“MarsBet”

Cristiano Ronaldo, a adaptação.

Ele antigamente ficava mais nas alas para depois apostar no um contra um. Agora, ele já não é esse jogador. Ele quer a bola em zona onde pode atingir mais o adversário, ou seja, marcar golos ou fazer assistências. Neste momento, não existe ninguém melhor do que ele a fazer isso.

Rio Ferdinand

O ex central da selecção inglesa a explicar sucintamente como foi evoluindo o jogar de Ronaldo.

Em determinado momento da sua carreira, Cristiano foi perdendo aquela “ginga” que fazia de si um desequilibrador nas zonas de criação. Um período houve em que parecia perdido entre o que era capaz, o que podia dar, e o que pretendia ofertar. Não percebeu imediatamente a forma como foi perdendo influência nas zonas de criação. Porque nunca foi um jogador especialmente forte na tomada de decisão, a forma como foi perdendo a tal habilidade e capacidade para desmontar oposição com o seu drible, tornou o seu jogo bem menos produtivo nas zonas de criação, ainda longe do momento de finalizar. Só com o tempo e com o erro foi entendendo que o melhor que tem para oferecer para as equipas que representa é jogar simples e procurar pouco protagonismo longe da grande área, e centrar-se sobretudo no ataque às zonas de finalização.

Aquele que é um dos melhores finalizadores de toda a história do futebol mundial, porque antecipa espaços, porque percebe antes de todos onde a bola vai cair, porque é um animal de movimentos na grande área, e acima de tudo porque coloca em cima da forma como “adivinha” um gesto técnico seja a rematar ou a cabecear como muito pouco visto antes na história do jogo, entendeu oportunamente o espaço que poderia encontrar para ficar como um jogador marcante, recordado até daqui por cem anos.

E se há umas épocas atrás poderia ser comum predizer que Cristiano iria ter dificuldades com o passar dos anos, porque forçava demasiado a acontecer um jogo em que não é de todo um especialista (criação), e com a perda progressiva das capacidades condicionais, menos qualidade para o desequilíbrio iria ter, hoje Cristiano entende o seu espaço e os seus momentos para aparecer como protagonista. E porque o seu espaço é a grande área e o seu momento o de finalizar, Ronaldo poderá continuar a fazê-lo com a qualidade do costume por mais uns bons anos. Assim, continue a jogar em equipas com capacidade para criar sucessivamente lances de potencial ofensivo.

P.S. – Agradecimento muito grande aos cada vez mais, patronos deste projecto!  Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda para que possamos manter periodicidade das publicações é passar pelo  Patreon.  Agora também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Ontem foi dia de vários uploads! Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2706 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

13 comentários em Cristiano Ronaldo, a adaptação.

  1. Um apontamento que se pode atribuir a esse treinador sortudo?
    So pode ser coincidencia que acontecesse a mudança logo no ano passado quando o Zidane começa a ser treinador e que acrescentou tanto este ano….

      • dass ou dasa nao conheço mas tambem nao sou bem dos vossos lados e se calhar nao conheco bem o vosso calao.
        Mas chato, isso jà percebo melhor, é algo que uso quando estou farto, eu digo “chiant”, fica mais lindo.
        Chato ficaria ainda mais para ti se eu respondia de novo à tua simpàtica mensagem mas tambem se eu nao o fizesse, se calhar, nao seria assim tao chato.
        A minha mae, digo lhe que é chata para a mandar calar mas nao surge nenhum efeito ou fica pior aos meus ouvidos. Ao meu pai, é a mao dele que eu cheirava mas numa caixa de leitores, fica mais facil e torna possivel a cobardia. Eram outros tempos,e agora o meu filho e a minha mulher é que me tratam de chatos mas sempre com humor mas da tua parte ( acho que jà posso agora te tratar por tu), sinto a falta dele.
        Falas muitas vezes das crianças e do prazer do futebol, entao, tambem nao te esqueças que apenas sao conversas de futebol. As minhas nao sao do teu agrado, e como nao estou em boa casa, me vou embora.

        • nao é isso, pa! Es muito bem vindo aqui, mas tas sp a dizer o mm. a querer aproveitar todas as frases para ir bater na tua defesa do Zidane, só para contrariar o Nuno. Pa, constroi qualquer merda com argumentos. Fica mais giro do que andar em todos os textos a pegar qq coisa para dizer o mm…

  2. O que não entendo é como é que um jogador que é apenas top mundial em um momento pode ser considerado por muitos como um do melhores da história… Adoro Cristiano, acho-o um dos melhores finalizadores de sempre (completissimo nessa acção), mas quando comparas com o que Maradona, Zidane, Ronaldo Nazário, Ronaldinho, Iniesta ou até Baggio, Bergkamp ou Romário (outros favoritos meus e pouco considerados) davam ao jogo e a influência que tinham, simplesmentenão percebo. Talvez seja do mediatismo, da cena da imagem e de haver muita gente que não percebe de futebol a escrever sobre futebol.

    PS: Só mencionei quem vi jogar
    PS1: Não, não me esqueci do Messi, mas achei por bem deixar seres sobrehumanos de fora 🙂

  3. Certo, entendo isso até certo ponto. Mas então , mesmo com esse argumento,como é que tanta gente senta na mesma mesa Cristiano e Messi? É que assim nem pode haver sequer inicio de discusão sobre quem é melhor. No entanto, é o que se vê. Parece que por ser português, para todos os portugueses ou com alguma ligação a PT, tem de ser dizer que o CR é o melhor. Se tens ligação ao Real, tb. Se tens ligação ao Sporting, tb. Ao MAn Utd, tb. Porra, não é evidente quem é melhor?!?! Mas lá está, o que entra pelas nossas casas são as opiniões de tolos, que só vêm o óbvio (o golo). E assim o gado vai todo atrás… Desculpa Maldini, mas esta questão (que é um pouco off-topic, mea culpa..), tira-me do sério. Ah, o CR trabalhou muito para chegar onde chegou, dizem aqueles que acham que o Messi so sai de casa para jogar… Não entendo, sinceramente, não entendo

  4. E o Ferdinand tb é outro tolo. Com que então não há ninguém melhor que o CR a fazer golos e assistências?
    E no inicio acabou por dizer que o CR achou melhor ficar à mama para marcar mais golos … 🙂

  5. A constante bajulaçao cega de alguns a C. Ronaldo, só encontra comparaçao na constante tentativa de menorizar os seus feitos por parte de outros.

    Dizer que C.Ronaldo nao tem influencia no jogo, com os numeros que ele apresenta, com as provas que ja deu em diversas circunstancias e realidades, só me da para rir sinceramente.

    A constante tentativa de comparar Messi a Ronaldo, ou entao nao comparar (menorizando o segundo, porque o primeiro é um extraterrestre, daqueles que so apareçem com a camisola do barça vestida) é inutil. Ha coisas que nao se comparam! Simplesmente apreciam-se.

    Sai-se o Messi da sua redoma de vidro, de junto dos seus companheiros de anos, e fosse ajudar a criar outro “Barça” noutro lado qualquer, e aí sim veriamos se ers um ET ou nao. É que na seleccao da Argentina, muitas das vezes, parece que lhe faltam alguns dos poderes magicos que dizem ter. Ate os dele criticam isso.

    Rei ha so um. MARADONA e mais nenhum. Ganhou o que ganhou, levou as equipas dele as costas, ele sim criou campeoes. E fe-lo sempre de agulha espetada no braço, e sem ter sido atleta um unico minuto da sua carreira.

    • PedroC, onde digo que Cristiano não tem influência no jogo? Só um tolo pode dizer isso de alguém que faz golos que ele faz. O que digo é que se resume isso. Se para ti (como para muitos) o golo (mais correcto neste caeso até é dizer a finalização, uma vez que para mim, o golo é mais que metê-la lá dentro…) é o que mais importa, acima de qualquer outro momento ou acção, então sim, podes ficar com o bacalhau desta discussão. Eu não vejo assim o jogo e tem tanto valor a finalização como a criação ou a construção. Quanto mais qualidade tiveres nestes momentos, mais perto ficas do golo. Por isso achar que o Messi é melhor que qualquer outro jogador que eu tenha visto jogar (MARADONA incluído!!) pois é fenomenal em todos esses momentos, é que consegue ter mais qualidade em qualquer desses momentos.
      Não menorizo em nada o que Cristiano tem feito e vai continuar a fazer. No geral, é o melhor português de sempre. Agora parece-me claramente exagerado elevá-lo à condição (ou à discussão) do melhor de sempre.

  6. o Rio Ferdinand a falar brasileiro, wtf? Em defesa do Rio: para os ingleses só conta a Premier League ( e alguns jogos da ECL) como campo de “recrutamento” para a escolha de melhores executantes. Os campeonatos periféricos, conspurcados com mergulhadores e fiteiros, não contam. Can’t say I blame him.

  7. o post acerta em cheio na mudança do Cristiano, com uma divergência: quando falas de “perda progressiva das capacidades condicionais” eu entendo que se tratou de uma mudança progressiva das capacidades condicionais, fruto até de uma alteração da própria morfologia. Não apenas do passar dos anos, mas de trabalho nesse sentido. Era e continuou a ser um jogador topo mundial, mas creio que se afirma como um dos jogadores mais decisivos e consistentemente decisivo, da história do jogo. A expectativa criada por qualquer espectador quando recebe na grande área ou imediações comprova isso. E de facto, como sempre, é off-topic vir aqui falar do Messi ou de hierarquias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*