“MarsBet”

Pressionar alto. Comportamento colectivo!

Pressão Alta.

Quando? Como? Porquê?

Quais são as vantagens de pressionar no meio campo do adversário?

Tentar recuperar a bola em zonas mais altas e mais perto da baliza adversária, é a situação ideal para pós recuperação da bola se conseguir explorar transição e proporcionar situações não só mais próximas da baliza adversária, como tantas vezes de golo iminente.

Quando?

Para ser eficaz a pressão terá de ser coordenada e não apenas ser executada por um jogador ou uma unidade da equipa. Terá de ser uma reacção em cadeia, conjunta! Que procure tapar espaços e cortar possíveis linhas de passe e pontos de saída do adversário.

Quando o adversário tenha cometido um erro!! Seja este técnico – Primeiro toque/ recepção não foi boa – logo daria lugar para se desencadear essa pressão!

Erro táctico – distancias entre os jogadores sejam de tal forma inadequadas que seja difícil para o portador da bola dar seguimento a uma jogada.

Como?

O jogador mais adiantado ou mais perto da bola, inicia a pressão ao portador – tendo em consideração o seu posicionamento corporal para poder cortar linhas de passe e conseguir “fechar” o campo ou limitar as opções do portador da bola.

Na actualidade muitas são as equipas estudam cuidadosamente os adversários e normalmente começam a pressão quanto a bola está na posse do Defesa Central tecnicamente mais limitado, focando uma marcação mais próxima do outro central. Ao movimento do primeiro jogador a pressionar segue-se uma reacção dos jogadores mais próximos (médios) e defesas em subir linhas e cortar / eliminar opções de passe. Isto condicionará até o posicionamento do guarda redes, pois terá de se controlar a profundidade – Aí não só os centrais mas o próprio Guarda Redes terá um papel preponderante.

Porquê?

Pressão alta não só é uma estratégia contra um adversário que tente construir o seu jogo na primeira fase da sua organização defensiva mas também poderá ser um estratégia de dependendo das características dos jogadores que possuímos nos ajude a tirar maior proveito da recuperação da bola bem perto da baliza contrária, e numa fase de “desequilíbrio” defensivo da equipa que acabou de perder a posse de bola.

Não só uma estratégia ou filosofia!  Também poderá ser um sinal de domino absoluto e autoritário no sentido em que dominamos o jogo com posse e continuamos a ser perigosos mesmo sem ela!

 

Luís Nuno
Sobre Luís Nuno 5 artigos
Co fundador do "Lateral Esquerdo", licenciado em Desporto. Ex jogador da formação do SL Benfica e Sporting CP, tem o curso de treinador Uefa A, e é actualmente treinador de futebol numa Academia em Inglaterra.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*