Treinar futebol jogando… futebol

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Pegando ainda nas recentes proveitosas discussões das últimas caixas de comentários.
Mas afinal porque não treinar o passe / recepção dois a dois sem oposição?
Porque é uma situação que o “meu modelo de jogo” não contempla. A situação mais próxima será eventualmente a troca de bola entre centrais, ou no caso do Sporting de Sá Pinto ou da selecção sub20 de Ilídio Vale, entre centrais e laterais, que estão posicionalmente demasiado próximos dos colegas e longe dos adversários. E mesmo nessas situações, demasiadas vezes o central tem ou deve atrair a si o avançado para que quem vai receber, receba sem oposição.
De que forma treinar o passe, então?
Apenas um exemplo. Gr mais X contra Y mais Gr. X em organização ofensiva, Y em transição (para ter os grupos nos momentos que se pretende há que jogar com algumas variáveis, como o número de jogadores no processo defensivo, tempo de ataque, etc). Limitação para o grupo X, que joga em organização. Máximo de três toques na bola. Tal condicionante levará a que centenas de passes / recepções sejam realizados, e em condições reais. Com a tomada de decisão associada. Passe para o pé ou para o espaço? Para onde passar? Pode o meu passe ser interceptado? Não pode, mas ainda assim, quem recebe terá condições para ser bem sucedido, ou estarei a “queimar” o colega? Decisões todas dependendo do modelo de jogo.
Dois a dois, passe recepção, simplesmente não é futebol. É perder tempo com algo absolutamente inútil. Não é sequer o mesmo desporto com que serei confrontado ao fim de semana.
E isto, ao contrário do sugerido não tem nada a ver com periodização táctica, cujo conceito nem sequer dominamos. É simplesmente trabalhar com integração de factores.
E fora do treino, será errado alguém pegar na bola e chutá-la à parede, receber e continuar a fazê-lo? Ou juntar um colega e ficarem infinitamente a trocarem a bola entre si? Não. É óptimo! Com certeza que poderá promover ganhos na capacidade técnica. Errado é perder tempo de algo tão importante e tão curto como uma unidade de treino em situações estritamente técnicas que não envolvem a tomada de decisão. Porque isso não é futebol.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3042 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*