Mourinho, podes dar um toque ao Rodrigo?

Foi depois do SL Benfica x Rio Ave que aqui foi escrito. “Rodrigo melhorará bastante se algum dia perceber que não precisa de golos para ser importante”.

Um dia depois as declarações de Drogba “Mourinho dizia-me: Tranquilo, não precisas de marcar golos para ser o homem do jogo”.

E de facto assim o é. Por estranho que pareça, um avançado pode terminar a época com zero golos e ter feito uma época soberba. Mesmo que isso seja altamente improvável.

O jogo proporciona uma diversidade de situações (7×8, 5×8, 3×2 / bola no corredor lateral, no corredor central) quase infindáveis. E a cada uma dessas situações pede-se aos jogadores envolvidos que de forma colectiva (na movimentação e na decisão com bola) saibam mover-se / decidir da forma mais eficiente para que a situação tenha mais possibilidades de ser bem sucedida (terminar em golo). Imagine uma situação de 3×2, bola no corredor lateral com o extremo, que a conduz na direcção do central. Ao avançado pede-se que abra no corredor de onde vem o portador da bola em condução, para que este fique com opção de passe à direita e à esquerda. Ou seja, a forma mais eficiente de resolver tal situação é por um afastamento da baliza por parte do avançado. Este afastamento da baliza por parte do avançado, oferecendo uma opção diferente ao portador da bola faz aumentar as possibilidades da sua equipa chegar ao golo, mas reduz as suas reais chances de ser ele a marcar o golo. 

A um avançado, como a qualquer outro jogador, pede-se que conheça e que aplique o melhor comportamento a  adoptar em cada situação. Afastando-o ou não do golo ou da assistência. Um jogo enorme que ajude decisivamente a sua equipa a vencer não depende minimamente do número de golos ou assistências obtidas na partida. Mesmo para um avançado.

É óbvio que jogando mais avançado no campo de jogo que qualquer outro jogador, terá por norma, sobretudo num período largo de jogos, mais situações em que se impôs movimentações para procurar situações de finalização, e mais situações de finalização. Pelo que seja altamente improvável que termine uma época a zero fazendo tudo bem.  Mas pode acontecer! É decisivo que se perceba que não é o golo que determina o seu rendimento. Quanto muito é o golo da sua equipa. Não o seu. A menos que pelas situações próprias do jogo se imponha que apareça em situações de finalização e as vá desperdiçando.

Sobre Paolo Maldini 3814 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*