Lançamento de 2014/2015

Se há um ano atrás avançávamos com o favoritismo do SL Benfica porque mantinha plantel e o treinador que em cinco anos lhe garantiu sempre percentagens pontuais avassaladoras, no dia de hoje e com a pré-época já em andamento parece impossível fazer previsões com bons indícios.
As saídas no SL Benfica são tantas quanto naturais são. Se o clube hoje é apetecível para jovens futebolistas de potencial imenso é precisamente porque é uma montra a que os tubarões europeus estão atentos. As contratações é que poderão suscitar dúvidas. E enquanto não houver aparição pública dos novos jogadores, é difícil prever o que quer que seja. O cenário está muito longe de poder ser optimista, ainda que se saiba que o Benfica tem no seu treinador alguém capaz de conferir organização colectiva de nível superior às suas equipas. No ar estará por agora a dúvida sobre o porquê do cancelamento dos primeiros jogos da pré-época. Há algumas segundas linhas com qualidade para assegurar a transição, mas a um nível bem inferior ao anterior.
O Sporting que fez na temporada transata melhor classificação e sobretudo muito mais pontos do que o que a sua qualidade individual faria crer, apresenta-se com as mesmas dúvidas do rival de Lisboa. Reforços todos desconhecidos e a chegarem de mercados sem tradição de sucesso. O que poderá, evidentemente, significar nada. Do possível insucesso do Benfica poderá nascer um relativo sucesso leonino. Só pensando nas possíveis muitas fraquezas dos rivais se pode esperar um Sporting qualitativamente preparado para algo mais.
O FC Porto parte para uma nova temporada com um treinador pouco habituado ao desgaste do trabalho diário. Com uma aposta garantida no mercado de onde provém, com os riscos que tal acarreta perante o grupo de trabalho da temporada anterior. Todas as saídas estão a ser acauteladas, não deixando de ser importante referir que Mangala, Fernando e Jackson eram / são grandes referências da qualidade do FC Porto. Uma recuperação de Alex Sandro e Danilo, com o potenciar de jovens estrelas cujo projectar da próxima época é uma incógnita (Quintero e Oliver), aliado ao aproveitamento dos valores tidos como seguros parece dar algum ascendente ao FC Porto. Porém, tudo permanece uma incógnita.
A única certeza é que a qualidade individual da Liga vai descer para níveis a que já não se estava habituado. Desde que Jorge Jesus chegou ao SL Benfica nunca o campeão se sagrou com menos de 70 pontos. Agora com mais doze para jogar, veremos que pontuação fará o primeiro classificado.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3407 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*