Sobre Paolo Maldini 3777 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

8 Comentários

  1. Curioso, que sempre disse que ele não pode valer só o que mostrou.

    Mas, tb n é por ter feito 2 golos (e q golos) num jogo, que já afirmo que é bom. Agora que me deixa mais convicto de que n se pode ter visto o verdadeiro Pongolle…isso deixa…

  2. PB,

    onde andou o Postiga nestes dois últimos anos? Estou certo que se fosse jogar para o Saragoça, jogando contra os Sporting Gijón do campeonato espanhol, que se destacaria. Olhamos para um Soldado, um Jurado e – apesar dos milhões que custam – não vemos que entrassem de caras em qualquer dos três grandes e/ou que triunfassem neste nosso pequenino futebol.

    O futebol português, apesar dos treinadores que tem, tem jogadores com qualidade. E mais, o futebol português, apesar do Ulisses Morais, do José Mota e do Manuel Machado, tem equipas muito habituadas a jogar sobre si mesmas, a praticar um futebol muito fechado, nas transições e directo e a complicar muitíssimo a vida a jogadores que não sejam ultra-explosivos ou a equipas que não estejam bem organizadas.

    O Pongolle nunca poderia jogar no 4-3-3 que o PS ainda pensou (porque não é explosivo como lhe pediriam). Mas seria uma boa opção para jogar no 4-4-2, sobretudo ao lado do Postiga. Mas como não é nenhum pinheiro, ganhava muito, tem mais ou menos o mesmo tamanho que o Liedson e até era mais caro que o Postiga, foi-se embora.

    E não voltará a valer €6,5M porque não tem rapidez de execução, explosividade, velocidade no sprint médio e longo, para ser um jogador para uma equipa de topo ou para uma equipa do campeonato inglês. Equipas do meio da tabela em Espanha ou em França seriam para as suas características.

    Simplesmente há culturas em determinados campeonatos que favorecem mais uns jogadores do que outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*