Falta de mentalidade e de cultura vencedora.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Ponto prévio. O percurso europeu do FC Porto na temporada passada, não traduz somente a qualidade visível no relvado. Sem cultura de vitória e ambição, o FC Porto não teria vencido tantos jogos. Até porque, não necessitava sequer de somar tantas vitórias para erguer o troféu.
Na Turquia, se há algo que se deve lamentar, mais do que a prestação táctica ou técnica do SL Benfica, é a ausência de mentalidade vencedora. Nenhum outro grupo, que não um displicente, teria deixado de vencer um Trabzonspor reduzido a dez.
O positivo de tão fraca prestação por inépcia própria, é que o treinador Jorge Jesus parece tê-lo reconhecido, e poderá trabalhar sobre isso. Mas, também seria importante o treinador encarnado perceber que também é responsável. Com a eliminatória ganha, e com trinta minutos para jogar, é absolutamente inacreditável como não deu minutos a tantos jogadores ansiosos por se mostrar. A substituição de Gaitán por Bruno César, aos 87 minutos, é assassina. Quando é do banco que surgem mensagens que sugerem que tudo está bem, e há que deixar rolar o marfim, como se pode exigir algo mais aos atletas?
Dois jogadores emergiram do marasmo.
Pablo Aimar. Não é só o melhor e mais conceituado jogador do Benfica. É também o mais ambicioso. Dá lições a todos, e para todos deve ser um exemplo. É de uma demência notável crer que não tem a utilidade de outrora, ou escamotear como é importante neste Benfica.
Axel Witsel. Muito próximo da perfeição enquanto jogador, particularmente se tivermos em conta a realidade portuguesa. Apenas a criatividade pode escassear. Fisicamente extraordinário, e tecnicamente muito forte, essencialmente na forma como recebe e passa, impressiona também na simplicidade com que joga. Percebe-se que sabe tudo sobre o jogo, além de que a sua passada muito larga poderá ser a chave que faltava às transições do Benfica. Essencialmente à defensiva. Por vós, foi eleito o melhor reforço da Liga. Corroboro, e arriscaria afirmar que é potencialmente um dos grandes candidatos a jogador do ano em Portugal.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3042 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*