“MarsBet”

SL Benfica 2017 / 2018. Parte I.

Apresentou-se hoje o Benfica ao trabalho.

A análise a cada sector dos encarnados.

Guarda redes

A posição onde provavelmente a qualidade diminuirá de forma abrupta comparativamente à temporada passada.

Júlio César, Paulo Lopes, André Moreira e Bruno Varela, são as quatro opções de um plantel. Sendo que uma delas deverá sair. Júlio César transferido ou libertado a custo zero. Ou Bruno Varela, por empréstimo serão os mais prováveis candidatos na porta de saída.

Na baliza em 2016 o Benfica teve Ederson, um dos melhores do futebol mundial, não somente pelo facto de ser um guarda redes completo, numa perspectiva de participar também no jogo do ponto de vista ofensivo, mas porque mostrou ser de um nível incrível no controlo da sua área, da profundidade, na capacidade para defender remates, e para sair, antecipando lances de potencial perigo.

Júlio César está muito longe dos tempos de outrora. Mais lento, menos ágil, a demorar mais a mover-se, seja para sair da baliza, seja no próprio tempo de queda. Pelos problemas físicos que vai sentindo a cada época, dificilmente poderá voltar a atingir o nível a que o Benfica tem estado habituado no passado recente. Inclusive, do tempo em que o próprio era o dono do lugar.

Paulo Lopes. A melhor opção para terceira opção, onde importa mais o perfil e personalidade do que propriamente a qualidade. São largas épocas confortável com o seu espaço, contribuindo fora do campo para o agregar de todos em função de um objectivo. É o único guarda redes que parece ter certa a sua continuidade.

Bruno Varela. O preço de recompra era muito baixo, pelo que foi natural o seu regresso aos quadros do SL Benfica, depois da época positiva que fez em Setúbal e terminou com a titularidade no Europeu sub 21. Ainda parece cedo para um desafio do nível do dos encarnados. Nem sempre denota a tranquilidade necessária, e há ainda muito por onde crescer. Precisa de competir para continuar a melhorar, pelo que um empréstimo com garantias de jogar sempre é a melhor solução.

André Moreira. O português resgatado ao Atletico é uma incógnita. Demonstrou imensa competência nas selecções jovens e também na sua passagem pelo União na primeira Liga. É um guarda redes com imensa presença física e que se move de forma rápida entre os postes. O tempo que leva sem competir e o facto de nunca ter tido a responsabilidade de assumir a tempo inteiro a baliza de uma equipa grande tornam difícil predizer o que virá. Porque jogar num clube da dimensão do Benfica, tem também muito a ver com personalidade e capacidade para manter a serenidade. Qualidade tem.

 

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 74 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

3 comentários em SL Benfica 2017 / 2018. Parte I.

  1. O que vos leva a dizer que o Paulo Lopes está seguro em relação aos outros todos? Esta opção da baliza no Benfica, parece-me uma despedida do Paulo Lopes.
    Ficando assim com 2 guarda-redes jovens, e um trintão e com uma experiência enorme. Um dos jovens é da casa.

  2. “A posição onde provavelmente a qualidade diminuirá de forma abrupta comparativamente à temporada passada.”…aqui estou 100% de acordo….teria preferido o GR do Moreirense, ou o Vaná, tenho o jogo de pés dos GR como muito importante no “futebol moderno”….. gosto muito do “puto” da Covilhã, que parece que já assinou pelo Benfica, ficando emprestado ao Covilhã (para mim má opção, a do empréstimo)…opiniões…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*