Destino – baliza (corredor central)

“1º Princípio Ofensivo – Penetração/Progressão
1. Objectivos:
– Criar vantagem espacial e numérica
– Atacar a baliza e o adversário directo
2. Comportamentos:
– No momento da recuperação da bola o jogador deve orientar-se para a baliza adversária
– Livre de oposição e com espaço, rematar ou progredir para a baliza adversária
– Com oposição, deverá passar a bola ao companheiro mais próximo da baliza adversária
3. Acções táctico-técnicas:
– Condução
– Condução para remate
– Remate
– Drible”

Saviola finaliza, Carlos Martins assiste. Mas quanto do golo há da decisão de Sálvio? Muitos ainda são os extremos e os laterais que procuram, erradamente, em primeira instância a progressão na direcção da linha de fundo no corredor lateral.
Sálvio aumenta o rendimento a cada sessão de trabalho que passa. É seguro afirmar que é mais um produto made by Jorge Jesus. Talvez fosse bom para Quique Flores emprestar todos os seus jogadores por uma época ao treinador português. Seguramente que voltariam todos a jogar o dobro. E o dobro seria pouco, certo?
P.S.- Procure ver os golos de Hulk. Ainda que no seu primeiro golo tenha resolvido sozinho a situação.

Sobre Paolo Maldini 3804 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

24 Comentários

  1. Não percebo muito de tacticas, mas a progressão na linha de fundo, não deveria ser uma prioridade para os extremos que tenham boa capacidade de cruzamento, especialmente se estiverem a jogar contra equipas muito fechadas?

  2. Mike, a prioridade é a baliza. É seguir na direcção do corredor central, pq ai há mtas opções possiveis (passe à dta, è esquerda, à frente, etc). Seguir directamente para a linha de fundo, é tornar tudo demasiado previsivel e como tal fácil de contrariar.

    Chegar à linha de fundo acaba por acontecer com naturalidade, qd o adversario consegue ir fechando o meio. A prioridade não deve ser ir à linha. Por vezes acontece, mas como disse, pq o adversário tapou bem o caminho principal.

    Há é quem faça da correria ate a linha de fundo o caminho principal. E esses, poucos golos conseguem marcar, pq tal é mt previsivel e mt fácil de contrariar.

  3. PB,

    dizes bem que a prioridade é a baliza, mas dizes mal que a prioridade é o corredor central. Ou melhor, dizes mal porque estás a generealizar o que é relativo.

    Claro que o corredor central te aproxima mais da baliza e se for possível é o caminho mais curto,
    mas a prioridade só é o corredor central se houver condições para tal. Depende das características da tua equipa e depende, fundamentalmente, da situação.

    As melhores equipas não são aquelas que optam pelo corredor central, mas aquelas que têm capacidade para jogar nos espaços que o adversário vai abrindo.

    Repara no jogo de Leiria, quase sempre o perigo veio do corredor, porque foi lá que o Leiria se abriu.

  4. O perigo pode vir do corredor lateral. Mas, em primeira instancia procura-se o central. E o Benfica com JEsus faz sempre isso. Tal como outras grandes equipas europeias. Quando tapam o meio, vou à volta. Mas, sp com o intuito de vir ao meio. E o Benfica é um exemplo perfeito disso. Tanto o Ruben como o Fábio qd em progressão, dão sp prioridade em atacar o meio.

  5. Obviamente que vão para o meio, nem que seja no cruzamento final, é lá que está a baliza! Mas optam muitas vezes pelo corredor lateral quando o espaço se abre lá.

    Dizer que se deve jogar sempre pelo meio é tão estupido como aqueles que acham que o futebol tem de ser pelas alas para cruzar para o pinheiro.

    Quem te disse isso, enganou-te, mas tu lá sabes…

    Ah! E não é verdade que as equipas de Jesus vão sempre para o meio.
    Sabes porque é que joga sempre o Cardozo ou o Kardec? Vou dar-te uma pista, não é por causa da sua capacidade de jogar pelo meio…

    Outra pergunta: o Porto não é uma grande equipa? É que utiliza muitas vezes o corredor? Provavelmente mais do que o corredor…

  6. …Vou perder mais uma resposta ctg.

    O porto é outra equipa q tal como oo Benfica traz sp o jogo para o corredor central. Mesmo qd vai ao lateral, o intuito é o de voltar ao central. (Hulk é o expoente maximo disto, tal como é Messi, Di Maria, Ronaldo, Robben, Ribery entre outros nas suas equipas)

    Os golos do Benfica em Leiria, que falas nascem de jogadas no corredor central (onde se tem mais linhas de passe), em que posteriormente (por ter o Leiria tapado o meio) a bola chegou ao corredor lateral.

    No golo do Gaitan, é Amorim quem traz a bola da linha para o meio antes de fazer o passe para o Salvio.

    No golo do saviola em Leiria, é o Cardozo q bem no centro do campo serve o Gaitan.

    Quem sai para o ataque concentrando-se no corredor lateral, permite q o adversário concentre mais gente num espaço menor e o mais q vai conseguindo é uns lançamentozitos e uns cantos.

    Se não consegues perceber isto, eu desisto, pq a minha capacidade para te explicar tb n é mta…

  7. Bem, já agora. "dizer q se deve sp jogar pelo meio". Quem disse isto?!

    Deve-se ter isso como prioridade, mas à medida que o adversário fecha, procura-se seguir por onde há mais espaço (e não raras vezes surge entao o passe para o corrdeor lateral).

    Se atacas o meio, consegues espaço nem que seja num corredor lateral. Se segues pelo lateral, não arranjas espaço em lado nenhum.

    O golo do Gaitan em Leiria é uma excelente demonstração disto (o comportamento com bola do Ruben Amorim na génese do lance ilustra tudo o q deve ser o futebol). Vai ver o video… Pode ser que fiques mais esclarecido

  8. J. Fonseca,

    Como é óbvio, o PB não está a dizer para não se utilizar o corredor lateral.

    Havendo espaço no corredor central e no lateral, a opção será a central. Se o central está demasiado preenchido, passa-se para o lateral. O que não se pode fazer é ter o central livre e apostar no lateral, visto este estar sempre dependente de um regresso ao lateral (ou seja, afasta-se da baliza sem necessidade).

  9. Malaquias,

    eu concordo com isso. E por isso escrevi que depende do espaço que se tenha. Obviamente que se se puder ir pelo meio tanto melhor, mas não é verdade que as grandes equipas joguem sempre pelo meio. Aliás, são as grandes equipas que melhor têm de saber jogar pelas alas porque são elas que têm menos espaço.

    Mas, Malaquias, não foi isso que ele escreveu…

  10. Não te falei dos golos do benfica, falei-te da maior parte das jogadas de perigo, especialmente na primeira parte, não é quando o jogo esta partido e o adversario da todo o espaço, é quando o espaço é mais dificil de encontrar.

    Os golos do Cardozo ao segundo poste, quantos foram no ano passado? E o Falcao que marca a maioria dos golos em cruzamentos? Tambem vem tudo do corredor central?

    E tao estupido, ha tantos exemplos que contradizem essa teoria, que nem tu proprio podes acreditar no que escreves…

    Mas, tens razao, não percas mais tempo a responder a gajos como eu. Perde é mais tempo a ver bola, porque é nisso que precisas de investir o teu tempo…

  11. "Os golos do Cardozo ao segundo poste, quantos foram no ano passado?"

    Não é só os do ano passado pa! Então e os deste ano? Tb ja fez golos ao segundo poste este ano!
    Vai ver por exemplo o golo ao V.Setubal, após cruzamento do Gaitan! (Ahhh e vê tb quem faz o passe ao Gaitan…)

    J.F., tu n és muito esperto, não consegues interpretar o que lês. Como tal, esta sim, foi a última. Abraço e volta sempre 🙂

  12. Já agora, e só para finalizar, pq sei que é algo que n percebeste, Qd se fala em progredir para a baliza adversária e não para o corredor lateral, esta progressão refere-se À condução de bola.

  13. Master. O Hulk, colectivamente não é referência para ninguém. Está mt bem aproveitado, como já estava pelo Jesualdo nos momentos de transição. E é ai que ele opta sempre bem pela progressão pelo corredor central (como antes tb já o fazia).

    Os problemas dele surgem qd a equipa adversaria está organizada defensivamente e atrás da linha da bola com muitos.

    Mauro, ai está o link.

    abraços

  14. João, o C.Waddle era um génio!

    Não é obrigatório ter como pé dominante o dto p jogar no lado esquero e fazer isto, e vice-versa.

    Por exemplo, Amorim e J.Pereira fazem sp isto e jogam no lado dto.

    E reforço a importancia de se perceber q isto aplica-se À condução de bola.´

    Não faz sentido correr com ela em qq sentido q n seja o da baliza.

  15. É fantástico observar nestes(excelentes) posts a resistência que muita gente continua a ter a este tipo de ideias.

    Resistência baseada, sobretudo, em anos, anos, anos e anos de mitos e dogmas, passados pelos mais diversos canais (comentadores, jornais, "técnicos de bancada, etc, etc.).

  16. Penso que um bom exemplo que demonstra bem o que o PB procura explicar, está no que em grande parte do tempo o Sporting tenta fazer… Bola para a ala e por lá morre… O que vale é que (por vezes) as diagonais (para dentro)do Valdés, do Vuk ou do João Pereira trazem uma lufada de ar fresco e criam então alguns desiquilíbrios.

  17. Um dos problemas de teorizar é este mesmo. É impossível que seja ou esteja tudo certo, porque depende, depende sempre. É por isso que teoria é uma coisa, e prática é outra. E a prática como é óbvio acaba sempre por prevalecer. Depende daquilo que uma equipa constituída por um determinado grupo de jogadores com determinadas características se sinta mais à vontade para fazer.

    O Barcelona do Cruyf procurava sempre e primeiro as alas, e ninguém dirá que o que fazia era errado. Ninguém dirá que jogava mal. Ninguém dirá que não tinha resultados. Ninguém dirá que o que fazia era mal feito.

    Usando-me de uma metáfora:
    Gestos técnicos. É possível – sempre, seja lá em que desporto for – teorizar sobre um gesto técnico e deixar por escrito qual é a melhor forma de executá-lo. Mas isso, como é óbvio, não significa que um jogador – sempre, seja lá em que desporto for – não encontre a sua melhor forma de executar, sendo essa, para si, a melhor possível.

    Uma equipa tem de fazer aquilo em que melhor se sentir à vontade para fazer, isto independentemente de sim, o caminho mais inteligente será sempre o mais curto, e o caminho mais curto para a baliza é pelo meio. E tal como o PB diz, pelo meio há – em teoria – mais opções.
    O problema está em pegar nessa teoria e afirmar que tudo o resto está errado. Não está, depende. O exacto contrário da melhor teoria pode ser a coisa mais correcta de se fazer. Lá está, depende.

  18. MM, há aqui uma má interpretação e mt provavelmente a culpa será minha por não me ter explicado bem.

    ISto para dizer que o Barcelona de Cruyff jamais centralizou o seu jogo no chegar à linha de fundo. Pelo contrário, foi talvez a 1a equipa da historia (ou terá sido o AJax?) a contrariar esta tendencia generalizada da década de 80.

    Bola no extremo, este finta no sentido da linha de fundo e cruza para a área.

    Quando o que se pretende é que a condução de bola seja unica e exclusivamente no sentido do meio. Isto não invalida que os passes sejam ser para o corredor lateral. A condução de bola é que não é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*