O número de recuperações de bola e defender bem.

Há quem creia que se correlacionam. Nada mais falso. Um jogador que recupere mais vezes a bola, não é necessáriamente um jogador que defenda melhor que os demais.
Não se pode crer que defender à zona, isto é, relacionar-se posicionalmente com o espaço, com os colegas e com a bola e não com os adversários, é o método defensivo mais correcto, e ao mesmo tempo crer-se que os jogadores que recuperam mais vezes a bola são mais competentes defensivamente.
É seguro que optando por defender ao homem, colocando a todo o momento pressão sobre todos os adversários, permitirá recuperar mais vezes e mais cedo a bola. A questão é que tal vantagem não é nada compensatória se pensarmos que centrando-se em referências individuais a defesa acaba vezes demais desposicionada.
Um pequeno exemplo. Um jogador que passe grande parte do jogo garantindo a cobertura defensiva aos colegas, isto é, colocando-se atrás do colega de equipa que saiu à bola, precavendo a eventualidade deste ser driblado, dificilmente terminará o jogo com muitas recuperações de bola. Ainda assim, é bem capaz de ter sido o jogador da sua equipa mais influente defensivamente. Apenas porque pelo seu posicionamento obrigou os adversários a seguirem outro caminho.
Ainda que as estatisticas sejam algo de interessante, num jogo com tantas variáveis como o futebol é preciso ser-se bastante cauteloso no tratamento das mesmas, por forma a não sermos iludidos com o supérfluo.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3159 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

15 Comentários

  1. Então, por exemplo, numa dada equipa que defenda à zona substituímos um jogador "A" da posição médio centro defensivo e colocamos outro ("B") no seu lugar. O jogador "A" obtém uma média em 20 jogos de 7 recuperações de bola por jogo. O jogador "B" no mesmo número de jogos obtém uma média de 2 recuperações de bola por jogo.
    Segundo este post não podemos afirmar que "A" defende melhor que "B"?

  2. Ha uns dias li um post no JogoDirecto onde defendia que a falta de apetencia defensiva do Gaitan era um mito pois o homem tinha mais recuperações de bola que Aimar e Martins. Olhando para este post parece-me que não fui o unico a ler o dos Jogo Directo. E parece que não fui o unico a não concordar (apesar de la nao ter comentado).
    Concordo em pleno com este post e, aplicando ao gaitan, o que eu pergunto é: segundo os dados do JogoDirecto o Gaitan tem mais recuperações do que o Aimar, mas… alguém vê o Gaitan como nº10 do SLB só com 1 trinco nas costas? Se o meio campo do SLB actual é desequilibrado, imagine-se com o Gaitan ao centro. Ainda por cima com a quantidade de más decisões com bola que o Gaitan tem, que originam inumeras perdas de bola em zonas complicadas….

  3. Exactamente Luís. Defender bem, não é recuperar a bola.

    Ricardo, e anónimo, não é bicada nenhuma.

    Ainda muito recentemente em conversa com um blogger referi que achava q o jogo directo estava um blog muito interessante. A par do entre dez, são os que, por causa da sua mta qualidade, consulto sp que sai algo de novo. Portanto, não há animosidade nenhuma.

    Mas, sim, foi por uma troca de argumentos antiga com o Filipe do Jogo Directo, juntamente com a falta de ideias para escrever algo de novo, que vem aqui a minha perspectiva do que são as estatisticas no futebol.

  4. Constantino, sim. O Gaitan é muito mau defensivamente. Tem vindo a melhorar, mas continua fraco nesse aspecto. Mas, parece-me que principalmente pq n tá para se chatear. Não é mt disponivel qd é a hora de defender. Lembro-me de o ver "cansado" e incapaz de juntar ao Javi, e segundos depois, recebe a bola e desata a correr que nem um louco…

  5. "principalmente pq n tá para se chatear"

    Basta assistir a um jogo no estádio para perceber isso. É um jogador que não defende sem bola e só defende o adversário que está perto dele. Se esse o passar, é incapaz de se reposicionar e a meu ver també, por laxismo. Não percebo é como o Jesus deixa isso acontecer e o homem é titular em todos os jogos.

  6. Boas!

    Muita atenção quando se está a falar das estatisticas, há que filtrar muito bem o que se vê e o que se analisa para não se cair nestes erros.

    Acho que é fácil de perceber que o trabalho que o JogoDirecto faz é excelente, mas é preciso também entender que é necessário filtrar a informação que se encontra naquelas estatisticas.

    Acho que o Filipe entende isso, mas muita gente olha para os números e não vê para além do que está a vista.

    A estatistica é fundamental na analise dos jogos e há de se chegar a uma altura em que os números vão significar mais para todos.

    O Liedson marca mais golos do que o Postiga, mas nem por isso é melhor jogador, ou mais importante para a equipa, simplesmente se preocupa mais com isso ( como está muito bem explicado no EntreDez em vários posts)

    Aos poucos as pessoas estão a ficar mais informadas sobre a complexidade do jogo, e conseguem valorizar situações como estas.

    Mais um bom post

  7. O mesmo se aplica com praticamente todas as estatisticas. Dois passes completados podem ser completamente diferentes em termos de qualidade. Mesmo duas recuperações podem ser completamente diferentes em termos de valor. Recuperar uma bola vinda de um colega que fez a pressao é o mesmo. Cortar linhas de passe: nunca são contabilizadas, e era coisa que o lucho era quase perfeito por exemplo.

    Há uns dias ouvi o Hugo Luz a insinuar que por o sporting ter menos 2 remates feitos que o Porto mostrava que a diferença entre as duas equipas era uma questao de Sorte (sem duvida que o sporting tem tido algum azar com as bolas nos postes mas nem o mais fanatico sportinguista é capaz de dizer que se deve exclusivamente ao factor sorte). Sendo assim eu punha o meu aves quando estivesse na primeira divisao a rematar do meio campo e culpava o azar porque tinhamos mtos remates feitos a baliza.

    O filipe lá vai tentando dar algumas interpretaçoes no contexto da analise estatistica. O que estraga tudo mesmo é a pontuação que dá unicamente baseada nos números, não tendo conta a qualidade de cada número.

  8. JNF, indica apenas que é um recuperador de bolas nato. E que deu um jeitão incrivel ao Benfica quando o modelo de jogo era tão fraco que o obrigava a ffazer isso qs sozinho

  9. Por acaso gostei da imagem.

    É que, na minha opinião de adepto (apenas isso), o senhor Petit sempre foi um jogador que muito respeitei.

    E também considero que as suas qualidades técnicas (passe, recepção, decisão) foram sempre desapreciadas, talvez pela imagem de jogador agressivo/maldoso que foram cultivando à volta dele.

    Faz-me lembrar um pouco a referência (justa) ao Ruben Amorim, noutro texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*