Fala Fernando. Um dos médios mais influentes tacticamente da Liga Portuguesa

“O Jesualdo Ferreira tinha uma filosofia de ensinamento, parava o treino, ensinava, mostrava receção… O André Villas-Boas taticamente era muito forte, tinha uma filosofia de que se perdesse a bola, tinha que recuperar logo. O Vítor Pereira é parecido, quer que cadencie às vezes. Mas quem me ensinou muito foi o Jesualdo. Pois é totalmente diferente o futebol europeu do brasileiro, e era ele o treinador quando cheguei”
Muito abordada aqui a questão da imensidão de diferenças das Ligas Europeias para a Brasileira. Naturalmente que não é extensível a todas as equipas da Liga nacional. Recorde que Fernando passou um ano emprestado ao Estrela da Amadora de Daúto Faquirá, e ainda assim refere que foi com Jesualdo que mais aprendeu. O “click” europeu do FC Porto surgiu com a competência dos seus treinadores. O do SL Benfica surgiu com a competência de um em específico. Relembre que há a possibilidade de termos duas equipas nacionais no primeiro pote de candidatos na Liga dos Campeões, onde só cabem oito equipas. Quando há não muito era pelo terceiro pote que definhava o Benfica, por exemplo.
Foi com uma melhor selecção, ou apenas sorte na mesma, das suas equipas técnicas que FC Porto mantém a sua hegemonia em Portugal, e que o SL Benfica disparou e é hoje uma ameaça muito credível ao habitual domínio azul e branco. 
Têm melhores onzes e plantéis, mas sobretudo porque a subida de nível colectivo permitiu aos dois clubes aproveitarem e potenciarem melhor as individualidades, e manterem-se até mais tarde nas provas Europeias. São hoje clubes apetecíveis. Antes de Jorge Jesus o Sporting ia ficando à frente do SL Benfica. Em apenas quatro anos o Benfica parece agora inalcançável. E Quique Flores já havia tido um plantel parecido aos actuais…
Felicidade por trabalhar com as pessoas certas. Felicidade a de Fernando. Integrado em equipas que são mais que a soma de onze jogadores, integrado em equipas que se regem por princípios comuns, que se movem em conjunto, vêm as suas potencialidades disparar. O mesmo jogador que hoje é determinante e importante na Liga portuguesa, poderia ser apenas mais um na árdua luta pela permanência que tantos enfrentam. 
Por vezes o sucesso / insucesso de uma carreira é determinado pela felicidade de encontrar algures no caminho quem perceba o jogo e quem saiba na operacionalização, e isto é o mais difícil, fazer crescer a equipa.
Os jovens jogadores do Sporting precisam de uma boa escolha. Pelo clube, mas também por eles. Ninguém imagina a diferença e o peso que pode ter uma decisão desta natureza em todo o futuro de um clube e dos atletas.
O Fernando explicou bem nas suas declarações que o futebol não são apenas onze a correr contra outros onze.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3047 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*