“MarsBet”

O crescimento de Bas Dost

A bola que já não bate na parede, afirmou Jorge Jesus no final da partida. A curiosidade de em duas / três acções em que decidindo diferente do habitual durante grande parte da época (passe de primeira sempre na direcção de onde a bola vem), também num grupo privado enquanto se debatia o jogo alguém ter soltado um “olha, não trouxe as raquetes a Braga”. Jorge Jesus confirmaria a mesma ideia no final do jogo de Braga.

O crescimento de Bas Dost é o tema de mais um artigo Lateral Esquerdo no Jornal Record.

Aqui.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2764 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

6 comentários em O crescimento de Bas Dost

  1. Sem tirar mérito ao jogador e ao staff, mudar de um campeonato alemão para o português também tem influência não? Veja se Jonas por exemplo. Não percebo o ego do Jesus a reclamar para si quase todo o mérito… dos melhores a potencializar um bom sistema de jogo e jogadores mas deita quase tudo a perder com aquelas soft skills

    • Jesus não esta a reclamar a produção e talento do bas dost para si, e tb e verdade que a liga portuguesa e mais fraca que a alemã. Mas esse não é o topico em questão, mas sim a diferença para positiva do jogo com bola de bas dost da primeira volta para a segunda. E ai a equipa tecnica tem merito ao estimular o holandes para fazer coisas um pouco diferentes do que estava habituado. Basta ver uns jogos e ve-se logo o que mudou

    • Sim, sempre a reclamar para si… Nao revejo nenhum treinador a faze-lo sendo que alguns ajudem a crescer os jogadores e em vez de tirar a manta para si, vao mas é elogiar-los. Com Jesus, os jogadores aprendem basica e truques mas é so mecanismos, o que explique certos flop dos que passam para eles no seu inicio de carreira ou com poucas rotinas como enzo perez, andre gomes, siqueira, ramires, rodrigo, slimani,witsel, markovic,gaitan, joao mario… O Matic safa se porque mecanismos bastam nesse Chelsea e Di Maria tem imenso talento mas nunca foi bom na decisao. Ele nunca faz crescer o jogador na decisao sem ser no seu sistema. Alias, prefiro o Jonas do ano passado com o RV e o Aimar que preferi ver foi o do jogo de 2nda mao com o Chelseao na liga dos campeos quando o Benfica jogava com dez, e que Aimar teve liberdade toda para compensar o meio campo. E outros souberam trabalharam o Bernardo na decisao que era o mais prometor nesse aspecto, e o William està a desevoluir e està muito aquem do seu potencial

  2. E vou a bater na mesma tecla: ele nao sabe trabalhar o jogador na liberdade da sua criatividade o que explica os flops quando os jogadores que ele trabalhou saem do seu sistema. E como o seu sistema funciona no campeonato portugues que é menos exigente e basta mecanismos, là fora é pedido muito mais…

  3. Nao sei se sou bem entendido quando falo na criatividade. Vou tentar ser mais escalerecedor:
    1/ O futebol é movimento e também movimento do corpo
    2/ O futebol é desequilibrio e logo começa com a bola no pé, bem diferente da mao…
    3/ O futebol é recomposiçao perpetua de espaço, aguns espaços muito curtos e outros mais largos
    4/ O futebol sao possibilidades de espaço que ainda nao existem ( profundidade, atacar espaços com apoio, fintas que abrem espaços…)
    5/O futebol permite no minimo uma organisaçao muito forte com espaços e tempo de execuçao estudados ao pormenor que sao as bolas paradas(livres, cantos) mas o resto do tempo, os espaços sao inacabados e a vida do jogo manda nisso sem paragem de tempo.

    O jesus tenta que a colectividade organiza os espaços defensivos ou ofensivos e para isso ele estuda o posicionamento de cada um. Uns e outros ajudam se e quando tem a bola, têem sempre uma boa zona de conforto e possibilidades que foram estudadas antes sempre à volta. Para isso, cada jogador tem que respeitar os preconceitos. No campeonato português, a adversidade que nao é muito forte permite um certo sucesso. Ele é muito inteligente e certos processos sao utilizados por outros treinadores. Mas o defeito é que o jogador nao se move por si mesmo e nao tem liberdade. Assim muitas vezes, os seus jogadores mais talentosos com bola jogam nas alas porque a perda nos lados é menos perigosa….

    Outros tentem o equilibrio ao maximo mas de resto fazem sobretudo confiança nos jogadores para as decisoes. Para isso, escolhem os jogadores que se movem melhor com mais tecnica no pé; depois, aquele que tem a intuiçao e que vê antes dos outros; depois ensinam a respiraçao do jogo. Isso tambem existe na defesa e o Sergio Ramos que nao respeita sempre posiçoes, sinta o jogo e anda a corrigir sempre a tempo.

    Como jà disse, o futebol nao é um desporto como os outros porque o tempo e o espaço sao sempre inacabados, e a essencia do futebol é agilidade e intuiçao ao caos do jogo.

    O jesus nao o entende por vontade de controlo absoluto e de narcissismo. So quem conhece o jogo ( Zidane), ama os jogadores e tem humildade é que vai ter uma base no sucesso; e depois a inteligencia da colectividade e de um melhor controlo para ajudar os melhores jogadores nessa criatividade.

    O Guardiola é o melhor treinador de todos os tempos porque conseguiu reunir essas condiçoes mas ele nao ganha sempre porque os jogadores sao sempre os mais importantes

  4. E se alguns nao entendiam a merda que JJ escolha para o seu plantel, ficam entendidos.
    Igual para os outros que nao entendem porque o mestre da tactica e dos treinos nao sai do campeonato português e da sua zona de conforto.
    E para aqueles que quando ele perde dizem que é porque os outros treinadores tem sorte por causa dos jogadores, eles mesmos nao sabem que estao tao perto da verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*