Partidos ao meio. Mérito ou demérito?

white corner field line on artificial green grass of soccer field
É muito ténue a fronteira que separa o mérito do demérito de uns e outros. Na partida da Supertaça, houve obrigatóriamente muito de ambos.

Mérito:

– Excelentes saídas do FC Porto para contra-ataque. Hulk e Varela servem como boas referências para receber o primeiro passe após a recuperação da bola.

– Varela. Não simpatizamos com o jogador, aquando do momento de organização ofensiva. Porque tem dificuldades técnicas e visíveis deficiências na recepção de bola. Em espaços curtos tal é determinante. Porém, com meio campo quase totalmente livre e espaço para correr de sobra, é e foi um verdadeiro perigo. Foi o MVP do jogo de Aveiro.

– João Moutinho. Só alguém muito mal intencionado pode considerar que alguém que cumpre épocas a fio sem falhar um único jogo, jogando sempre a um ritmo elevado é mau profissional. Só um jogador que treina sempre nos limites consegue esta performance desportiva. Não só não é mau profissional, como é um caso único em jogadores portugueses. Uma espécie de Lampard do ponto de vista da entrega à profissão. É o melhor médio do FC Porto, e fez um jogo enorme. Ahhh e Queirós é um asno!

– Falcao. Raçudo e verdadeiro homem de área. Pode fazer golos a qualquer momento.

– Belushi. É bastante criativo e não se coíbe de cumprir as tarefas defensivas. Quando sair para entrar Micael, o FC Porto ficará a perder.

Demérito:

– Jorge Jesus. Fábio Coentrão tem de jogar a lateral esquerdo. É nessa posição que faz a diferença, mesmo em termos ofensivos.

– Carlos Martins. Perdeu demasiadas vezes a posse da bola. Em termos defensivos, não tem como competir com Ramires. Já aqui o haviamos referido, sem o queniano, o Benfica parte-se em dois. Ficam somente 5 jogadores para defender e o sexto (Ramires) já não vai aparecer… A principal razão para tantos e tantos contra-ataques adversários prende-se com esse facto. Com Martins a equipa está sempre próxima de sofrer golos. Não jogando com um jogador capaz de assegurar uma boa transição defensiva, os jogos do SL Benfica fora de casa serão bastante mais interessantes.

– Jara. Terrível no período que esteve em campo. Perdeu a bola de todas as vezes que a tentou receber.

– César Peixoto e Hulk. Duelo de horrores. Peixoto move-se à velocidade de um caracol. Toda aquela capacidade técnica e inteligência já não são suficientes para assegurar um lugar no onze de uma equipa que pretenda sagrar-se campeã. Porém, que dizer de Hulk? Não ganhou um único lance de 1×1 contra o defesa mais lento da história. E se ele persistiu e forçou essas situações…

Notas finais:

– O FC Porto demonstrou uma superior capacidade nas transições ofensivas. Tal não significará necessáriamente que a equipa está no ponto para atacar a Liga. Relembre que será em organização ofensiva que o FC Porto terá de desbloquear 90% dos jogos…

– O SL Benfica, independentemente de uma exibição péssima, continua a ser a melhor equipa em organização ofensiva, e continua muito provavelmente, a ser o principal candidato ao titulo. Porém, há que corrigir a transição defensiva. Agora que Ramires partiu, muito dificilmente Jesus terá uma época com tantos jogos tranquilo.

Sobre Paolo Maldini 3790 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*