Final da Liga dos Campeões

Um aborrecimento. Certo?
Se por um lado é absolutamente fantástico que uma equipa no jogo mais importante e que se pressupõe mais equilibrado do ano consiga chegar por dezanove vezes ao remate, sendo que mais de metade dessas situações de finalização, são efectivamente lances de latente perigo (relembre que os homens não rematam de todo e qualquer lado, porque são mais inteligentes do que isso), por outro é uma chatice ver o seu opositor completamente manietado e a terminar o jogo com somente quatro remates. Um único na direcção da baliza. 
O Barcelona de Guardiola é a melhor equipa da história do jogo. E é também a mais emocionante, porque chega com uma facilidade incrível à baliza adversária. O que é totalmente diferente de proporcionar os jogos mais emocionantes. Há que concordar que se pode tornar aborrecido, não ver o Barcelona jogar, mas sim perceber que por ter atingido tal nível de excelência ofensivo, mas igualmente defensivo nos poucos momentos em que não tem bola, que não há quem possa sequer tornar um jogo contra o Barcelona numa partida emocionante.
O United esteve bem próximo de uma goleada histórica e Sir Alex Ferguson do alto dos seus históricos quase setenta anos, admitiu que jamais defrontou uma equipa tão extraordinária como este Barcelona. A dignidade na derrota e o saber conviver com o sucesso alheio é uma das principais razões pelas quais Ferguson já reinventou o United inúmeras vezes.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3166 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

15 Comentários

  1. Vamos a ver o que o Porto faz contra eles. Temos muito menos armas mas um treinador muito inteligente!

    Mas pessoalmente, para mim nunca é aborrecido ver o Messi a partir tudo!
    Só tuneis na final foram quantos?

  2. Muito bom post, PB.

    Pessoalmente, penso que só quem assume uma postura defensiva tacticamente perfeita e a consegue combinar com uma capacidade excelente de manter a posse de bola sob a pressao alta do Barcelona e progredir entre linhas para ter espaco para respirar é que poderá tornar os encontros emocionantes.

    No fundo, a postura defensiva do Real de Mourinho e Arsenal de Wenger esta temporada (que conseguiram, durante minutos a fio, frustrar as linhas de passe e a mobilidade do ataque culé) combinada com algum do jogo de passe que se viu da equipa de Manchester em raros momentos na final de Sábado.
    Na minha humilde opiniao, cair na tentacao de sair a jogar sempre directo após a recuperacao de bola nao só é muito perigoso (e só Rooney o conseguiu disfarcar no Sábado) como retira "ar" à equipa e oferece quantidades desmesuradas de posse de bola ao Barcelona. Entregar a iniciativa do jogo é uma coisa, dar de bandeja a posse de bola é outra bem pior (e geralmente fatal).

    Também eu estou curioso para ver como AVB montará a sua equipa contra o Barca. A linha defensiva tem que ser PERFEITA (no Sábado vimos demasiadas vezes os 4 defesas do Manchester incapazes de formarem uma linha consistente, também pela falta de presenca no espaco imediatamente à sua frente), as unidades de meio campo teem que ser muito versáteis na entrega à recuperacao de bola e à contencao mas capazes de receber e manter a posse de bola imediatamente após a recuperacao (Moutinho terá uma oportunidade dourada para brilhar neste tipo de funcao). E no ataque, a opcao entre Falcao e Hulk, que podem ser solicitados de forma diferente, dá versatilidade ao FCP. Serao eles capazes de colocar a defesa do Barca em sentido?

  3. Esta equipa do Barça e o seu treinador entram mesmo na história do futebol mundial, pelo que jogam e pelo que conquistam.
    No jogo de sábado a 2ª parte então foi uma coisa… o "azar" dos adversários é que "só" existe uma bola, e está quase sempre na posse do Barcelona.
    Absolutamente fantástico.
    Mas continuo a ter muitas dúvidas que fossem campeões em Portugal… com xistras, olegários, elmanos, soares dias, duartes gomes, jorges sousas, etc, a decidir competições, se calhar nem o Barça conseguia ganhar num futebol tão adulterado e sem verdade desportiva.

  4. No.worries, vseu cao, SAUDE!!!
    SAUDE para veres da primeira fila o FCPorto que te preenche os sonhos e pesadelos a passar te em numero de campeonatos! Reduz te a tua insignificancia e ve la onde andam a meter o teu dinheiro das quotas!

  5. O Barça a mim dá-me sono…
    E a resposta a pergunta, pq os adversários não pressionam é pq é constantemente marcada falta.
    Aos 30 min já a equipa adversária estaria toda amarelada.
    E pode-se dar as voltas que se quiser, mas Arsenal e R.Madrid foram prejudicados pela arbitragem.

  6. Concordo contigo, qualquer toque num jogador do barça e é logo falta. Causa-me confusão ver um jogo em que os jogadores não se podem impor pelo fisico, fazer encostos limpos, para tirar a bola. Não percebo como valência não foi expulso tendo feito tantas ou mais faltas que o pepe…acho que as simulações foram menos.

    Revejam os jogos do barça e vejam a facilidade com que os arbitros levam o apito à boca sempre que há um toque num jogador do barcelona…

    Não estou a dizer que o barcelona não tenha merecido ganhar, claro que mereceu! mas…

  7. Dá-te sono porque, para ti, o futebol é um jogo de egos. O teu (do teu clube) e o dos outros (os adversários).

    Quanto às particularidades do desafio em si, não pescas nada.

    Concordo com o texto todo. E acho interessante verificar que, após mais esta final conquistada pela melhor equipa que eu vi jogar (ganha o prémio com uma vantagem de 10 pontos, no mínimo) quase ninguém quer conversar sobre este assunto.

    Pudera: está tudo dito!

  8. "E é também a mais emocionante".

    em 70% dos jogos do Barcelona para e liga espanhola eu adormeci, é veridico.

    chamem o k kizerem, menos emocionante, por favor!

  9. o jogo da seleccao vai nos 19 min.
    so tenho a dizer que se tivessemos o falcao no lugar do postiga eramos dos grandes favoritos no euro 2012 e mundial 2014…

  10. Não é por teoricamente uma equipa ser superior a outra que tem, forçosamente, de ganhar… Se calhar, a pensar assim, provavelmente este campeonato que passou, até que o Porto fosse «invicto», ganharia os jogos todos, vamos supor, pois eu sou Benfiquista e estou a dar de bandeja que este ano o Porto foi melhor que o resto das equipas, que não foi, sempre, mas adiante, suponhamos, ganhava tudo em Portugal, o Benfica que foi, de longe, a segunda melhor equipa, ficava em segundo lugar apenas com menos 6 pontos do que o Porto, das duas derrotas, suponhamos, lá está, contra os azuis. Só que isso não se verifica. Uma equipa tem, em campo, de provar que é melhor. Não duvido que o Barça seja até a melhor equipa da Europa, e o Porto até tenha sido a melhor de Portugal. Só que, sem ajudas arbitrais, os resultados que se verificaram, se calhar não se verificavam. Claro que o Porto é melhor que a Naval, que até desceu, mas no primeiro jogo a Naval viu, pelo menos, um ponto ser-lhe subtraído. E o Porto viu 2 serem aumentados. E à 5ª jornada, o Benfica já tinha uma série de pontos subtraídos, e o Porto adicionados. O Porto era melhor que o Benfica ou que as outras equipas? Se calhar era. Tinha que o provar, TAL COMO O BARÇA, sem ajudas arbitrais? Ai claro que sim. Por isso é que o futebol é, supostamente, um jogo de resultado incerto. Bem de quem, este ano, aproveitou as casas de apostas, para apostar no Porto. Depois do campeonato do Benfica há duas épocas, Pinto da Costa teria que fazer tudo para que o ceptro voltasse à Invicta, e nada como fazer as coisas «em estilo», uma equipa também ela invicta. O Barça merece o título? Sim. Só que o deveriam ter provado sem ajudas da arbitragem, só que há pessoas que gostam de escrever história com as próprias mãos sem serem eles os invervinientes directos no jogo, por isso a FIFA e demais entidades, IB, etc., não querem que a arbitragem seja completamente isenta… Fica difícil fazer história, perdão, estória…

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com e agora também Blog do Manuel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*