adversário para ir na transição na “cavalice”;
  • Jogo muito próximo daquilo que foi previsto que seria no podcast. Equipas com menos confiança e mais pressionadas, menos dispostas a sair com qualidade de zonas que tantas vezes jogadores e treinadores consideram “perigosas”. Sporting bem preparado colectivamente para ter mais bola.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2613 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

11 comentários em Curtas do derby

  1. Maldini, não achas que desta vez o Guedes e o Raul estiveram melhor a dificultar o inicio da construção do adversário? Pareceu-me que enquanto o Guedes esteve em campo o William teve muito menos bola e a que teve foi em piores condições.

  2. Boas, não costumo comentar por aqui, mas sigo o vosso trabalho. Gostaria de me tornar um dos patronos e, como tal, tenciono mandar mail em breve para as infos.
    Agora a parte gira, não acharam interessante a forma que a equipa técnica do Benfica, para quem prespetivei pouco sucesso aquando do arranque do campeonato passado (ups..), arranjou para evitar o (agora) comum lançamento lateral para a área? Aproveitar a altura e confiar na decisão de atacar a bola ou voltar para o ninho do Ederson. Nunca tinha visto e achei interessante. Na segunda parte, os lançamentos do Sporting foram mais condicionados. Claro que não estamos a falar de jogo jogado, mas é muito porreiro porque tira pelo menos uma arma ofensiva ao adversário.

    • conversei com o Blessing sobre isso. Resultou mt bem. Mas tenho duvidas se daqui para a frente… com equipas preparadas se n poderá dar confusão… colocarem ali gente ao redor do Ederson para não o deixar regressar à baliza… e qq encosto ali fora da peq área n é falta… e ficas c gr no chão e bola a rolar!

      Tb fui surpreendido com a decisão q resultou mt bem.. mas preciso de ver e pensar mais sobre isso para concluir que é bom… sobretudo qd n surpreender…

      • Sim, faz todo o sentido. Eu agora não tenho presente e com certezas o posicionamento do Ederson, mas se ele se colocar no bico da pequena área, as contrariedades que referiste não poderiam ser atenuadas?
        De qualquer modo, concordo, ver mais e depois concluir.
        Obrigado pela resposta, um abraço!

  3. Boas, com todo o crédito que o treinador do benfica e sporting merecem, a situação do Ederson já era utilizada pelo Schmeichel.

    • Boas, como referi, nunca tinha visto… Muito por culpa de, consoante a escala, ainda ser verdinho (24). E na época do dinamarquês, só via os golos quando passavam no telejornal 🙂
      De qualquer modo, obrigado pela informação. Fica registado!

  4. PB, quando dizes “Bloqueou completamente a construção adversária” sobre o Sporting, quanto achas que influencia as 26 faltas que estes fizeram, nesse aspecto do jogo? Qual é a tua visão sobre usar as faltas para também condicionar o adversário?

    • Creio q surgiram mais p travar as transições. N é algo novo nas eq de JJ onde ate as zonas, condições e momento p fazer as faltas estao +- definidas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*