Sector médio à deriva. SL Benfica.

Há um SL Benfica com Fejsa e um SL Benfica sem Fejsa.

O sérvio é o elemento mais decisivo de toda a equipa. Não somente pelas qualidades que apresenta, mas também porque o seu substituto está a anos luz de conferir o equilíbrio que o sérvio empresta ao colectivo encarnado. Sem Fejsa em campo é todo um sector que parece perdido no relvado.

Já na partida com o Feirense havia sido referenciado o facto de quase dar a sensação de que não há linha média na equipa encarnada, tanta é a desorganização.

No jogo de ontem todo e qualquer ataque azul terminava com os médios de frente para a última linha encarnada. Samaris é em termos de decisões sem bola um desastre à beira de acontecer. Não tem qualquer cultura táctica quando se fala em timings para sair ou ficar em protecção à linha defensiva. Joga um jogo à parte, sempre atraído pela bola. Sempre a querer ir morder o portador, acaba a jogar à rabia e arrastado para zonas ou mais ofensivas ou mais laterais do campo, não conferindo qualquer protecção à linha defensiva encarnada. Nos próprios momentos pós perda, demasiadas são as vezes em que por não estar em cobertura ofensiva (entre bola e sua própria baliza) está desde logo fora da situação de jogo. Pizzi ressente-se da ausência de Fejsa e também ele demora mais a recuperar metros, a ofertar coberturas defensivas e a adoptar o posicionamento ideal. Com Salvio sempre a desgastar-se em tudo o que são tarefas ofensivas, e a demorar a adoptar com rigor posicionamento defensivo, a linha de quatro do meio campo sempre a ser batida com uma facilidade incrível.

E novamente, logo após a sua entrada em campo, André Carrillo na transição defensiva a ser o elemento que vem fechar o espaço à frente dos centrais!

Sem Fejsa e sem correcções no mau posicionamento sem bola do sector médio, o perigo espreita a cada partida. E a certeza de que numa liga em que o desnível individual não fosse tão elevado, o Benfica pagaria caro o comportamento nos últimos jogos.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2645 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

20 comentários em Sector médio à deriva. SL Benfica.

  1. Eu gosto do Samaris , mas ao contrário que vejo defendido aqui, mesmo com bola o ele é 1 problema, em praticamente todos os jogos que ele faz ,ele perde bolas em zonas proibidas, é um jogador com bom físico , passe e qualidade técnica mas tem muitas dificuldades em manter os níveis de concentração sempre em alto tanto com bola como sem bola.

    O meio campo parece uma passadeira… espero que fejsa já esteja apto contra o FCP ou mesmo contra o Paço de Ferreira.

  2. Samaris é o espelho da saída do Jesus do Benfica. Um daqueles gajos que precisaria do perfeccionismo e insistência do JJ.

    Mas para mim o que mais me leva as mãos à cabeça é o Salvio ter lugar cativo no onze. É o pior extremo e a primeira opção. Faz-me confusão que o RV que anteriormente se destacou pelo discernimento com que fazia as escolhas no ataque, com tudo o que de bom isso trouxe à equipa na época passsada (aposta no renato; pizzi a voltar ao onze quando nunca tinha sido opção para a ala desde que estava no Benfica.) tenha agora estas pancas.

  3. No jogo da primeira volta frente ao Moreirense disse que se não fosse Fejsa, Podence e Geraldes tinham dinamitado o meio campo Glorioso. Houve alguns companheiros encarnados que me chamaram maluco e que o RV tinha perdido uma boa hipótese de rodar o Sérvio. Quando Podence e Geraldes esfrangalharam o Benfica na Taça da Liga a coisa tornou-se por demais evidente.

    A coisa só fica pior quando a Samaris e Sálvio se junta Lisandro López. Não haverem uns turcos ou uns chineses que se cheguem à frente com uns mendilhões para levarem o trio é o que eu lamento…

    (Nada a apontar ao benfiquismo de Samaris no entanto, enquanto adepto dentro de campo é top.)

      • A memória devia servir para relembrar como Samaria conseguia a arte de estar no sítio certo à hora errada e de como isso permitiu um sem número de contra-ataques mortíferos do Moreirense, com dois deles a acabarem com a bola no fundo das balizas, e outros a não darem em nada apenas porque o avançado tinha o critério de um Sálvio cego.

        Se quiseres falar de como o árbitro permitiu um golo com agarrão ou de entradas que na Europa dariam falta e cartão, fala para aí. Tendo tu o não razão isso não invalida o facto de que o Moreirense conseguiu n vezes passar o meio campo por incompetência pura do meio campo benfiquista, com Samaris à cabeça.

  4. Já há muito tempo que acho e digo que o Samaris não pode jogar no meio campo duma equipa que pretende estar no top do futebol europeu. Tem capacidade física e técnica para isso mas falta-lhe a noção de posicionamento e, mais importante de tudo, é muito lento a executar com bola e muito lento a ocupar o espaço de pressão sem bola.
    Na minha opinião daria um defesa central de topo, um pouco à imagem do que vemos agora com o Lindelof, e os jogos que já fez nessa posição foram muito bem conseguidos. Qual a vossa opinião sobre as vantagens dessa mudança de posição? O que seria o centro da defesa do Benfica com Samaris e Jardel?

    • Desculpa lá, mas o problema dele não é a posição onde joga. Mas sim a falta de inteligência para perceber o jogo! se ele não apanha uma a médio, onde é que ele vai “comprar” a inteligência para perceber os movimentos da linha defensiva? toda a gente refere o “ganda” jogo que ele fez a central, se não estou em erro, na Turquia. Mas esquecem que nesse jogo foi um sufoco, e o Samaris dava o “corpo ás balas”, coisa que inegavelmente ele tem de bom… mas para um central de top e para a qualidade de movimentação da defesa do Benfica, não chega.

      • Estava mais a lembrar-me do jogo dele nos oitavos da LC no ano passado contra o Zenit na Russia. Grande jogo e não foi apenas de dar o corpo às balas. Aliás, pode-se comparar esse com o jogo do Javi Garcia em Londres contra o Chelsea nos quartos da LC em 2012!
        Eu não acho que ele seja pouco inteligente e a posição que um jogador ocupa em campo é muito importante se relacionado com as suas características. Para mim o que salta à vista é a lentidão de execução que, no nosso campeonato, pode ser disfarçada mas em jogos mais competitivos cria enormes problemas.

  5. Concordo em abosluto, e saliento também a parte em que o Pizzi demora a recuperar mais a vir para trás.

    Sem bola, ainda tem que dar muito mais. Muito bom jogador, mas não excelente pelos momentos sem bola.

  6. Não acham que, na ausência do Samaris, era preferível jogar com o Almeida a 6?
    Ontem não porque teve que ir tapar outro “buraco”.

  7. Meus caros, ou sou eu que estou errado, ou Samaris não é, nunca será um 6, um jogador que compensa as laterais e a zona central. Samaris é um oito, que joga sobretudo solto e para a frente, sem grandes preocupações defensivas. Defende muito mal, o que o força a fazer faltas para compensar a falta de cultura táctica e de posicionamento. O problema é que para esse lugar existe Pizzi e esse não tem substituto. Confesso que não percebo a raiva a Salvio, que é só o motor do ataque benfiquista. Sem Salvio, o Benfica mastiga o jogo e quando não consegue entrar pelo meio, não sabe o que fazer à bola. Carrilho compensa melhor que Salvio, mas falta-lhe a explosão, velocidade e decisão que sobram ao argentino. Finalmente Fejsa. Como peixe na água na posição, mas beneficia muito da tolerância dos árbitros, cometendo muitas faltas que colocam em risco os adversários. Sabe fazer essas faltas, de forma a parecerem mera disputa de bola? Sim, é verdade, mas quem estiver com atenção ao seu jogo, perceberá que não acaba um em que não tenha pisado pelo menos dois adversários, faltas do tipo para meter medo. Mas tem uma cultura táctica grande e grande posicionamento. Porque não está num clube grande? Precisamente pelo seu jogo faltoso, que em Portugal não é punido, mas que lá fora valeria vários jogos na época sem jogar, para além de se lesionar com frequência, porque os adversários também não perdoam as suas faltas e por vezes devolvem as pisadelas. Já viram que as suas lesões são sempre musculares ou ao nível do último terço da perna? Na Alemanha, Samaris faria melhor figura que Renato Sanches.

    • Uma má decisão também é uma decisão e dessas o salvio tem de sobra, bem mais do que o carrillo ou qualquer um dos outros extremos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*