A rotação e o foco mental. Decisões bem complicadas e passíveis de afectar o todo.

A

Chegam as partidas da Taça da Liga. E com elas, dúvidas para os treinadores. Rodar ou não rodar? Quais as variáveis a ter em conta? E o porquê de tantas vezes serem jogos com rasteira?

A decisão da rotação ou não, está muito longe de ser uma questão de leitura fácil para o treinador, ao contrário do que quem está em casa poderá sentir.  This content is only available to subscribers. Please contact us at lateralesquerdo.com@gmail.com for details or visit our Patreon page


P.S. – Já passa de uma centena os utilizadores registados na COMUNIDADE LATERAL ESQUERDO. Esperamos lá por vocês para continuar as discussões sobre este jogo maravilhoso. Em Janeiro com versão melhorada também para telemóvel.

P.S. II – Agradecimento muito grande a todos os que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, é passar por lá. Alternativa no  lateralesquerdo.com@gmail.com. Boas festas!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2537 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

2 comentários em A rotação e o foco mental. Decisões bem complicadas e passíveis de afectar o todo.

  1. Viva,

    Como benfiquista penso que esta prova veio mesmo a calhar pois permite não só “rodar” jogadores, como dar minutos a outros e acima de tudo mais tempo para recuperar jogadores que estão lesionados e que acredito ainda podem ser importantes para o resto da época.

    Não tenho acesso ao texto, mas dizer que o SLB fase aos objetivos da época mais a mais com a possibilidade de conquistar algo inédito que é o tetra e a Champions devia desta fez fazer uma gestão do plantel, é que todos os pormenores contam.

    Por um lado devia dar minutos a jogadores como Jardel, André Horta e Jonas e num outro grau a Lisandro, Carrillo, Zivkovic.

    Não percebi obrigarem os laterais existentes jogarem, mas considero completamente proibido utilizar Fejsa é que se se lesiona todo o castelo pode cair e é uma taça que infelizmente não vale a pena arriscar assim tanto.

    É a minha opinião

    Abraço e votos de um bom ano 🙂

  2. Viva,

    Aproveitando este texto gostaria de saber a vossa opinião em relação a um jogador que, na minha opinião, tem tudo para vir a ser um dos melhores jogadores que pisaram os nossos relvados nos últimos anos. Falo de Zivkovic que ontem finalmente deu um ar de sua graça e mostrou um pouco do potencial que todos ouvimos falar.

    Do que vi parece-me claramente um jogador muito acima da média e que tem tudo para encaixar na perfeição com o Rafa, Pizzi e Jonas.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*