Há mais Óliver no Dragão

Incrível o jogo de Óliver Torres no Dragão.

Com uma hora de jogo já construiu e criou mais ataques prometedores que outros almejarão numa época inteira.

Ofensivamente o espanhol começa a aparecer ao nível que a Europa anseia por o ver. Um critério nas decisões e uma qualidade no passe, a ligar todas as fases, todos os corredores soberbo.  Dos pés dele, o FC Porto aproxima-se sempre do sucesso. Não são inocentes sequer os espaços que pisa para receber. Um miúdo a procurar carregar toda uma equipa.

Na dificuldade, a ordem é simples. Procurar o espanhol para que este “organize” com as suas ideias o FC Porto ofensivamente.

Hoje vai realizando uma das melhores exibições individuais que a Liga Nos já presenciou na presente época.

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 217 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

6 Comentários

  1. “Na dificuldade, a ordem é simples. Procurar o espanhol para que este “organize” com as suas ideias o FC Porto ofensivamente.”

    Caro Marco van Basten

    Falta André André, que sabe segurar a bola entre linhas.

    André Silva é uma nulidade como finalizador.

    • Engraçado que o rapaz (sim, rapaz, nem o cérebro acabou de se formar) passa 3 ou 4 jogos em que não acerta na baliza e já é despromovido a nulidade, isto depois de ter sido unanimemente considerado como o salvador do Porto e de Portugal. Agora é o Rui Pedro e quando também esse passar por uma fase menos boa vai ser o Zé ou o Manel que é o novo futuro.

      Se não os querem, passem-nos a quem os sabem usar. Falo do André Silva e falo do Ruben Neves.

      André André sabe correr e mesmo assim tem dias, depois também se apaga de acordo com certas coincidências.

      NES é fraquíssimo. Fantoche original do Mendes, não tem categoria absolutamente nenhuma para dirigir uma grande equipa europeia. Ainda volta este ano para o Rio Ave.

    • Caro DCF

      Os adversários não consentem muitas oportunidades no futebol português, logo marcar é imperativo quando existe a possibilidade de finalizar.

      André Silva tem boas qualidades mas simplesmente não serve como finalizador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*