O SL Benfica na final da Taça da Liga

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Positivo:
– Boa dinâmica ofensiva na primeira meia hora;
– Exibição de Pablo Aimar. Disponível para participar em todos os momentos do jogo, impressiona a forma como orienta os seus colegas. Apesar do seu elevado estatuto denota ser quem mais quer vencer. Um exemplo como poucos no mundo do futebol;
– Maxi Pereira. Joga sempre nos limites. Por isso, concede demasiados livres e vê muitos cartões. Todavia, a intensidade que coloca a cada jogada contagia a equipa e o público. É um exemplo de entrega de quem não sendo talentoso, conquistou um espaço muito importante no SL Benfica;
– Fábio Coentrão. Nem foi dos seus melhores jogos. Ainda assim, tem energia que nunca se esgota. O seu talento e persistência tem permitido ao SL Benfica chegar ao golo por diversas ocasiões. O golo de Jara foi mais um;
– Demonstração de que em caso de necessidade, Javi e Airton serão capazes de “fechar” um jogo. O brasileiro entrou e ofensivamente o SL Benfica como que desistiu do jogo. Todavia, a equipa reorganizou-se com mais gente próxima da linha defensiva. A partir desse momento, não mais o Paços de Ferreira foi capaz de chegar às imediações da grande área de Moreira. Quando por entreajuda Javi juntava à linha defensiva, por Airton, o Benfica continuava a ser dominador no espaço imediatamente à frente dos centrais.
Negativo:
– Ansiedade demonstrada pelos jogadores. A partir do momento em que se sentiu que o jogo poderia mudar de sentido, sucederam-se as más decisões com bola. Facto que impediu o Benfica de continuar a ser dominador. E quando não se tem a bola, por melhor que se defenda, há sempre a possibilidade de consentir golo;
– Franco Jara. Tem golos. Mas, há que desconfiar. Todas as suas perdas de bola e todos os lances em que expôe em demasia a equipa pelos seus erros, serão compensadas pelos golos que vai marcando? Honestamente, não parece.
– Cardozo. Não entrou no jogo. Demonstra ansiedade, mas foi sempre capaz de sair destes momentos com golos. Há que confiar nele.
– Poucas soluções face às lesões de Amorim, Salvio e Gaitán. Situação à qual não foi alheia a subida de Fábio Coentrão no campo de jogo.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3402 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

8 Comentários

  1. O Saviola que não tem um jogado um "CU" ninguém diz nada.. ah já me esquecia é excelente a jogar sem bola.. pff tem estado uma lástima

  2. PB, concordo em absoluto, refiro-me ao que dizes do Jara, apesar de concordar também com o resto.

    É certo que isso é que faz mexer o jogo, mas por cada golo que marca, Jara perde muitas outras oportunidades de fazer os colegas marcar. Quando sai em diagonal do corredor a sua decisão está tomada desde o momento que se vira para a baliza, encarar o defesa e rematar. Por vezes tem apoios no meio a pedir a combinação directa, ou para variar a zona de ataque no momento de finalização…mas não, 1 x todos e remate, é sempre a sua decisão. Isto falando só desta acção, pois sem bola em fase ofensiva também tem muitíssimas más decisões, mas para mim o referido é que devia ter já sido corrigido, são meses a mais já!!!

    Louve-se o facto do seu perfil psicológico e emocional ser muito bom, algo que pode antever evolução como jogador, caso alguém o consiga fazer perceber o que é o jogo. Só por isso acho que merece continuar, e esperar mais um pouco, mas por vezes é mesmo de por as mãos na cabeça!!!!!

    Abraço e parabéns por outro bom texto 🙂

    http://centrodejogo.blogspot.com/

  3. Boa análise.
    Só acho que a boa dinamica ofensiva durou a 1ª parte toda, e não só meia-hora.
    Com um pressing muito alto e boa circulação da bola o Benfica dominou totalmente até ao intervalo.
    Depois, com um auto-golo logo a abrir a 2ª parte a equipa foi "dominada" pela tal ansiedade aqui explicada.
    Um perfeito disparate o treinador do paços dizer que mereciam ganhar o jogo. Só se pode encarar como sendo "conversa para o balneário".

  4. PB,

    Será que os golos e as boas aberturas de Cardozo serão suficientes para o número de jogos em que está ausente?

    O Benfica parece estar a jogar com dez e sem ponta-de-lança.

  5. Gostava de realçar o que já foi dito sobre Saviola. Está ali qualquer coisa errada… Espero que se vingue em 2 jogos que ainda tem para fazer esta época, um já 5ª feira. Basta um golinho para irmos à final, quase de certeza… No entanto, se não marcar, mas der a marcar, que marque na final e que ajude a vir o caneco para cá! Lamento, apesar de poder vir a engolir as palavras, mas o Braga não passará… Concentração no Benfica e a final é nossa! O problema até agora é mesmo e só psicológico!

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com e agora também Blog do Manuel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*