“MarsBet”

Jorge Jesus a perder qualidades ou sem nunca as ter tido?

Quando o tema é o treinador do Sporting, as paixões acendem-se. Ninguém consegue ficar indiferente. Mérito ou demérito de Jesus, a verdade é que é a própria personalidade do treinador que nos leva a discussões infindáveis.

Jorge Jesus não está a perder qualidades. E obviamente que as tem. E muitas, quando se fala sobre aquilo que é o processo de treino. A táctica e a estratégia.

Da mesma forma que eu próprio fui influenciado por algumas ideias do treinador leonino, nomeadamente o comportamento defensivo da última linha, seja nas referências zonais ou formas comuns de reagir às situações próprias do jogo. Quando baixar? Quando subir? Que distâncias cumprir entre e intra linhas, centenas de outros treinadores também o foram.  Inclusive a grande maioria dos que estão no sector profissional! Recordo um momento, há alguns anos atrás, em que um treinador que integra hoje uma equipa técnica de uma das equipas que surpreende e encanta a Europa me ter pedido vídeos do comportamento defensivo do Benfica, aquando da passagem de Jesus pela Luz!

Se recuarmos quatro, cinco, seis anos, conseguimos reparar que em Portugal só a equipa de Jorge Jesus jogava em 442. E tantas eram as críticas por isso. Pouco mais de três, quatro, cinco equipas tinham comportamentos zonais nos seus momentos defensivos. Por Portugal só a de Jesus iniciava a primeira fase de construção a três. E isto só naquilo que é mais perceptível, sem analise de pormenor. Há um sem número de comportamentos que hoje praticamente todas as equipas das Ligas profissionais apresentam que não encontrávamos no passado. O próprio sistema táctico da Liga terá passado nos anos pós entrada do agora treinador do Sporting no Benfica, de noventa e cinco por cento das equipas em 433 para um momento na actualidade em que no mínimo dois terços da Liga já se apresenta em 442.

Quando iniciei este projecto do “Lateral Esquerdo”, a intenção era dar a entender uma nova visão sobre o jogo. A da importância da tomada de decisão e do comportamento táctico das equipas como o maior factor de rendimento, individual e colectivo. Nos dias de hoje, já nem faria sentido ser essa a motivação para iniciar um projecto. Afinal, que equipa da Liga não cumpre minimamente aquilo que por cá se começou a defender quando somente uma ou duas o faziam?

Negar a influência do treinador do Sporting no crescimento do jogo em Portugal é uma heresia. Praticamente todos os treinadores que pela Liga vão fazendo carreira, mesmo que o neguem a pés juntos, quando encostam a cabeça na almofada sabem bem a influência e o porquê de agora defenderem zona. O porquê de partirem tão bem os momentos do jogo. O porquê de tantas ideias. Praticamente todas as equipas da Liga são hoje mais parecidas com as ideias de Jesus, sobretudo nos momentos defensivos, do que com o que os seus treinadores apresentavam nos relvados há seis anos atrás!

E se Jorge Jesus continua a procurar ser pioneiro em alguns dos comportamentos que podemos observar das suas equipas, e se continua com as mesmas qualidades de outrora, também não se pode negar o quão diferente para melhor está toda a concorrência. Jesus não terá perdido qualidades. Porém, o fosso que o separa dos outros é hoje substancialmente mais curto. Tão curto que mais do que nunca entrega o desfecho dos jogos e dos campeonatos a muito mais factores do que no passado.

O jogo é visto e analisado por todos. Cada vez menos há segredos. E numa era de maior competitividade, não fará sentido questionar a competência do treinador do Sporting. Mas talvez faça sentido questionar a diferença de valores que aufere para os demais, num momento em que a distância é mais curta do que nunca. Não faz sentido, obviamente. Subindo uns ou baixando o outro.

Se Jorge Jesus já não é tão especial, tal não se deve à perda de qualidades. Mas sim ao crescimento de todos os outros. E que não se negue a sua influência em tal processo.

P.S. – Continuem a apoiar o projecto do “Lateral Esquerdo” tornando-se patronos do mesmo no Patreon, garantindo assim acesso a conteúdos exclusivos! Quem tiver dificuldades com o registo no patreon, pode procurar alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com. Muito obrigado às centenas de utilizadores que já o fizeram!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2706 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

35 comentários em Jorge Jesus a perder qualidades ou sem nunca as ter tido?

  1. Tal e qual! Acho que continua a ser o melhor em Portugal no overall, continua a ser o mais criativo com resultados, consistente, mas com os defeitos do costume.

    Já Marco Silva, Jardim e agora vitória demonstraram que não é preciso esse ordenado para lutar por títulos – basta estar perto, depois alguém os ha de ganhar…

  2. Muito bom, uma vez mais. Eu ainda tentei resistir, foi mais a falta de tempo para ser sincero. Como posso contribuir sem ser por cartão de crédito? Tem mesmo de ser através do pantreon? Posso enviar logo a cota anual e não mensal?

  3. Não pode perder o que nunca teve.
    Jesus nunca foi o que defendias que ele é/era. A nossa discussão sobre o tema não é nova. Não tenho muito mais a acrescentar.
    🙂

  4. De facto estamos a evoluir muito na qualidade de jogo nacional, apesar de eu considerar que os treinadores nacionais focam-se muito mais no momento defensivo,o que me parece cultural.

  5. Viva,

    O texto está perfeito mas há dois aspetos que considero onde Jesus falha, em primeiro lugar a abordagem que faz aos jogos a nível europeu, tem que os encarar com outra seriedade e por outro lado a questão da aposta em jovens da formação dos clubes, bem sei que lançou Gelson e Ruben Semedo e isso para pouco mais de ano e meio já é um grande trabalho, mas será que se sente que aproveita bem toda a potencialidade de Alcochete ? Digo isto e sou benfiquista, nesse capitulo Rui Vitória mostra muito mais coragem, por vezes um jogador pode ser lançado por este oui aquele motivo mas a verdade é que no SLB eles estão lá no plantel principal prontos a ser lançados a qualquer momento.

    Como Jesus jogava Jardel em vez de Lindelof, Eliseu em vez de Grimaldo, Andre Almeida (impensável deixar sair Maxi mas pronto) do que Nelson Semedo, Julio César em vez de Ederson, Samaris em vez de Horta, e Guedes alguma vez jogaria havendo Rafa, Jimenez e Mitroglou disponíveis ? Até Cervi duvido se não seria Pizzi.

    É o que penso

    Saudações

      • Luisão concordo, urgente colocar Lindelof sobre a direita e na companhia de Jardel, agora Sálvio é verdade teve a coragem de o recuperar e está em crescendo 😉

  6. É a história a repetir-se, sempre com novas dinâmicas e atores, mas a cumprir o seu caminho. Jorge Jesus a influenciar a sua concorrência e a viver, neste momento, um dos grandes desafios de carreira: continuar a evoluir ou estagnar.

    Excelente texto.

    • O único adversário de JJ é a idade, nada mais. Com ele nem se pode falar em evolução porque ele é a evolução. E quanto à idade JJ é um jovem, em especial porque se cuida muito bem. Mentalmente tem uma agilidade e perspicácia inegáveis, e assim permanecerá ao longo dos próximos 12 anos.

      A par, exibe uma saudável motivação, ponderação e humildade: “Gostava que o mau pai me visse no Sporting. A minha relação com o meu pai é de luta. Dele, de sobrevivência. É o grande exemplo para a minha vida. Agradeço-lhe toda a educação que me deu. Não me deu qualidade de vida financeira, porque não tinha. Não me deu nenhum curso académico, mas a minha faculdade foi o futebol.”

  7. “O texto está perfeito mas há dois aspectos que considero onde Jesus falha, em primeiro lugar a abordagem que faz aos jogos a nível europeu, tem que os encarar com outra seriedade.”

    http://www.lateralesquerdo.com/pt_PT/2016/09/16/como-jesus-preparou-a-partida-no-bernabeu/

    E não é só frente a adversários como o Real Madrid. Jesus levou o SLB a duas finais na Europa eliminando campeões gregos, turcos, 4ºs classificados do futebol alemão ou inglês, ou equipas como a Juventus que apesar de muito fortes estão uns furos abaixo do Real. Leverkusen, Bordéus, Lyon, Tottenham, enfim muitos adversários diferentes.

    “… e Guedes alguma vez jogaria havendo Rafa, Jimenez e Mitroglou disponíveis ? Até Cervi duvido se não seria Pizzi.”

    Guedes jogou tanto com Jesus quanto com Rui Vitória na temporada passada ao longo de 3/4 meses. Não é preciso puxar muito pela memória para lembrar as opções de RV que agora é percebido como o ‘mestre do Seixal’, Rui Vitória esse que ao pé de Jesus nem treinador de guarda-redes é (na minha opinião). Basta ouvi-lo. Basta ver os jogos do Benfica. Basta ver o sofrimento, o despreparo e a incapacidade do Benfica a jogar sempre que sai da Luz. E Foi Jesus quem lançou Guedes no Benfica, tal como Pizzi, Pizzi esse que passou imediatamente a titular assim que Enzo saiu.

    A pecha de Jesus é só uma: tem má imprensa, nasceu na Amadora, é muito humano, gosta de treinar em Portugal porque durante muito tempo não se quis separar da família (em especial do pai), não é demasiado ambicioso – embora goste naturalmente de dinheiro, tal como qualquer pessoa – e sofre às mãos de adeptos ressabiados e que têm muito má memória, em especial os do Benfica que sem ele seriam adeptos hoje de um clube muito mais pequeno e ridículo, porque o Benfica nunca passou disso entre 1995 e 2009. E sofre ainda em virtude da sua influência começar e acabar no treino. Com os jogadores do Benfica ou do Porto, no Benfica ou no Porto, e com R. Vitória no Sporting, Jesus seria pentacampeão com 10 ou mais pontos de avanço para a concorrência.

    • Acredita mesmo no que escreveu?
      – JJ tem má imprensa? As palermices que diz e os erros que comete sem que ninguém lhe cobre… E ainda acha que tem má má imprensa?!…
      É muito humano? Não me diga!… Quem trata os jogadores abaixo de cão como ele faz é muito humano?!…
      – JJ seria pentacampeão… Não me diga! Então ele com equipas de milhões, acima da média para para o universo português, perde três campeonatos seguidos… Como explica isto?
      É bom treinador? Sim,é! É o melhor a treinar em Portugal? Aceito que sim! Mas não é aquilo que ele próprio acha que é nem o que muitos pretendem que seja. Mas como homem é um cretino. E como dizia o outro, não passa de um vintém!
      E não é de agora que tenho esta opinião. Já quando estava no Benfica, a minha opinião sobre ele, era negativa!

      • Sim estamos somente a exprimir opiniões.

        Desses 3 campeonatos só perdeu 1, o primeiro, e embora o SLB tivesse terminado a 20 pontos do FCP, o SLB perdeu-o nos confrontos directos com a equipa de Villas-Boas. Foi aí que o FCP deixou o Benfica de rastos e o último 1/3 da prova mais não foi do que um resultado disso mesmo, K.O. completo que fez os jogadores benfiquistas “desligar”.

        Os 2 campeonatos seguintes o Benfica não os perdeu. Só podendo ganhar uma de duas muito boas equipas, no primeiro Lucho, James e Hulk derrotaram o Benfica na Luz num grande jogo de futebol, e 1 ano depois Kelvin surpreendeu o Benfica no Dragão. O SLB não foi campeão tal como o FCP poderia não ter sido campeão, tendo havido ainda pelo meio uma recepção ao Estoril onde o SLB perdeu pontos. Ainda assim foi um pormenor de Liedson e de Kelvin a escrever o desfecho que se conheceu.

    • Um chorrilho de disparates sem qualquer sentido ou verdade.
      “Basta ver o sofrimento, o despreparo e a incapacidade do Benfica a jogar sempre que sai da Luz.”

      Não podemos comparar o desempenho do Benfica com o Sporting fora de casa. O Benfica para além de de ter mais golos marcados fora, 12 golos, (o Sporting tem 7), tem apenas 5 sofridos, o Sporting tem 8. O Benfica tem 19 pontos fora, o Sporting apenas 8. Uma diferença abissal.

      “…que sem ele seriam adeptos hoje de um clube muito mais pequeno e ridículo, porque o Benfica nunca passou disso entre 1995 e 2009”.
      Se não é brincadeira e mau gosto, parece.
      Adepto de um clube que não ganha quase nada, que está no 52º lugar na Europa, já atrás do Braga, a minorar um clube que em termos de adeptos tem apenas o dobro e fico-me por aqui. Nem vale a pena continuar.

      Na minha opinião RV é melhor treinador do que JJ. E esta minha convicção tem vindo a aumentar à medida que o tempo passa. JJ sem a estrutura do Benfica está mostrar a sua verdadeira cara. E não é apenas dentro do campo.

      Mesmo quando estava no Benfica, com a estrutura que o Benfica possui a dar lhe o apoio que ele agora não tem, e a qualidade suprema dos jogadores que tinha, cometeu imensos erros estratégicos e tácticos. Dentro e fora do campo. Coisa que RV raramente comete.

      Se há treinador em Portugal que tem boa imprensa é o JJ.

  8. Quanto ao salário, é como nas casas, quanto estou disponível a pagar e ele a receber, quanto ao futebol nunca …. Mas nunca o Sporting jogou tanto nos últimos anos e eu vou ao estádio à 11 seguidos com game box. Se falhou esta época sim mas à 2/3 meses era um super plantel , e eu que sou sempre muito desconfiado, achei que era melhor tb mas depois de ver o futebol do Sporting desta época vi que ou falta entrosamento ou qualidade… Mas agora é mais fácil …
    Se está tudo perdido? Não sei … Mas acredito que vamos voltar ao nível do ano passado …eu acho que sim….
    Quanto ao treinador; para mim fica claramente não há melhor disponível…

  9. “Rui Vitória esse que ao pé de Jesus nem treinador de guarda-redes é (na minha opinião). Basta ouvi-lo.”

    Sabes tanto de futebol quanto eu de agricultura

  10. O problema de JJ é só 1: não tem à disposição jogadores criativos para interpretar o seu modelo atacante. Tem o Gelson. PONTO. Não é suficiente.

    • Bas Dost, Pereira, Coates, Semedo, B. Cesar, Adrien, Campbell, A. Ruiz, Zagelotto. Poderiam estar la 3, no maximo, Adrien e mais 2. A partir do momento que todos juntos perfazem 7 ou 8, em 11, a qualidade ressente-se.

      Lembras-te do Wilson Eduardo no 11 do Sporting? Nessa altura jogou com Montero, Carrillo, A. Martins, W. Carvalho e Adrien. Hoje, se jogasse neste 11 do Sporting, seria mais um pobre coitado a penar, tal como penam Bas Dost, Zagelotto, Coates, Semedo e todos os outros que mencionei, Adrien incluido. Porque nao sao jogadores brilhantes.

      O Sporting tem maus jogadores? Nao.
      Mas de grosso modo tambem nao tem bons jogadores.

      William mais 10, o Sporting e isso. Gelson Martins nao esta em condicoes de resolver “os” problemas do Sporting, embora resolva muita coisa. E um caso diferente de todos os outros.

  11. Uma fraqueza do Jesus parece-me estar na inconsistência entre o modelo ofensivo que desenha e os jogadores que escolhe para o interpretar. Não sei se concordam. Por exemplo, dá ideia que tem sido ele a indicar as contratações para o Sporting desde que chegou. E não gastou tão pouco assim. E olha-se para João Pereira, Schelotto, Zeegelar, Alan Ruiz, Campbell, Markovic, Elias, etc (o Bryan Ruiz já lá estava). Será que são as melhores opções para o jogo de posse e de desequilíbrio em espaços curtos que a equipa tenta fazer? E tendo em conta que tem à disposição Podence, Matheus, Gauld, Iuri etc?

  12. Jesus foi e é um bom treinador. Mas dizer que tem má imprensa e que é humilde, ou é ironia no seu espírito mais refinado ou é um endeusamento “ícariano” assustador.

  13. Em questão de títulos, não percebo como criticam o JJ pelo campeonato perdido aos 92: o Benfica e o Porto chegaram os dois à penúltima jornada sem uma única derrota! As duas equipas estavam tão equilibradas que a acontecer o empate nesse jogo, o Porto não tinha derrotas e mesmo assim não era campeão. Acabou no golpe de teatro do Kelvin chutar à sorte e marcar sem saber como. E no entanto parece que muitos consideram o “chegar à penúltima jornada sem derrotas” como a coisa mais normal do mundo. O Benfica acabaria por beneficiar de um inverso golpe de teatro no ano passado, quando o Bryan Ruiz falhou o golo de baliza aberta, e que a entrar teria deixado o Sporting campeão com record de pontos.

    O azar em ambos é do JJ, que elevou de tal maneira a fasquia que ganhar campeonatos sem derrotas, ou com record de pontos, passou a ser considerado um detalhe. E não esquecer que enquanto o Porto depois desse jogo foi comemorar, o Benfica ainda tinha mais uma final para preparar, e mesmo depois de todos terem vaticinado que o Benfica nunca iria recuperar, no ano seguinte foi fazer ainda melhor (perdeu apenas a final da LE quando metade da equipa titular estava lesionada ou castigada, suponho que isso também não seja nada de especial).

  14. Indepedentemente de todo o seu excelente trabalho (inegável), da percepção “prática” (catedrático do treino) alguém que se exprime como ele, com a “lentidão” e “basicidade”, duvido que isto não prejudique a visão para a leitura de situações cruciais e decisão inteligente. Por isso já foi tantas vezes comido.
    “Isto” ele já não aprende.

  15. Competente em todos os aspectos técnico tacticos do jogo.

    Do mais fraco que existe em termos de comunicação e motivação.

    É assim que o vejo

  16. Jorge Jesus tem tido um grande problema esta época que é o segundo avançado. 0 4-2-3-1 e o 4-3-3 reinaram durante anos o que condicionou a formação durante estes últimos anos. São pouquíssimos os jogadores que atuam nessa posição que consigam interpretar o que JJ quer, aliás contam-se pelos dedos bons segundos avançados.
    Por brincadeira estive a tentar encontrar jogadores que pudessem ocupar essa posição no Sporting e é quase como encontrar um unicórnio. O jogador ideal teria sido o Diogo Jota.

    Continuem o osso excelente trabalho, que bem falta faz ao panorama informativo português.

    Abraços

  17. sou benfiquista. para mim jj ainda é o melhor que temos por cá. mas tem defeitos, claro. e esses defeitos por vezes assumem uma escala que esmaga as virtudes.

    um deles, por vezes, é um excesso de confiança. acho que jj teve excesso de confiança que o levou a perder tempo na montagem da maquina deste ano: conseguiram o campbell e pensei – já arranjaram um substituto para o gutierrez de alto nivel. jj achou que era capaz de fazer dele um ala para 442. extremo em 433 talvez. ala em 442 … não.

    e depois, ha flops – markovic, elias, meli, castaignos, alan ruiz… bryan ruiz anda longe do ano passado.

  18. Um Professor catedrático tem um salário adequado ao seu estatuto! Nenhum treinador deixou um legado tao elevado para o jogo como o JJ. Mourinho trouxe o Scouting como mais valia, essencialmente, pouco mais aportou ao crescimento e evolução do futebol. JJ é um treinador transversal nas estruturas; aporta uma mais valia difícil de avaliar, que está muito para alem do treino e do jogo! A transformação global do desempenho do Benfica teve muito da visão global do treinador, como este na base do encurtar de distancias nestes 2 anos que esta em Alvalade. Uma equipa campeã é constituída por muitas variáveis, todas absolutamente vitais para um desempenho de sucesso. Esse know how nao se adquire numa biblioteca, poucos tem esta experiência e mais ninguém em Portugal, para alem de Jorge Jesus estaria disponível para correr o risco de questionar a sua reputação, num trabalho dificílimo face ao contesto.

  19. JJ leva anos a treinar. Experiência prática. Tática. Sem dúvida. Cá dentro sabe muito. De cada campo. De cada treinador. Mas falta cabecinha…esperteza, nos desafios mais inteligentes. Difícil chegar a esse patamar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*