Nico Gaitán e Salvio

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Um tem vinte e dois, o outro apenas vinte anos de idade. Em ambos se percebe talento e capacidade para mais tarde chegarem a uma Liga diferente.
Nico é um jogador de classe. Muito inteligente, e com excelente técnica individual. É impossível não apreciar o estilo. A inexplicável forma como por vezes desaparece do jogo, bem como a pouca disponibildade que mostra para as tarefas defensivas, prejudicam-o e prejudicam a sua equipa.
Salvio é mais disponível fisicamente. Jogador aguerrido, assegura, porque é mais disponível, com muito maior qualidade os momentos defensivos do que Gaitán. Perde para o colega em criatividade, mas é também um jogador hábil.
Consiga Jorge Jesus cativar os argentinos para cumprir com dedicação e qualidade todas as tarefas em todos os momentos do jogo, e o SL Benfica ganhará dois excelentes jogadores. De momento, por mais que se aprecie o toque de qualidade ofensiva que ambos acrescentam (ainda que, demasiadas vezes apenas a espaços), é impossível não pensar que a má performance defensiva colectiva do SL Benfica, tem muito que ver com os seus interiores.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3333 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. Nem mais. E a solução passa, se não passar por Amorim, por… Peixoto. São estes os dois únicos no plantel que asseguram o equilíbrio colectivo da equipa. Numa ala, um desequilibrador (Gaitán, Salvio), noutra um português, seja Amorim seja Peixoto.

    Uma palavra para este último: nem ele merece desportivamente, porque tem feito bons jogos, que se lhe critiquem todas as decisões em campo nem, MUITO MENOS, a imbecil assobiadela que lhe votaram aquando da sua entrada em campo. Se isto é ser do Benfica, vou ali e já venho.

  2. Não sou um fã do Peixoto (sobretudo a extremo-esquerdo como o Jesus, apesar de tudo um excelente treinador, insiste) e não concordo que com ele o equilíbrio colectivo melhore (falhas posicionais, de passe, defensivas, etc). Agora concordo com o Ricardo: ir ao estádio para assobiar um jogador do Benfica é de uma perfeita estupidez e até injusto (o Peixoto no ano passado foi importante para o título, fazendo minutos preciosos e competitivos). Não estamos em Alvalade.

  3. nao concordo com voces e nem percebo como e que peixoto tem lugar nesta equipa. e os adptos teem o direito a mostrar o seu agrado ou nao aos jogadores.. porque nao podem assobiar?? e por os adeptos nao serem exigentes que o sporting esta como esta.

  4. A contra-argumentação do anónimo, à partida, até parece correcta, mas, creio eu, no Benfica apoia-se em primeiro lugar, porque, em princípio, há alguém mais credibilizado do que eu ou o anónimo, para criticar, sobretudo em campo, o que quer que seja. Aliás, se é para assobiar, puxar para trás o trabalho de quem lá está, mais vale ficar em casa. Hoje em dia há blogs, como este, e outros também muito bons, outros piores, desportivos, cafés, etc., para se comentar e deixar o bota-abaixo, mas não é no campo. Ou melhor, não é quando entra, é, quanto muito, no fim, com o famoso lenço branco, o que for. Nunca antes de entrar. E o Peixoto para Mourinho serviu para duas competições europeias, vencidas, atenção, e para nós, para não variar, não serve. Nós, não, alguns adeptos… anónimos!
    Quanto ao texto, se houve coisa que pensei antes do Dragão, e após o jogo com o Lyon foi, Jesus vai apostar no 11 inicial, e limpamos aquilo, por fim, e lançamos o campeonato de novo. Salvio, do que percebi, confere, ainda que um bocado pior, a cobertura defensiva, apoio, chamêmos-lhe assim, a Maxi, e viu-se Maxi a fazer um jogo já mais ao seu nível nos 70m iniciais contra o Lyon. Agora, parece-me, com estas decisões, que Jesus entrou a medo, e que podia ter aproveitado para motivar o jogador, prolongando o bom trabalho que fez a meio da semana, para estragar tudo no jogo com os azuis…
    É pena. Assim, aliado ao que se passou nas primeiras 5 jornadas em arbitragem, e agora mais a espaços nas segundas 5, o campeonato parece quase entregue, e só uma hecatombe o fará mudar de rumo… Por culpa nossa!

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com

  5. Quando dizes que a culpa está nos interiores podias ser um pouco mais especifico?
    É que com o Jorge Jesus os homens do losango são quase extremos e de interior tem muito pouco, por isso deduzo que estás a referir-te a quem fecha dentro?
    Mas há mais gente que fecha dentro nas várias linhas do 4-4-2, estás a referir-te a quem especificamente?
    Dou um exemplo, o Maxi a fechar dentro, esta época onde os adversários chegam muito mais vezes dentro não está com a mesma qualidade do ano passado.
    Podes me explicar o que querias dizer com isso?

    Abraço,

    Zen Master

  6. Olá Zen,

    acho que disseste tudo

    "É que com o Jorge Jesus os homens do losango são quase extremos e de interior tem muito pouco, por isso deduzo que estás a referir-te a quem fecha dentro?"

    Com bola surgem, várias vezes junto á linha a dar opção sobre o exterior ao portador da bola, mas assim que se perde a bola, devem juntar rapidamente ao Javi. E raramente o fazem. O Salvio, sim. Ainda lá vai e tem vontade. O Gaitan não!

    Os mts remates que o Benfica está a consentir, não são da responsabilidade da linha defensiva (na maior parte dos casos) mas, do mau trabalho defensivo dos extremos, que deveriam ser interiores sem bola! (Ramires era fabuloso nisso, e até o Di Maria chegava mais rápido atras que o Gaitan)

    Obrigado Márcio 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*