Partir o jogo ao meio, para ganhar nas individualidades.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Não há na Liga portuguesa ninguém com o nível de conhecimento táctico que Jesus tem do jogo. Por vezes fica a sensação que de tanto dominar o que deve ser feito em termos posicionais a cada situação de jogo, Jesus acaba por tornar-se displicente.
O treinador do Benfica sabia perfeitamente o nível de dificuldade que encontraria em Guimarães e não parece crível que o onze que subiu ao relvado no Estádio Dom Afonso Henriques não fizesse parte de uma estratégia. Todos sabemos como gosta de surpreender ou de tentar inovar.
Que terá passado pela mente de Jesus no momento de traçar a estratégia para tão difícil jogo?
Quando vi a constituição da equipa não pude deixar de pensar que a ideia seria convidar o Vitória a atacar, a ter bola, a investir mais no ataque. A estratégia provavelmente passaria por deixar o jogo partir. Entrar numa toada de ataque resposta, que naturalmente beneficia mais quem tem mais qualidade técnica e de decisão na frente. Todavia, torna o jogo mais aleatório e menos passível de ser controlado.
O exercício é puramente especulativo, mas é difícil pensar em algo diferente. Com jogadores de enorme qualidade, Jesus tornou-se um pouco diferente dos tempos passados em Belém e em Braga. Passou a adorar o risco e a delinear estratégias bem menos seguras. Próximas do tudo ou nada. Entusiasmou e entusiasmou-se com a exibição em casa frente ao Nacional. Quanto das duas derrotas consecutivas foram fruto da última exibição caseira?
Na liga jogando no Estádio da Luz apenas em um jogo não consentiu golos. Quando em Braga ou Belém fazer-lhe golos parecia tarefa hercúlea…
As loucas ideias de Jesus vão funcionando. Todavia, apenas porque tem melhores jogadores que os demais. Quando a dificuldade sobe, Jesus tem de regressar ao passado. Ou o sucesso passará a depender de factores que não controla.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3746 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*