Classe, criatividade e displicência nos pés e na mente dos argentinos

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Bastou o seu primeiro toque na bola para nos apaixonarmos por Nico Gáitan. Criatividade, classe e capacidade técnica são traços fáceis de serem reconhecidos no futebol do argentino. Apesar de tão nobres e valiosas características o rendimento de Nico não tem correspondido a todo o seu potencial. Culpa própria, pois claro. Ou pelas tradicionais dificuldades de adaptação, ou quem sabe, apenas por um traço de personalidade que o impede de procurar mais a bola e mostrar-se mais em jogo.
Salvio é bem diferente, mas igualmente com um potencial muito grande. Ainda que mais novo, parece mais determinado em provar valor. A sua força e capacidade de explosão elevam o seu futebol para um nível bem alto. Está confiante e ofensivamente tem sido mais um elemento de desiquilibrio.
No jogo com o Nacional da Madeira, muito da capacidade ofensiva, novamente deslumbrante do SL Benfica, partiu da excelente participação dos médios argentinos. A constante movimentação e a capacidade para definir os lances dos quatro argentinos da frente é soberba (ainda que Salvio tenha características diferentes, que têm sido potenciadas para o colectivo, de forma bem profícua), e tem o condão de aproximar o Benfica do golo a cada ataque.
Foi contudo, do baixar a guarda dos interiores, fosse por cansaço ou displicência, que o Nacional voltou ao jogo. Foi no momento em que os argentinos se tornaram menos rigorosos no apoio aos laterais e a Javi Garcia que os golos surgiram.
P.S. – Javier Saviola e Pablo Aimar, novamente encantadores.
P.S. II – Salvio e Gáitan estão cada vez mais jogadores, mesmo no momento defensivo. As falhas surgiram quando faltaram as pernas, ou a vontade. E Jesus tinha substituições para fazer…
P.S. III – Reforçar a ideia. Gáitan e Salvio, como tantos outros, daqui por uns anos, terão imenso a agradecer ao actual treinador.
P.S. IV – É impossível gostar de Franco Jara. Não se retire, contudo, o potencial que o argentino tem. Quantos avançados não constroem uma carreira bem interessante, com base apenas nas suas características físicas e determinação em triunfar?
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3166 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

16 Comentários

  1. O Jara tem dificuldades técnicas e à data, decide demasiadas vezes mal o que fazer quando tem a bola. E essas duas coisas, são o que mais gosto (e q considero mais importante) num jogador de futebol.

    Mas, tem muita força (que se expressa também na velocidade) e é muito determinado. Pode ter uma grande carreira, mesmo não sendo talentoso.

    O Tevez é um jogador fantástico e é deste tipo (ainda que a um nível incrivelmente superior). Gostava de me lembrar de como ele era aos 21 anos.

    Acho que se tiver inserido num contexto favorável, o Jara pode realmente ter sucesso. Mas, não é o tipo de jogador que eu consiga gostar.

  2. O baixar da guarda acontece muitas vezes pela acção dos treinadores. Não é a 1ª.vez que tal acontece no Benfica, e o mister Jesus, no final do jogo vem com a ladainha que os jogadores pensavam que o jogo já estava ganho,não correram para trás, etc, etc. Quando mexeu na equipa, mais uma vez, mister Jesus transmitiu a todos essa ilusão. Foi ele quem patenteou que com o Nacional já as "favas estavam contadas". Depois quer o quê ? O Mister Jesus já tem idade para não brincar com o fogo e depois dizer que a culpa é dos outros. Um destes dias a história pode ter um fim diferente. E depois não vale de nada queixar-se.

    Pedro

  3. Pedro a diferença do Benfica de Jesus para os outros Benficas é que raramente perde pontos nos últimos minutos. Ontem secalhar meteu jogadores que não tinham muitos minutos nas pernas e "deixou" a equipa entrar numa fase de descompressão depois do 3-0. Benfica devia ter gerido melhor a posse de bola, mas tirando isso não me pareceu que a vitória tivesse em causa. Jokanovic "Mereciamos o empate mas também é verdade que não tivemos oportunidades para o 3-3".
    Arriscar faz parte do futebol.
    A recepção e a finta de saviola no terceiro golo é deliciante 🙂

  4. Em relação ao que o autor deste blog disse à uns tempos atrás de aimar ser um treinador dentro de campo queria só referir que há um lance na primeira parte em que ele com a bola nos pés, cabeça levantada, indica com a mão o espaço para onde gaitán deve ir e mete-lhe a bola logo a seguir…

  5. O Gaitán, de facto, tem pormenores técnicos fantásticos e transpira classe por todos os poros.
    O problema é que continua a "desaparecer" em muitos momentos do jogo e a oscilar o muito bom do mau. Esperemos que ainda sejam vicos do futebol argentino, até porque está muito melhor no aspecto defensivo do que no inicio da època.
    O Sálvio é o jogador do momento! Está em grande forma e totalmente confiante. Eu no estádio tive logo a percepção que a meio da 2ª parte deu o "berro" em termos fisícos, e até esperava que fosse substituído. E acho mesmo que essa quebra fisicia dos interiores permitiu ao nacional voltar ao jogo.
    Partilho da opinião do P.S.IV

  6. O sinal de que Jesús considerou ganhado o jogo com o 3-0 é clara: substituiu a Aimar dantes do que costuma fazer,e costuma o fazer com o jogo ganhado. Também é verdade que não é normal que a saída de Pablo tivesse um efeito tão brutal na equipa. Por mau que entrasse Martins e pese à distância de qualidade que, ao menos em minha opinião, existe entre ambos. Teve relaxação geral. Ainda por cima o "sinal" incrementou-se sacando a Cardozo do jogo. Por outra parte, PB, como sempre, concordo plenamente. E, hoje mais que nunca, acho que o Benfica deve se garantir dois ou mais três épocas de Aimar

  7. Não acho que tenha deficiências técnicas, Remata bem e não digo isto pelo jogo anterior e, ontem mais uma vez cabeceou muito bem no ponto de vista técnico( de cima para baixo). Concordo contigo que muitas vez decide mal os lances, mas isso o Gaitán decide mal 60% das vezes.
    Acho que se tiver mais ginásio e mais isto e aquilo e aquilo poderá ser um Tévez2 quiça.
    Abraço

    Vasco

  8. Subscrevo a análise ao F. Jara. É daqueles jogadores que levam a sua avante pela vontade. Por exemplo o Inzagui não é um primor de técnica, mas esta(va) sempre no sitio certo.

    O Gaitan na minha opinião está a fazer uma adaptação muito boa. Basta lembrar o Di Maria nas primeiras 2 épocas.

    Li noutro blog uma opinião que se calhar não está errada – O Benfica NÃO sabe jogar em contenção… ou não tem jogadores para isso, talvez Amorim.

  9. Gonçalo Teixeira…

    lembro bem esse lance, visivel do outro lado do estadio..

    foi bem notorio, nesse lance, tanto a mestria do aimar como a inaptidão do Gaitan para jogar descaido na lateral…

    aimar a "empurrá-lo" para linha vazia quando ele estava a correr para o centro repleto de adversarios..

    o defeito nao é do Gaitan, é da sua genese como jogador…o homem vai disfarçando porque é um belissimo jogador e aqueles pezinhos valem ouro…mas instititivamente, ele nunca procura a linha.

    saudaçoes

  10. Isso do Gaitan decidir mal 60% das vezes é de rir…
    Acho que tem um potencial incrível.

    O que não há por aí é jogadores como o Aimar, que joga futebol como ninguém neste e em muitos campeonatos.

    O Javi também está um jogar de top mundial.

    O único jogador dos titulares que continuo a nao achar um jogador muito acima da média, apesar da sua entrega, é o Maxi.

  11. Gostei bastante da análise. Alguns dos pormenores nem sequer tinha-me apercebido.
    Apenas coloco uma excepção: Jara. Penso que é muito cedo para falar dele. Arrisco a afirmar, que a actual forma do Jara é equivalente ao Saviola em má forma, como já se viu esta época. Não estou com isto a dizer que Jara é um Saviola, mas que com tempo de jogo e vários jogos a titular vai poder mostrar o valor que ainda não mostrou. Finalizando: penso ter um pouco mais de tudo o que foi dito que não tem.

    Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*