Defendemos o quê? Exemplos do Otelul x SL Benfica

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Esta deve ser a primeira pergunta que se deve colocar, quando se pretende definir o método defensivo.

Se não há certo ou errado, garantidamente que há melhor e pior.
Afinal devemos defender o quê? A melhor resposta é seguramente, a que afirmar que se deve defender a baliza. Não o adversário. A baliza. O posicionamento defensivo que se centra no tapar o caminho para a sua baliza, é francamente melhor que aquele que pretende defender os adversários.

O exemplo do Benfica. Uma equipa que defende a sua baliza. A linha de quatro bem alinhada, o trinco à frente desta linha, e o interior posicionado do lado da bola.

O exemplo do Otelul. Repare no comportamento dos defesas centrais. Autênticos homem sombra de Cardozo e Saviola. Repare no espaço em que Bruno César recebe a bola. Mesmo na zona central da baliza, na entrada da área. E os defesas centrais? Pois. O treinador do Otelul lamentará o descuido que o seu lateral direito teve, permitindo que Bruno César mais rápido, chegasse primeiro. Se fosse o SL Benfica a consentir tal golo, é certo que Jesus responsabilizaria os centrais por estarem desalinhados e longe da zona à frente da baliza.
Conceitos diferentes. Um dos principais indicadores da evolução do jogo, é precisamente a forma como na actualidade as melhores equipas defendem. Os olhos nunca estão centrados no adversário. É o espaço, a bola e os colegas que definem o posicionamento.
P.S. – Segunda parte magnífica de Bruno César. A sua capacidade de definição dos lances, mesmo que no último terço do campo é algo que está ao alcance de muito poucos. Pela sua velocidade de execução, de passada, pela sua inteligência e técnica, é certo que marcará o futebol português. Mesmo que não no imediato.
Sobre Paolo Maldini 3789 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*