Os gatos morrem. Mas jamais morrerá a estupidez e o analfabetismo no futebol.

A Juventus faz o dois a zero em Munique e a euforia toma conta dos portugueses.
“Morreram dois gatinhos no Lateral Esquerdo” Afirmava-se no Twitter. 
Afinal prova-se que Guardiola é mau treinador diz a malta do Totobola à segunda feira. Já se tinha provado tal quando o Barcelona de Messi o havia derrotado.
Os gatos morrem. No Lateral Esquerdo e em todo o mundo. A estupidez e analfabetismo no futebol é que perdurará eternamente.
Sob a avaliação rigorosa sobre o trabalho do treinador, muitos serão os que por coerência terão de afirmar que o Guardiola que era mau treinador até às 20.30, passou a genial lá por essas 22 horas. Cresceu muito como treinador em uma hora e meia, o espanhol. Deveria ser um caso de estudo.
É uma particulariedade muito latina e muito estupida esta de elevar treinadores à condição de deuses. Não necesseriamente no bom sentido, mas no sentido de que as vitórias e as derrotas passam pela quase na totalidade pelas suas performances, ignorando que são pessoas que jogam o jogo. E não máquinas. Com robots exactamente iguais, ganhará a melhor estratégia. O melhor “general”. Com pessoas não funciona assim. No caso do futebol, provavelmente nem sequer o melhor “general” ganhará na maior parte das vezes se não tiver as melhores armas. Guardiola não apuraria o Arouca para a Liga dos Campeões. Di Matteo foi campeão europeu pelo Chelsea. Tal como Heynckes foi campeão Europeu pelo Bayern. O mesmo Heynckes que estava no banco do SL Benfica na pior humilhação da sua história. Como pode quem resume ao resultado a competência do treinador explicar isto?
Portanto esta época Ranieri é o melhor treinador do mundo. Talvez se deva ir buscar o italiano e experimentar o seu estica na frente num Real Madrid. Afinal, há anos que o Barcelona se impõe.
Mas afinal qual é o trabalho do treinador? Do ponto de vista táctico, ao treinador compete dar armas para que os seus jogadores sejam mais que individualidades no campo. Que se saibam relacionar entre si e interpretar o jogo. Que tenham comportamentos bem identificados por cada um dos seus jogadores em cada momento e em cada fase. Isto é o que faz um treinador competente. A partir daqui, o Scolari pode perfeitamente ser campeão do Mundo, como descer o Palmeiras. Mas, sem dúvida que um qualquer treinador que prepare melhor a sua equipa estará ou estaria mais próximo de ganhar o Mundial ou de não descer o Palmeiras do que o próprio.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3008 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Maldini, tambem ha que perceber que isso vem de um detalhe: aqui e noutros sitios eleva-se o trabalho de Guardiola acima do atingivel por qualquer outro treinador, pelo que as pessoas tendem a ficar interessadas quando um underdog ganha um jogo. Alem disso, a analogia com o Arouca nao e muito conseguida. Teoricamente, a equipa do City e muito mais forte. Um meio campo sem medios defensivos expoe uma defesa onde o Stones avanca com pouco criterio, tendo em conta os jogadores que tem na frente (Silva, de Bruyne, etc). Voces mesmos dizem que meter medios atacantes, avancados em barda e ter a atitude do “vamos a eles” nao costuma funcionar e foi o que o City do Guardiola pareceu fazer ontem. O Monaco foi melhor e o Guardiola, sendo um dos melhores do mundo, nao deixa de ser um treinador como existem outros, sebem que esses outros nao sejam muitos.

  2. Monaco foi melhor Miguel? Se compararmos a 1°parte e a 2°parte vemos que o Monaco foi mais forte, mas não teve 4 oportunidades flagrantes como teve o City na 2°. Houve uma altura na 2° parte que até o P.Henriques diz “Mónaco está desorientado”,mas enfim…
    No único remate do Monaco na 2°parte faz o golo e de repente o jardim já é o melhor do mundo.

  3. Nem sempre as equipas com melhores jogadores são as melhores equipas por melhor que seja o trabalho do treinador.

    O Guardiola com o trabalho que teve no Barcelona quase que reinventou o futebol, tem muito mérito porque soube implementar as ideias que tinha (que até já vinham de há muitos anos) e teve a sorte de ter jogadores que executavam como máquinas.

    No Bayern, a qualidade individual fazia a diferença, apesar de também se notar muito o trabalho do treinador.

    O City irá sempre ser mais difícil. E não é qualquer equipa que consegue não sofrer golos contra o Monaco que tem 5 jogadores que no ataque conseguem num dia bom furar qualquer defesa por melhor que sejam os intervenientes adversários.

1 Trackback / Pingback

  1. Os gatos morrem. Mas jamais morrerá a estupidez e o analfabetismo no futebol. | Futebol Pensado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*