Clássico ao intervalo

– Porto zero colectivamente. Sem ligação entre sectores, nem no próprio sector. Zero com bola e pouco mais sem bola. Pouco de positivo para além das poucas vezes em que Adrian recebeu entre sectores e conseguiu enquadrar;
– Jackson. Com um Sporting péssimo no controlo da profundidade, o colombiano pode aparecer a fazer golos a qualquer instante. É soberbo na desmarcação de ruptura e enfrenta centrais sem a miníma noção do jogo de controlo de profundidade. Não são acasos os 1×0 que todos os jogos Rui Patrício enfrenta;
– William enorme. Maturidade sem bola, na forma como vai travando os ataques. Ou em recuperação ou em faltas sempre úteis. Incrível qualidade com bola, sempre naquele estilo vagaroso que acaba sempre por descobrir a melhor opção. 
– Nani. Festival de cuecas, mais cuecas e outras cuecas e cabritos. Golaço, e azar numa bola no poste. Prende adversários. Enfim, quarenta e cinco minutos de festival num estádio que não deve recordar uma exibição desta categoria em qualquer outro jogador adversário nos tempos mais recentes. Hoje os pinos estão a vestir de azul.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3407 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*