Bruno César e Emerson

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Procuro a opinião generalizada sobre os dois brasileiros, e é com enorme espanto que percebo que enquanto um é apelidado de gordo e incapaz, ao outro são reservados elogios. Defende bem, não compromete e por vezes até sobe e acaba a cruzar para a área.
O futebol é isto. Por vezes, basta a fisionomia para convencer o adepto. Outras, só depois de a bola bater na rede, se muda a opinião do mais indefectível.
Os dois brasileiros não enganam. Bruno César é um jogador interessantíssimo, com um potencial imenso. Emerson é do piorzinho que tem passado pela lateral esquerda do Benfica.
Um tem boa técnica, uma velocidade de execução estonteante, e até na passada é dos mais rápidos em Portugal. Para além disso, é forte na tomada de decisão. Joga simples quando se impõe, corre com a bola, quando o espaço à sua frente assim determina. Não tivesse tapado por um dos maiores talentos que já passou pela Liga (Aimar, pois claro), e garantidamente que seria uma das revelações da Liga. Assim, há que ficar contente de cada vez que mesmo tendo pouco tempo para jogar, faz golo. Não que os golos lhe definam a qualidade. Mas, é a única forma de convencer quem é incapaz de ver mais além. Na Madeira, passou quase quarenta e cinco minutos a jogar a dois, três toques. Das três vezes que encontrou espaço à sua frente, conduziu, conduziu, conduziu até isolar Cardozo, até obrigar um adversário a ver segundo amarelo, e até fazer golo. Nada mau para um gordinho, hein?
Emerson nos últimos dois minutos de descontos no jogo da Madeira, entregou por duas vezes o ouro ao bandido. Salvo seja. Uma performance notável, ao alcance de poucos. Nos seus pés a bola chora. É certo que é um jogador abnegado, capaz de lutar por cada bola como se a sua vida disso dependesse. Há quem aprecie e se sinta feliz por ter alguém assim na sua linha defensiva. Porém, para além das insuficiências que ainda demonstra mesmo no momento defensivo, de cada vez que tem de ter a bola nos pés, é o SL Benfica que está em risco.
Um talento que é olhado de esguelha, e um cepo que faz as delícias de muitos. Diga-me. O que há para não adorar neste jogo?
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3404 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*