“MarsBet”

Sporting CP 2017 / 2018. Parte IV.

Os avançados.

Bas Dost. O goleador que paulatinamente Jesus foi tentando mudar para que pudesse contribuir também nas zonas de criação para o jogar colectivo. Aos poucos foi conseguindo mostrar-se para dar opções e terminou a época até a somar decisões diferentes do habitual. Ainda assim, é dentro da grande área que acrescenta. Ai, é bem possível de não haver ninguém como ele desde Falcao. Qualquer bola que cruze a área para cair no segundo poste pode terminar em golo.

Gelson Dala. Depois de uma temporada de muita qualidade na segunda liga, tenta ter espaço na primeira equipa. Rápido, de enquadramento e drible fácil, é um agitador que também finaliza. Não é expectável que possa vir a ser uma figura no plantel do Sporting no imediato, mas treinar com a equipa principal e somar minutos novamente com a equipa B fará Dala crescer, preparando-o para o futuro.

Leonardo Ruiz. O colômbiano deverá continuar a ter o seu espaço na equipa B, mas treinar num contexto mais complicado é o caminho para continuar a evoluir. Não é somente alguém que aparece para terminar os lances, também demonstra bons timings para baixar e pedir no pé. Um empréstimo na primeira liga poderia ser proveitoso para uma melhor avaliação.

Doumbia. Muito provavelmente será o parceiro de Bas Dost na frente de ataque. Traz a capacidade para atacar a profundidade que o Sporting não teve no seu corredor central na temporada passada. É soberbo a mover-se e a finalizar, inclusive no jogo aéreo onde nem sequer prima por ter uma estatura elevada. É no entanto, tal como Dost, alguém cujas qualidades se fazem notar sobretudo na finalização, e não tanto no ligar o jogo por dentro e trazer criatividade e qualidade de decisões no corredor central. A sua presença possibilitará utilizar um extremo mais pensador, mais para ligar… como eventualmente Geraldes…

Alan Ruiz. Deverá perder um pouco o espaço que tinha para Doumbia. Não tem disponibilidade nem capacidade para poder integrar a dupla de médios centro, mas porque tem criatividade e qualidade técnica muito elevada, poderá adaptar-se a uma ala. Se Jesus entregar o ataque a uma dupla de mais finalização e menos criação, a solução para ligar a equipa poderá vir da inteligência dos alas, e aí, Alan poderá ganhar importância. Finaliza com enorme mestria e também por isso, mesmo que partindo do banco, terá sempre oportunidades.

Jovane. Entra no seu primeiro ano de Sénior com o prémio de fazer o estágio. Tem versatilidade para poder jogar como avançado ou extremo. O futuro imediato passará ainda pela equipa B e um procurar de consolidar espaço na Segunda Liga, para posteriormente se perceber até onde poderá chegar o jovem.

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 74 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*