“Guardiola irá voltar para casa com o rabo entre as pernas”

Quem o afirma é Stan Collymore. Tudo porque Pep havia referido que não treina os jogadores a fazerem “tackles”.

Não se sabe por que tipo de treinos trogloditas Collymore passou na sua carreira. Mas, dá para perceber.

Treino de capacidades por separado, naturalmente. Agora treinamos o passe. Agora treinamos o remate. Agora treinamos o Tackle. E que exercício bonito deverá dar o “treino dos tackles”.

O ex jogador inglês, sem o perceber, enquanto falava, explicava bastante mais o porquê da fraude que têm sido as equipas e selecções inglesas nas grandes competições do que propriamente das competências de Pep Guardiola.

Treino integrado deverá ser um conceito ainda longe do entendimento britânico do processo de treino.

Tão longe quanto está a selecção inglesa próxima de triunfar numa competição internacional.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3290 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

9 Comentários

  1. Concordo com o cerne da publicação mas creio que no fim é elaborada uma conclusão demasiado absolutista.

    Desde já os meus mais sinceros parabéns aos colunistas do melhor e mais rico blog desportivo em Portugal. Parabéns estes de quem vos segue aos anos na sombra.

    Um grande abraço.

  2. Para mim a próxima grande mudança no desporto (não só no futebol) será nos processos de treino. Cada vez mais focado no 11vs11(descontraindo primeiro em 2×2, 3×3, 5×5, 7×7 etc…) durante 1h30 de treino. O restante deveria estar a cargo do próprio atleta (claro que haverá sempre clubes com melhores condições que outros) de maneira a que estes cumpram planos de aperfeiçoamento das capacidades condicionais.

    Outra idieia que tenho é o aumento da carga competitiva. Mais jogos–>mais aprendizagem. Isto ia também permitir utilizar mais jogadores do plantel, uma vez que presumo que na formação haja jogadores que sentam no mocho todos os fins de semana. É o problema das 3 substituições. No desporto que pratico as subs são ilimitadas o que resulta num bom aproveitamento de toda a equipa. Mas mesmo assim isto dependerá sempre da competência do treinado (há aqueles que não rodam, na ânsia de ganhar troféus e títulos de formação)

  3. Se o treino está longe , imaginemos a opinião que estes terão da Periodizacao Táctica … se a conhecem.
    Continua se a partir o jogo como se ele não fosse naturalmente de uma Inteireza Inquebrantável!
    Inglaterra a anos luz … pelos marcadores socio culturais que tanto são valorizados mas que tanto impedem a evolução do jogo

  4. Vou iniciar um crowdfunding para abrir uma academia de “tackles”. O instrutor serei eu,mas na minha ausência poderá ser qualquer outro. Em 15min podem se tornar mestres do tackle, mas só se houver compromisso e mistica. Vamos colocar o tackle no patamar que merece!
    Obrigado.

  5. Acho que o “tackle” na GB toma o lugar da “intensidade” em Portugal. Em geral eles gostam de ver a disputa intensa da bola dividida, a entrada forte. Se achas que o problema e mau na GB deverias vir aos EUA em que em grande parte dos clubes de formacao se da demasiado valor a intensidade, ao poder fisico, a constituicao atletica em detrimento da inteligencia de jogo.

  6. A opinião do Collymore, nao espanta aliás a k choca mais pode ser a do Zico publicada a algum tempo atras neste espaço. Mas repare-se, admitir k o futebol pode ser mt mais do k só talento ou “raça” (atenção eu admiro essas qualidades) é admitir k o futebol k estas personagens jogaram está cada vez mais distante…

  7. “O ex jogador inglês, sem o perceber, enquanto falava, explicava bastante mais o porquê da fraude que têm sido as equipas e selecções inglesas nas grandes competições do que propriamente das competências de Pep Guardiola.”

    Caro Paolo Maldini

    Continua a misturar o FUTEBOL PROFISSIONAL com os TORNEIOS DE VERÃO.

    O rendimento dos clube ingleses na Europa é inferior ao esperado porque, regra geral, têm calendários muito mais difíceis em relação às outras grandes equipas europeias.

    E os processos de treinos em Inglaterra são similares em relação a qualquer outro lado, afinal muitos técnicos latinos já trabalham lá há anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*