“MarsBet”

Assim também eu. O treino analítico.

O treino sempre com oposição (naturalmente que em momentos muito específicos com propósitos muito próprios, poderão haver excepções) é um dos principais catalizadores da aprendizagem e sobretudo da evolução.

Porque só com oposição se poderá associar a tomada de decisão. E a qualidade técnica não deve nunca crescer em separado da capacidade cognitiva. Porque se for só técnica, não é futebol, mas outra modalidade qualquer! Tudo se relaciona (gesto técnico com decisões). Se o nível de habilidade motora é tão baixo que a tentação pelo analítico possa aumentar, recorde que aumentar espaço e relação numérica a quem tem a bola, contribuirá para aumentar substancialmente o sucesso, promovendo a repetição do gesto, mas sempre em condições mais próximas das que se encontrará mais tarde em competição.

Promover o sucesso em cada exercício é determinante. Porém, com criatividade é possível garanti-lo mantendo as formas jogadas.

“Yo mismo soy capaz de hacer un buen pase. Pero realizarlo en un partido intenso, con la marca encima y nada de tiempo para cerebrar, es para elegidos.

Marcelo Bielsa.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2706 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

3 comentários em Assim também eu. O treino analítico.

  1. É isto !!!!!
    Retirar o timing, a exactidão , retira também o valor , o sentido do gesto técnico.
    O passe só é “válido” quando a circunstância lhe dá um determinado sentido que tem que ser Sentido por todos !!
    Eu não quero melhor a técnica quero promover a tecnicidade do e no (construcao) meu Jogar..
    E o pensamento nao pode ser linear , se é fraco .. então que jogue o jogo para que possa ser tudo mais natural , mais espontâneo , senão retarda se a evolução .. não se treine por pacotes . Não se parta aquilo que é Inteiro (pela sua natureza Inquebrantável,o jogo) , não se fragmente aquilo que só pudera ser fractalizado sem correr no risco de ser fatal(izado )

    Abraço !! Parabéns e obrigado por tentares abrir os olhos , a quem os tem fechados

  2. Muito obrigado pelo seu artigo. Sim, primeiro os eleitos porque eles quebram mecanismos. Como tao bem dito por Miguel Costa, deslinear. O treino e o jogo como modos diferentes porque o jogador elegido é que descobre durante o jogo a solucao. O sistema para dinamicas ofensivas, equilibrios defensivos mas sempre os melhores artistas. Por causa disso, que fico triste quand vejo Francisco Geraldes, um dos melhores jovens na decisao do que o jogo pede, na B porque sem a pressao dos pontos podia ser tao bem trabalhado na A.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*