Curta de Eindhoven. A estatística.

Minuto 25. Carlos Martins com a bola. Saviola no corredor central, em zona perigosa com dois adversários a pressionarem. Martins endossa a bola para o colega que naturalmente não a consegue conservar. Contra-ataque e golo.
Daí até ao fim, ouviu-se vezes sem conta o comentador referir que Saviola esteve na origem do golo sofrido. Por certo que encontrará inúmeras estatísticas a referir o mesmo. Afinal, não foi Carlos Martins que perdeu a bola.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3402 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

15 Comentários

  1. PB,

    Partilho contigo esta estatística:

    Perdas do Benfica para a Liga em jogos…

    – com CMartins a titular: 4,9 p/jogo

    – com Aimar a titular: 6,4 p/jogo

    Ou seja, o Martins não perde menos bolas do que outros (nomeadamente o Aimar) porque "transfere" as suas perdas nos outros, como pareces sugerir. Pelo contrário, aliás.

    Estou à vontade para o referir, porque já defendi a importância e mais valia do Aimar em relação ao Martins, e continuo a achar que é uma opção que oferece mais qualidade à equipa.

    http://jogodirecto.blogspot.com/2010/01/martins-e-aimar-distincao-tactica-do-10.html

    Agora, os factos não são opiniões. Estão lá, e são muito claros: Aimar é muito mais inseguro do que Martins no que respeita às perdas de bola.

  2. Já agora, não estava a sugerir nada. Estava apenas a relatar um facto. O que me irrita particularmente no Martins são os passes para fora, ou mesmo os passes que chegam ao destino, mas não nas melhores condições, daquele tipo mt comum nele, de levantar a bola com o peito do pé (indepednentemente de a este se seguir uma perda ou nao.É que mesmo naõ havendo perda, condiciona desde logo o sucesso da jogada).

  3. Filipe,

    Talvez o Aimar "perca" mais bolas porque tenta mais passes de risco do que o Martins? Ou porque os colegas não percebem as aberturas que faz? Ou porque temporiza e não tem apoios e é desarmado?

    Os métodos quantitativos carecem de avaliação qualitativa. No futebol, existem demasiadas variáveis, cada lance tem de ser analisado como único.

    O Martins é exasperante.

  4. Concordo. O Martins é de facto exasperante e não substitui, nem de perto nem de longe, o Aimar e muito menos o Salvio, Agora sem este, vejo o futuro negro. Perdemos a ala direita que tem sido fundamental. Na minha opinião, perdemos o melhor atacante, a verdadeira gazua.

  5. Apenas partilhei o dado, para que não se fizessem suposições erradas a partir de percepções circunstancias (que, mesmo podendo estar errado, foi o que me pareceu)

    Já agora, deixo mais 2 dados sobre os 2 jogadores.

    – Aimar mais %passe (73% contra 69% do Martins.

    – Com Aimar de inicio, o Benfica tem mais desequilíbrios ofensivos e mais golos marcados.

    Tudo isto são considerações qualitativas e não apenas quantitativas.

    Creio que quem analisa atentamente os 2 jogadores saberá justificar estas diferenças pelo perfil de jogo de ambos…

  6. filipe,

    essa análise não faz qualquer sentido, porque a análise da qualidade de um jogador ou da sua importância não se mede pela percentagem de vezes que faz as coisas bem, mas sim que coisas faz bem e porquê.

    nomeadamente, um jogador pode perder mais bolas pura e simplesmente porque num determinado jogo a equipa não foi capaz de realizar apoios correctamente na sua zona de acção.

    também pelo facto de o aimar ser inteligentíssimo, te garanto que com ele a jogar, os outros jogadores erram menos passes, porque (lá está) têm mais e melhores apoios.

    fazendo uma análise técnica a esses dados, o que se entende por perda de bola? um caso como o pb relata neste post a bola ser perdida por saviola? e como são atenuadas as diferenças de tempo na utilização entre os dois jogadores?

    não é para rebaixar o teu trabalho, que admiro e respeito, mas a análise quantitativa no futebol a mim diz-me muito pouco, porque não oferece qualquer precisão em qualquer dos pontos. a não ser em números absolutos de cantos e pontapés de baliza, por exemplo. e isso importa assim tanto?

    abraço,

  7. Bernardo,

    Não vou prolongar este debate. Porque já estou cansado de o discutir (provavelmente vocês também), porque sei que há muita gente para quem é mais fácil negar factos do que aceitar os seus próprios erros percepcionais e, finalmente, porque não penso que o post pretendia fomentar este tipo de debate.

    Apenas te digo, e para terminar, que uma análise "qualitativa" não é aquela que utiliza como argumento o "porque eu acho que sim". Isso é uma opinião.

    Uma análise "qualitativa" é aquela que utiliza indicadores que estão fortemente correlacionados com o objectivo da análise. E, neste caso, perdas, desequilíbrios, têm uma correlação fortíssima com golos/vitórias/derrotas. Ou seja, em termos muito objectivos e à margem de qualquer discussão, o seu grau "qualitativo" para a análise, é enorme.

    Goste-se ou não, perceba-se ou não…

    Um Abraço!

  8. filipe, eu também não sei como é que tu fazes a contabilidade de perdas de bola…Por exemplo, aquele passe que o Martins fez para o Saviola, foi perda de quem?
    E aquelas passes a 30 metros que são quase impossíveis de receber em condições porque já se tem um adversário em cima, são perdas de quem? Do Martins ou de quem não consegue receber a bola em condições porque ela foi mal passada?
    Sem entender como fazes o levantamento dessas situações, não posso interpretar correctamente os teus dados…

    Em relação ao comentadores…metem dó. Só fico mais chateado porque existem tantas pessoas competentes sem emprego e vão aqueles "senhores" comentar os jogos. Pessoas que não percebem nada de futebol, não são se quer profissionais e cagam completamente no jogo para falar do euromilhões e não têm ponta de respeito pelo clubes, nem pelos telespectadores….

  9. 1. Sigo sem entender em que pensa JJ quando deixa a Aimar no banco para "reforçar" o médio defensivo. Pode-se jogar com dois trincos e Aimar: basta com renunciar a um dos interiores-estremos ou um dos avançados.
    2. Quando se lesionó Salvio pensei que rectificar-se-ia o flagrante erro inicial. A entrada de Martins foi um novo erro de enorme gravidade. E o relato deste post simplesmente o confirma
    3. Não é possível comparar a importância de Martins e a de Aimar no Benfica com números frios individuais, há que o fazer com os colectivos. Porque Aimar joga para o lucimiento e o interesse da equipa e Martins põe os fogos artificiais para conseguir a pura aparência.
    4. Aimar é um génio do futbol (infravalorado) e Martins um futebolista razoável que poderia ser titular e render bem numa equipa que não tivesse um génio em seu posto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*